Sabendo o quanto a internet é acessível hoje, você acreditaria se disséssemos que o número de pessoas que ficam online todos os dias ainda está aumentando? Entre 2009 e 2019, o crescimento foi de 3,3% ao ano, e hoje são 134 milhões de usuários no Brasil. É por isso que você precisa investir em marketing digital o quanto antes.

Afinal, a internet tem sido utilizada para os mais diferentes fins e contribuiu para mudanças de comportamento e hábitos de consumo das pessoas, que, hoje, recorrem ao meio digital até mesmo para compras básicas. Então, aqueles que ainda não têm a sua presença online estão perdendo mercado pouco a pouco

Se o marketing digital ainda é um universo misterioso para você, não se preocupe, porque nós preparamos este guia completo para explicar tudo que é preciso saber para começar as suas estratégias e obter melhores resultados com seu negócio.

Continue lendo e veja como manter e ampliar a sua competitividade!

O marketing sempre teve a ver com o conceito de se ligar ao público-alvo no lugar certo e no momento certo. Hoje, isso significa que você precisa encontrá-lo onde ele já está passando seu tempo: na internet. Aí entra o marketing digital, ou seja, qualquer forma de marketing que seja feita online.

Por meio dele, levamos a nossa empresa, nossa marca, produtos e serviços para a internet. Fazemos com que eles comecem a fazer parte do dia a dia das pessoas no mundo virtual, marcando presença nesse espaço para divulgar nosso negócio ou realizar transações comerciais por esse meio.

Na HubSpot, falamos muito sobre o inbound marketing como uma maneira realmente eficaz de atrair, envolver e encantar os clientes online, mas ainda recebemos muitas perguntas de pessoas do mundo inteiro sobre marketing digital.

Mesmo um profissional de marketing experiente poderia dizer que inbound marketing e marketing digital são praticamente a mesma coisa, mas existem diferenças. Ao longo do artigo, falaremos mais sobre isso.

Como definir o que o marketing digital engloba?

Marketing digital é definido pelo uso de inúmeras táticas e canais digitais para se conectar com os clientes onde eles passam grande parte do tempo: a internet. Desde o site em si até os ativos de branding online de uma empresa, como publicidade digital, e-mail marketing, folhetos online e muito mais. Assim, há um espectro de táticas que se enquadram no conceito de marketing digital. Veja só!

Táticas e exemplos de marketing digital

Os melhores profissionais de marketing digital têm uma visão clara de como cada campanha de marketing digital respalda suas metas gerais. Dependendo dos objetivos da sua estratégia, eles podem dar apoio a uma campanha maior por meio dos canais gratuitos e pagos à sua disposição.

Um especialista em marketing de conteúdo, por exemplo, pode criar uma série de posts de blog que servem para gerar leads a partir de um novo e-book produzido recentemente pela empresa. Já aquele que atua com o marketing de mídia social pode ajudar a promover esses posts por meio de publicações orgânicas e pagas nos perfis da marca.

Talvez o profissional de e-mail marketing crie uma campanha por e-mail para enviar mais informações sobre a empresa para quem baixar o e-book. Para entender melhor, veja, a seguir, algumas das táticas de marketing digital mais comuns e os canais envolvidos em cada uma delas.

Otimização para mecanismos de pesquisa (SEO)

Trata-se do processo de otimizar seu site para ficar em posições mais altas na classificação das páginas de resultados dos mecanismos de pesquisa, como é o caso do Google. Isso aumenta a quantidade de tráfego orgânico (ou gratuito) que seu site recebe. Os principais canais que se beneficiam do SEO são:

  • sites;
  • blogs;
  • infográficos.

Marketing de conteúdo

Consiste na criação e promoção de conteúdos com o objetivo de gerar consciência de marca, crescimento do tráfego, leads e clientes. Alguns canais que podem participar da sua estratégia de marketing de conteúdo são:

  • posts do blog;
  • e-books e whitepapers;
  • infográficos;
  • folhetos e lookbooks online.

Marketing de mídias sociais

Essa prática promove sua marca e seu conteúdo nos canais de mídia social para aumentar a consciência de marca, direcionar tráfego e gerar leads para sua empresa. Alguns canais que você pode usar no marketing de mídia social são:

  • Facebook;
  • Twitter;
  • LinkedIn;
  • Instagram;
  • Snapchat;
  • TikTok;
  • Pinterest.

PPC (Pay-Per-Click)

PPC é um método para direcionar tráfego para seu site pagando ao publisher toda vez que clicarem em seu anúncio. Um dos tipos mais comuns de PPC é o Google Ads, que permite que você pague pelos melhores espaços nas páginas de resultados do mecanismo de pesquisa do Google a um preço "por clique".

Mas também existem outros canais nos quais você pode usar PPC, como:

  • anúncios pagos no Facebook;
  • tuítes promovidos no Twitter;
  • mensagens patrocinadas no LinkedIn.

Marketing de afiliados

Trata-se de um tipo de publicidade baseada em desempenho. Você recebe comissão pela promoção de produtos ou serviços de outra empresa no seu site. Exemplos de canais de marketing de afiliados:

Publicidade nativa

Consiste em anúncios que são principalmente orientados por conteúdo e apresentados em uma plataforma ao lado de outros conteúdos não pagos. Os posts patrocinados pelo BuzzFeed são um bom exemplo, mas muitas pessoas também consideram "nativa" a publicidade em mídias sociais, como a publicidade no Facebook e no Instagram.

Automação de marketing

A automação de marketing é a estratégia que utiliza um software para automatizar as operações repetitivas e padronizadas de marketing. Existem diversos fluxos que podem ser automatizados para que as tarefas repetitivas não sejam executadas manualmente, como:

  • informativos por e-mail;
  • programação de posts de mídia social;
  • atualização de lista de contatos;
  • fluxos de trabalho para nutrir e captar leads;
  • acompanhamento e relatórios de campanhas.

E-mail marketing

As empresas usam o e-mail marketing como meio de comunicação com seus públicos. O e-mail costuma ser interessante para promover conteúdo, descontos e eventos, bem como direcionar pessoas para o site da empresa. Alguns tipos de e-mail que você pode enviar em uma campanha de e-mail marketing:

  • informativos de assinatura de blog;
  • e-mails de acompanhamento para visitantes do site que baixaram algum conteúdo;
  • e-mails de boas-vindas para clientes;
  • promoções em datas especiais para membros do programa de fidelidade;
  • dicas ou e-mails em série para estimular o cliente.

Relações públicas online

Relações públicas online é a prática de garantir a cobertura online usando publicações digitais, blogs e outros sites baseados em conteúdo. É muito parecido com as relações públicas nos moldes tradicionais, mas no espaço virtual. Canais que você pode usar para maximizar seus esforços de relações públicas são:

  • divulgação com repórter por meio de mídia social;
  • avaliações on-line da sua empresa para engajamento;
  • comentários no seu site ou blog pessoal para engajamento.

Inbound marketing

Inbound marketing refere-se à abordagem de "funil completo" para atrair, envolver e encantar os clientes usando conteúdo online. Você pode aplicar todas as táticas de marketing digital listadas acima em uma estratégia de inbound marketing.

O que um profissional de marketing digital faz?

Os profissionais de marketing digital são responsáveis por promover a consciência de marca e a geração de leads por meio de todos os canais digitais (tanto gratuitos quanto pagos) à disposição da empresa. Esses canais incluem:

  • e-mail;
  • mídias sociais;
  • o próprio site da empresa;
  • classificações em mecanismos de pesquisa;
  • publicidade gráfica;
  • o blog da empresa.

O profissional de marketing digital geralmente se concentra em um indicador-chave de desempenho (KPI) diferente para cada canal. Assim, pode medir adequadamente o desempenho da empresa em cada um deles.

O responsável pelo SEO, por exemplo, mede o tráfego orgânico do site, ou seja, os acessos provenientes de visitantes que encontraram uma página do site da empresa por meio de uma pesquisa no Google.

Profissionais de marketing de funções variadas trabalham com marketing digital hoje em dia. Em pequenas empresas, um generalista pode usar muitas das táticas descritas acima ao mesmo tempo. Em empresas maiores, essas estratégias têm vários especialistas, cada um com foco em apenas um ou dois dos canais digitais da marca.

Confira alguns exemplos desses especialistas e seus KPIs!

Gerente de SEO

Principal KPI: tráfego orgânico

Em resumo, os gerentes de SEO fazem a empresa ser classificada no Google.

Usando uma variedade de abordagens para a otimização de mecanismos de pesquisa, essa pessoa pode trabalhar diretamente com os criadores de conteúdo para garantir que aquilo que foi produzido por eles tenha um bom desempenho no Google, mesmo que a empresa também publique esse conteúdo nas mídias sociais.

Especialista em marketing de conteúdo

Principais KPIs: tempo na página, tráfego geral do blog, assinantes do canal do YouTube

Os especialistas em marketing de conteúdo são os criadores de conteúdo digital. Eles acompanham o calendário de blog da empresa com frequência e podem criar uma estratégia de conteúdo que inclua vídeo.

Esses profissionais costumam trabalhar com pessoas de outros departamentos. Com isso, garantem que os produtos e as campanhas lançados pela empresa tenham o apoio de conteúdo promocional em cada canal digital.

Gerente de mídias sociais

Principais KPIs: seguidores, impressões, compartilhamentos

A função de um gerente de mídias sociais é justamente gerenciar esses canais. A escolha de quais plataformas serão utilizadas para a empresa depende do setor delas.

Acima de tudo, os gerentes de mídias sociais estabelecem um cronograma de publicação para o conteúdo escrito e visual da empresa. Esse profissional também pode trabalhar com o especialista em marketing de conteúdo para desenvolver uma estratégia de qual conteúdo postar em qual rede social.

(Observação: de acordo com os KPIs acima, "impressões" refere-se ao número de vezes que os posts de uma empresa aparecem no feed de notícias de um usuário.)

Coordenador de automação de marketing

Principais KPIs: taxa de abertura de e-mail, taxa de clickthrough da campanha, taxa de geração de leads (conversão)

O coordenador de automação de marketing ajuda a escolher e gerenciar o software que possibilita a toda a equipe de marketing compreender o comportamento de seus clientes e medir o crescimento de seus negócios.

Como muitas das operações de marketing descritas acima podem ser executadas separadamente, é importante que haja alguém que possa agrupar essas atividades digitais em campanhas individuais e acompanhar o desempenho de cada campanha.

Inbound marketing versus marketing digital: qual é a diferença?

À primeira vista, os dois parecem semelhantes — afinal, ocorrem principalmente online e se concentram na criação de conteúdo digital para as pessoas consumirem. Então, qual é a diferença entre eles?

O termo "marketing digital" não diferencia entre as táticas de marketing push e pull (ou o que agora podemos chamar de métodos "inbound" e "outbound"). Ambos podem ainda estar englobados no conceito de marketing digital.

As táticas outbound digitais buscam expor diretamente uma mensagem de marketing ao maior número de pessoas possível no espaço online, ainda que ela não seja relevante ou bem-vinda para parte dos impactados.

Por exemplo, os anúncios de banners chamativos que você vê no topo de muitos sites tentam empurrar um produto ou promoção para pessoas que não estão necessariamente prontas para recebê-los.

Já os profissionais de marketing que empregam táticas inbound digitais usam o conteúdo online para atrair os clientes-alvo para seus sites, fornecendo ativos úteis para eles. Um dos ativos de inbound marketing digital mais simples, porém bastante poderoso, é o blog. Ele permite ao seu site capitalizar os termos que seus clientes ideais estão procurando.

Em última análise, inbound marketing é uma metodologia que usa ativos de marketing digital para atrair, envolver e encantar clientes online. Por outro lado, marketing digital é um termo abrangente, que engloba táticas de marketing online de qualquer tipo, sejam elas consideradas inbound ou outbound.

O marketing digital funciona para todas as empresas?

O marketing digital pode funcionar para qualquer empresa, em qualquer setor, não importa o que você venda. Ainda, ele envolve a criação de buyer personas para identificar as necessidades do seu público e criar um conteúdo online valioso.

No entanto, isso não quer dizer que todas as empresas devam implementar uma estratégia de marketing digital da mesma maneira. Elas atuam de formas diferentes, certo? Por isso, as estratégias variam conforme seu segmento. Veja mais detalhes a seguir, conhecendo os diferentes tipos de marketing digital.

Marketing digital B2B

Se sua empresa for B2B (business-to-business), seus esforços de marketing digital provavelmente serão centralizados em torno da geração de leads online, com o objetivo final de alguém falar com um vendedor.

Por essa razão, o papel da sua estratégia de marketing é atrair e converter leads da mais alta qualidade para seus vendedores por meio de seu site e de seus canais digitais de apoio. Além do site, você deverá concentrar seus esforços em canais nos quais seu público demográfico está passando tempo, como o LinkedIn, que tem foco em negócios.

Marketing digital B2C

Se a sua empresa é B2C (business-to-consumer), dependendo do preço de seus produtos, é provável que o objetivo dos seus esforços de marketing digital seja atrair pessoas para o seu site. Elas viram clientes sem nunca precisar falar com um vendedor.

Por isso, é menos provável que você se concentre em "leads" no sentido tradicional. O mais comum é que busque construir uma jornada de compra acelerada. Isso desde o momento em que alguém chega ao seu site até aquele em que a pessoa faz uma compra.

Muitas vezes, isso significa que você precisará mostrar seu produto no seu conteúdo num ponto mais alto do funil de marketing do que aconteceria em uma empresa B2B. Inclusive, talvez você precise usar CTAs (calls to action) mais fortes.

Para empresas B2C, canais como o Instagram e o Pinterest podem ser mais valiosos do que plataformas com foco em negócios, como o LinkedIn.

Como começar uma estratégia de marketing digital eficiente?

Um detalhe que você não pode esquecer sobre marketing digital é que ele deve ser planejado de acordo com as necessidades da sua empresa. Por isso, são apresentados recursos, ferramentas e algumas dicas, mas não receitas prontas, já que as características da sua estratégia devem ser únicas.

De toda forma, existem alguns aspectos que são comuns a todas as estratégias e que vão ajudar você a fazer com que a sua seja muito eficiente. Veja algumas práticas indispensáveis para decolar no meio digital!

Faça um bom planejamento

Tudo que vamos fazer precisa ter como base um planejamento. Se você não se planejar para elaborar a sua estratégia de marketing e atirar para todos os lados, fica mais difícil acertar o alvo, concorda?

Então, antes de tomar as suas decisões, coloque os planos no papel, defina todos os aspectos, pense em cada detalhe. Veja e reveja esse planejamento quantas vezes for necessário até que ele esteja alinhado com os objetivos da sua empresa e os interesses do seu público.

Tenha um objetivo traçado

Existem vários objetivos que podemos alcançar com uma estratégia de marketing. Algumas empresas querem, por exemplo, fazer com que sua marca fique conhecida no mercado, desejam construir uma imagem. Então, a mensagem transmitida será uma.

Também há aquelas que querem aumentar o tráfego para o site, iniciar as vendas pela internet, ampliar a carteira de leads, aumentar a taxa de conversão e assim por diante. Qual é o seu objetivo? No planejamento, defina muito bem aquilo que deseja alcançar, porque isso vai direcionar o caminho.

Defina as personas

Lembra que falamos a respeito das buyer personas? Não se esqueça de definir quais são aquelas do seu negócio, porque é muito importante conhecer o perfil do seu público-alvo, bem como os hábitos e comportamentos dele, para poder traçar as suas estratégias.

Não é tudo que funciona para todo mundo. Tomando um exemplo básico, a gente não fala com uma criança do mesmo jeito que conversa com um adulto, certo? Por isso, a linguagem que você vai utilizar precisa estar adequada para o seu público — e não só isso: também as ferramentas, os recursos e as plataformas que vai explorar.

Escolha os canais

Depois de criar as suas personas, você saberá de que maneira seu público consome a internet, quais são as plataformas que visita etc.

Essas informações ajudarão a definir quais canais funcionam melhor para essas pessoas. Não é necessário, por exemplo, estar em todas as redes sociais; o ideal é marcar presença naquelas que fazem sentido para o seu público-alvo, a fim de alcançar essas pessoas.

Produza conteúdo de qualidade

Os conteúdos que você produzir, entre blogposts, vídeos, e-books, infográficos e outros, precisam ter algum valor agregado. A gente não pode apenas “encher linguiça”. Esses materiais devem conter informações úteis para o público, que tragam impacto positivo de verdade.

Também não se esqueça de que todos os conteúdos precisam ser originais — então, nada de cópias e plágios, combinado? Para ganhar a confiança do seu público, você deve se posicionar como um especialista naquilo que faz; então, capriche nas produções e crie conteúdos únicos.

Quais são as principais tendências no marketing digital?

O mercado muda, assim como os hábitos de consumo das pessoas e o seu comportamento na internet. É por isso que o marketing digital passa por atualizações constantes, e nós precisamos ter atenção às novidades que surgem para acompanhar essas tendências e alinhar as nossas estratégias.

A seguir, listamos algumas das principais tendências para o marketing digital, as quais você já precisa começar a implementar no seu negócio a fim de desenvolver abordagens alinhadas com o que está sendo praticado hoje em dia.

Decisões baseadas em dados

Nada de achismos ou olhar por cima do muro para ver o que o vizinho está fazendo. Hoje, o marketing digital toma as suas decisões com base em dados, e eles são coletados a partir das informações registradas por diferentes meios, como pesquisas e softwares.

As práticas de acerto e erro fazem perder muito tempo testando estratégias e abordagens. Quando analisamos dados, temos uma visão concreta daquilo que funciona para o nosso negócio. Assim, tomamos as melhores decisões com base naquilo que funciona para o nosso público.

Dessa forma, as chances de acerto são muito maiores, sem falar que economizamos tempo e recursos.

Automação de processos

Muitas tarefas são repetitivas no marketing digital. É o caso do envio de e-mails. É por isso que uma das tendências é a automação de processos. Ela utiliza a tecnologia para que alguns fluxos aconteçam sem a necessidade de intervenção humana.

Ao fazer isso, aumentamos a produtividade nossa ou do nosso time. Também minimizamos a ocorrência de erros, aproveitamos ao máximo todas as oportunidades e ganhamos tempo. Isso, porque as rotinas se tornam mais ágeis e temos a certeza de que todos os leads serão atendidos, já que o sistema não deixa ignora nenhum.

Postura empática

Embora estejamos vivendo em um mundo cada vez mais digitalizado e tecnológico, as pessoas querem ser tratadas de forma humanizada. O desejo delas é receber uma atenção personalizada e ter a certeza de que os seus problemas estão sendo atendidos. Assim, o marketing digital também envolve empatia.

É preciso entender as expectativas do público, saber quais são as suas dores e as soluções que está buscando. Não se trata simplesmente de divulgar marcas ou empurrar produtos e serviços. Para que a estratégia não seja invasiva, mas venha como uma ajuda na hora certa, devemos olhar para as necessidades do cliente.

Marketing de influência

O marketing de influência é aquele em que são firmadas parcerias com pessoas famosas ou não para ajudar na divulgação dos seus produtos ou serviços. Ou seja, temos o suporte de influenciadores, que vão contribuir com postagens e a criação de conteúdos para o seu negócio.

Mas não se trata de escolher qualquer um. O ideal é pensar muito bem em quem vai representar a sua marca, para não acabar sofrendo rejeição do público. Um caminho interessante é investir em microinfluenciadores, que são pessoas que geralmente trabalham com um nicho de mercado mais específico.

Esses influenciadores digitais podem ser figuras marcantes das redes sociais, por exemplo, que já têm um público de seguidores fiéis, que confiam naquilo que essa pessoa está falando. Além disso, é fundamental que haja um bom engajamento com seu conteúdo, porque isso é o que vai garantir os bons resultados.

Uso de vídeo

O consumo de vídeos tem aumentado, e uma prova disso é que vêm surgindo novas plataformas para criação e divulgação desse tipo de conteúdo. Inclusive, eles têm aparecido também nos resultados de busca do Google. Por isso, são uma forte tendência do marketing digital.

Não importa qual seja o nicho do seu negócio, existe uma forma de criar vídeos que vão agregar algum valor para o seu público-alvo. Podem ser dicas, informações, tutoriais ou até mesmo entretenimento. O mais importante é que essas pessoas sintam que estão recebendo algo.

Pesquisa por voz

As pessoas estão descobrindo as facilidades de contar com aplicativos como Cortana, Google Assistente e Siri — sem falar das assistentes digitais que também estão invadindo a casa dos brasileiros, como é o caso da Alexa e do Google Home. Por isso, as pesquisas por voz são uma forte tendência. Até na própria plataforma de busca do Google é possível explorar esse recurso.

Sendo assim, vale a pena adaptar sua estratégia de SEO para englobar, também, esse tipo de pesquisa. Afinal, nas buscas por voz, existe uma diferença em relação às pesquisas feitas de forma digitada, tanto no smartphone quanto nos desktops.

Quais são os benefícios do marketing digital?

Ao contrário da maioria dos esforços de marketing offline, o marketing digital permite que os profissionais vejam resultados precisos em tempo real.

Se você já colocou um anúncio em um jornal, sabe como é difícil estimar quantas pessoas realmente chegaram àquela página e prestaram atenção ao seu anúncio. Não há uma maneira infalível de saber se ele foi responsável por qualquer venda.

Por outro lado, com o marketing digital, você pode medir o ROI de qualquer aspecto dos seus esforços de marketing. A seguir, estão alguns exemplos.

Tráfego do site

Com o marketing digital, você pode ver o número exato de pessoas que visualizaram a página inicial do seu site em tempo real. Isso é feito usando um software de análise digital, disponível em plataformas de marketing como a HubSpot.

Você também pode ver quantas páginas elas visitaram, qual dispositivo estavam usando e de onde vieram, entre outros dados de análise digital. Essa inteligência ajuda a definir em quais canais de marketing gastar mais ou menos tempo, com base no número de pessoas que esses canais estão direcionando para o seu site.

Por exemplo: se apenas 10% do seu tráfego for proveniente de pesquisa orgânica, você já sabe que, provavelmente, precisará gastar algum tempo revendo sua estratégia de SEO para aumentar essa porcentagem.

Com o marketing offline, é muito difícil dizer como as pessoas estão interagindo com a sua marca antes de haver o contato com um vendedor ou a efetivação de uma compra.

No marketing digital, você pode identificar tendências e padrões no comportamento das pessoas antes mesmo de elas chegarem à fase final da jornada do comprador, o que significa que você pode tomar decisões mais informadas sobre como atraí-las para o seu site no topo do funil de marketing.

Desempenho do conteúdo e geração de leads

Imagine que você tenha criado um folheto de produto e o enviado pelo correio. Esse folheto é uma forma de conteúdo, embora seja offline. O problema é que você não tem ideia de quantas pessoas abriram o seu material ou quantas pessoas o mandaram diretamente para a lata de lixo.

Agora, imagine que, em vez disso, você tivesse esse folheto no seu site. É possível medir exatamente quantas pessoas visualizaram a página onde ele está hospedado e quanto tempo gastaram nela, além de, usando formulários, coletar dados de contato de quem faz o download.

Também dá para medir quantas pessoas estão se envolvendo com o seu conteúdo, sem falar que você também está gerando leads qualificados quando as pessoas fazem o download.

Modelagem de atribuição

Uma estratégia de marketing digital eficaz combinada com as ferramentas e tecnologias certas permite que você rastreie todas as suas vendas, desde o primeiro ponto de contato digital do cliente com a sua empresa.

Chamada de modelagem de atribuição, essa estratégia permite identificar tendências na forma como as pessoas pesquisam e compram o seu produto. Ela ajuda a tomar decisões mais informadas sobre quais partes da sua estratégia de marketing merecem mais atenção e quais partes do seu ciclo de vendas precisam ser ajustadas.

Estabelecer uma ligação entre marketing e vendas é extremamente importante. De acordo com o Aberdeen Group, empresas com um forte alinhamento entre vendas e marketing alcançam uma taxa de crescimento anual de 20%, em comparação com uma queda de 4% na receita para empresas com baixo alinhamento.

Então, se você puder melhorar a jornada do seu cliente por meio do ciclo de compra usando tecnologias digitais, é muito provável que isso terá reflexos positivos nos resultados finais da sua empresa.

Quais tipos de conteúdo digital devo criar?

O tipo de conteúdo que você vai criar depende das necessidades do seu público em diferentes fases da jornada do comprador. Você deve começar criando buyer personas, seja fazendo por conta própria ou usando modelos gratuitos. 

Isso ajudará a identificar quais são os objetivos e os desafios do seu público em relação ao negócio. Em um nível básico, seu conteúdo online deve ter como intuito ajudar os clientes em potencial a atingir esses objetivos e superar seus desafios.

Então, você precisará pensar em quando eles estarão mais propensos a consumir esse conteúdo, de acordo com a fase em que estão na jornada do comprador. Chamamos isso de mapeamento de conteúdo.

Com o mapeamento, podemos direcionar o conteúdo de acordo com:

  • as características da pessoa que vai consumi-lo (é aí que entram as buyer personas);
  • quão perto essa pessoa está de fazer uma compra (ou seja, o estágio da jornada).

Quanto ao formato do seu conteúdo, há muitas possibilidades para experimentar. Confira algumas opções que recomendamos usar em cada fase da jornada do comprador.

Fase de conhecimento

  • Posts do blog: ótimos para aumentar seu tráfego orgânico, quando combinados com uma forte estratégia de SEO e palavras-chave.
  • Infográficos: os infográficos são muito compartilháveis, o que significa que eles aumentam suas chances de ser encontrado por meio das mídias sociais, quando outras pessoas compartilham o seu conteúdo.
  • Vídeos curtos: também são muito compartilháveis e podem ajudar sua marca a ser encontrada por novos públicos, quando hospedados em plataformas como o YouTube.

Fase de consideração

  • E-books: indicados para geração de leads, pois costumam ser mais abrangentes do que um post do blog ou infográfico. Isso significa que é mais provável que alguém forneça informações de contato em troca desse tipo de conteúdo.
  • Relatórios de pesquisa: essa também é uma peça de conteúdo de alto valor e que é ótima para a geração de leads. Relatórios de pesquisa e novos dados do seu setor também podem funcionar para a fase de conhecimento, pois costumam receber atenção da mídia ou da imprensa do setor.
  • Webinars: por serem uma forma mais detalhada e interativa de conteúdo de vídeo, os webinars são um formato eficaz para a fase de consideração. Oferecem conteúdo mais abrangente do que um post do blog ou um vídeo curto.

Fase de decisão

  • Estudos de caso: ter estudos de caso detalhados no site pode ser uma forma eficaz de conteúdo para aqueles que estão prontos para tomar uma decisão de compra. Ajudam a influenciar positivamente essa decisão.
  • Depoimentos: se os estudos de caso não forem uma opção adequada para a sua empresa, uma boa alternativa são os depoimentos curtos. Para B2C, pense nos depoimentos com um pouco mais de flexibilidade. Para uma marca de roupas, por exemplo, podem ser fotos de como as pessoas montaram looks, extraídas de uma hashtag de marca.

Quanto tempo vai demorar para eu ver os resultados do meu conteúdo?

Com o marketing digital, é comum você sentir que pode ver resultados muito mais rápido do que com o marketing offline, devido ao fato de ser mais fácil medir o ROI. No entanto, isso depende, em última análise, da escala e da eficácia da sua estratégia de marketing digital.

Se você dedicar tempo à criação de buyer personas abrangentes para identificar as necessidades do seu público, além de se concentrar na criação de conteúdo online de qualidade para atraí-las e convertê-las, é provável que veja bons resultados nos primeiros seis meses.

Se a publicidade paga fizer parte da sua estratégia digital, os resultados virão ainda mais rapidamente, mas é recomendado que você se concentre em criar um alcance orgânico (ou gratuito) usando conteúdo, SEO e mídia social, para obter sucesso sustentável em longo prazo.

Eu preciso de um orçamento grande para o marketing digital?

Isso é muito relativo, pois depende de quais elementos do marketing digital você quer adicionar à sua estratégia. Existem alguns que são praticamente gratuitos, dependendo apenas do seu tempo e dedicação, enquanto outros exigem um orçamento em dinheiro.

Se você se concentrar nas técnicas inbound, como SEO, mídia social e criação de conteúdo para um site preexistente, a boa notícia é que você não precisa de muita verba, uma vez que são ações que pode realizar por conta própria.

Com o inbound marketing, o foco principal está na criação de conteúdo de alta qualidade, que o seu público vai querer consumir. Nesse caso, a menos que você esteja planejando terceirizar o trabalho, o único investimento necessário será o seu tempo.

Você pode começar hospedando um site e criando conteúdo com o CMS da HubSpot. Quem está trabalhando com orçamento apertado pode usar o WordPress hospedado no WP Engine e um tema simples do StudioPress.

Com técnicas outbound, como publicidade online e compra de listas de e-mail, há alguma despesa. O custo disso se resume ao tipo de visibilidade que você deseja receber como resultado da publicidade.

Por exemplo, para implementar PPC usando o Google Ads, você dará lances contra outras empresas do seu setor para aparecer no topo dos resultados de pesquisa do Google para palavras-chave associadas ao seu negócio.

Dependendo da competitividade da palavra-chave, isso pode ser razoavelmente acessível ou muito caro. É por isso que uma boa ideia é se concentrar, também, no desenvolvimento do seu alcance orgânico.

Como o marketing móvel se encaixa na minha estratégia de marketing digital?

Outro componente importante do marketing digital é o marketing móvel (mobile). Afinal, no Brasil, 59% dos internautas usam exclusivamente o smartphone para acessar a internet. Isso significa que é essencial otimizar seus anúncios digitais, páginas da web, imagens de mídia social e outros ativos digitais para dispositivos móveis.

Se sua empresa tem um app para dispositivos móveis que possibilita que os usuários se envolvam com sua marca ou comprem seus produtos, seu app também se encaixa no conceito de marketing digital.

As pessoas que se envolvem com sua empresa por meio de dispositivos móveis precisam ter a mesma experiência positiva que teriam no computador. Isso significa implementar um site com design responsivo ou otimizado para dispositivos móveis, para tornar a navegação fácil para quem usa o celular.

Também pode ser necessário "enxugar" um pouco seus formulários de geração de leads, para criar uma experiência do usuário livre de problemas para quem baixar seu conteúdo na plataforma móvel.

Quanto às suas imagens de mídia social, é importante pensar sempre no usuário móvel ao criá-las. Isso, porque as dimensões das imagens são menores nos dispositivos móveis, o que significa que o texto pode ficar cortado.

Há muitas maneiras de otimizar seus ativos de marketing digital para usuários de celulares, tablets e afins. Na implementação de qualquer estratégia de marketing digital, é importantíssimo considerar como a experiência será transportada para o celular.

Ao garantir que isso seja sempre prioridade, você estará criando experiências digitais que funcionarão para o seu público e, consequentemente, alcançará os resultados esperados.

Estou pronto para experimentar o marketing digital. E agora?

Se você já está trabalhando com marketing digital, é provável que esteja alcançando, pelo menos, alguns segmentos do seu público online. No entanto, você talvez possa citar algumas áreas da sua estratégia que poderiam melhorar um pouco.

Então, aproveite todas as dicas que deixamos para você neste artigo, mas não se esqueça de adequar cada uma delas à realidade do seu negócio. Não existe uma receita pronta. Precisamos conhecer os recursos e ferramentas do marketing digital para que sejam aplicados de forma adequada para nossa empresa.

Sendo assim, nem tudo que funciona para um vai funcionar para o outro. Por isso, estude e aprimore sempre os seus conhecimentos. Fique de olho nas tendências de mercado e nas mudanças dos hábitos e comportamentos do consumidor. Afinal, as estratégias devem ser alinhadas de forma constante, observando os resultados que estão sendo alcançados.

Desse jeito, o seu marketing digital estará sempre alinhado com aquilo que o público está procurando, e você vai colocar o seu negócio em evidência na internet e alcançar o seu público. Ao tornar a sua marca atrativa para ele, vai vender cada vez mais!

Precisa de mais conteúdos sobre marketing digital? A gente tem muita informação interessante para compartilhar com você. Assine nossa newsletter para receber as novidades no seu e-mail!

New Call-to-action

Originalmente publicado 27/08/2019 09:00:00, atualizado Junho 23 2021

Temas:

Marketing de conteúdo