A otimização do mecanismo de pesquisa (SEO) é incrivelmente importante para os profissionais de marketing. Quando você otimiza suas páginas da Web, incluindo seus posts do blog, está tornando seu site mais visível para as pessoas que estão procurando palavras-chave associadas à sua marca, produto ou serviço por meio de mecanismos de pesquisa como o Google.

Mas ela pode ser uma tática bem complicada de dominar com as frequentes atualizações de algoritmo do Google.

<< Adicione mensagens instantâneas ao seu site >>

Como você sabe o que é importante e o que não é? Quais são as práticas recomendadas de SEO para blog de hoje e o que é considerado antiquado? Como você pode manter tudo em ordem?

Compreendemos que a confusão é um problema comum enfrentado por profissionais de inbound marketing e queremos ajudar. Neste post, mostraremos como otimizar seus posts de blog para as palavras-chave que são relevantes para você, além de algumas outras táticas de otimização para se ter em mente.

Observe que essa lista não cobre todas as táticas de SEO que existem. Ao contrário, essas dicas têm a finalidade de iniciá-lo no aprimoramento do SEO para seu blog em particular.

O SEO pode ser confuso. Ouça Matt Barby e Victor Pan da HubSpot esclarecendo alguns pontos:

Clientes da HubSpot: para ver dicas de otimização de SEO específicas para seus posts individuais, cliquem no ícone de gráfico no lado esquerdo do editor do blog quando estiverem trabalhando no post para acessar a tela de otimização de SEO.

otimize-post-hubspot

Se não for cliente, você poderá usar estas dicas como uma espécie de lista de verificação enquanto escreve seu no blog.

(Quer saber mais sobre criação de conteúdo, estratégia e promoção? Inscreva-se aqui e seja o primeiro da fila para assistir ao nosso novo curso de certificação em marketing de conteúdo.)

Como otimizar o conteúdo do seu blog para mecanismos de pesquisa

1) Concentre-se em uma ou duas palavras-chave de cauda longa.

Otimizar seus posts de blog para palavras-chave não significa incorporar tantas palavras-chave nos posts quanto possível. Na verdade, isso vai acabar prejudicando o seu SEO porque os mecanismos de pesquisa vão pensar que você está abusando das palavras-chave (ou seja, incluindo suas palavras-chave tanto quanto possível com o único propósito de subir na classificação da pesquisa orgânica).

Mas isso não é legal com os mecanismos de pesquisa, nem proporciona uma experiência de leitura muito boa. Em vez disso, você deve usar palavras-chave em seu conteúdo de maneira que não pareça artificial ou forçado.

Uma boa regra é se concentrar em uma ou duas palavras-chave por post do blog. Isso ajudará a mantê-lo concentrado em uma meta para seu post. Embora você possa usar mais de uma palavra-chave em um único post, mantenha o foco do post estreito o suficiente para permitir que você invista seu tempo realmente otimizando apenas uma ou duas palavras-chave.

O uso de palavras-chave de cauda longa pode ser mais eficiente para esse fim, pois visitantes do site que pesquisam termos de cauda longa frequentemente serão mais qualificados. Em outras palavras, você trará o tipo certo de tráfego (visitantes que convertem) usando palavras-chave de cauda longa.

2) Inclua essas palavras-chave em partes específicas do seu post.

Agora que você tem uma ou duas palavras-chave, é hora de incorporá-las em seu post do blog. Quais são as melhores partes de seus posts para incluir esses termos e obter uma boa classificação nos resultados de pesquisa?

Há quatro locais essenciais onde você deve tentar incluir suas palavras-chave: título, cabeçalhos e corpo, URL e metadescrição.

Título

O título do seu post do blog será a primeira etapa de um mecanismo de pesquisa e de um leitor para determinar a relevância de seu conteúdo; portanto, incluir uma palavra-chave aqui é vital.

Inclua sua palavra-chave dentro dos primeiros 65 caracteres do seu título, que é mais ou menos onde o Google faz o corte nas páginas de resultados do mecanismo de pesquisa (SERPs). Tecnicamente, o Google mede por largura de pixel, não por contagem de caracteres e recentemente aumentou a largura dos pixels para resultados de pesquisa orgânica de cerca de 500 pixels para cerca de 600 pixels, o que dá mais ou menos 65 caracteres.

Título longo? Quando você tem um título extenso, é uma boa ideia colocar sua palavra-chave no começo, já que ele pode ter o fim cortado nas SERPs, o que pode prejudicar a relevância percebida do post. No exemplo abaixo, tínhamos um título longo com mais de 65 caracteres, então já começamos com a palavra-chave que estávamos usando para obter uma boa classificação: "SEO na página".

otimize-titulo-blog

Cabeçalhos e corpo

Mencione sua palavra-chave em uma cadência normal em todo o corpo do post e nos cabeçalhos. Isso significa incluir suas palavras-chave no texto, mas apenas de maneira natural e favorável ao leitor. Não exagere para não correr o risco de ser penalizado por abuso de palavras-chave. Antes de começar a escrever um novo post, você provavelmente pensará em como incorporar suas palavras-chave no post do blog. Essa é uma ideia inteligente, mas não deve ser seu único foco, nem mesmo seu foco principal.

Sempre que você cria conteúdo, seu foco principal deve ser o que interessa ao seu público, não quantas vezes você pode incluir uma palavra-chave ou uma frase de palavra-chave nesse conteúdo. Concentre-se em ser útil e responder a qualquer pergunta que seu cliente possa ter feito para chegar ao seu post. Faça isso e você acabará fazendo uma otimização natural para palavras-chave importantes de qualquer maneira.

URL

Os mecanismos de pesquisa também examinam sua URL para descobrir sobre o que é o seu post, e isso é uma das primeiras coisas que eles rastreiam em uma página. Você tem uma enorme oportunidade de otimizar suas URLs em cada post que publica, pois cada um deles reside em sua própria e exclusiva URL. Assim, inclua suas palavras-chave nela.

No exemplo abaixo, criamos a URL usando a palavra-chave de cauda longa que estávamos tentando para obter uma boa classificação: "exemplos de e-mail marketing".

otimize-URL

Metadescrição

Posteriormente neste post explicaremos as metadescrições mais a fundo. Sua metadescrição tem como objetivo fornecer informações aos mecanismos de pesquisa e aos leitores sobre o conteúdo do seu post de blog. Assim, use seu termo de cauda longa para que o Google e o seu público saibam com clareza qual é o conteúdo do post. Ao mesmo tempo, lembre-se de que o texto é muito importante para as taxas de cliques: quanto mais envolvente, melhor.

3) Seu blog deve ser otimizado para dispositivos móveis.

Já faz algum tempo desde que o Google revelou que mais pessoas usam o mecanismo de pesquisa em seus celulares do que em computadores. E para todas essas valiosas consultas de pesquisa feitas em celulares, o Google exibe os resultados otimizados para dispositivos móveis primeiro. Esse é mais um exemplo de como o Google favorece fortemente os sites otimizados para dispositivos móveis, o que é verdade desde que o algoritmo foi atualizado para fazê-lo em abril de 2015.

Embora um design responsivo e sites otimizados para dispositivos móveis sempre tenham sido importantes para a experiência do usuário, eles também estão se tornando cada vez mais importantes para o SEO. Então, se você não tem se concentrado em melhorar sua experiência em dispositivos móveis, é melhor priorizá-la agora ou suas classificações nas pesquisas podem ser prejudicadas.

(Clientes da HubSpot: não se preocupem. Todo o conteúdo criado na plataforma da HubSpot é automaticamente responsivo para dispositivos móveis.)

Se o seu site usar um design responsivo, as páginas do seu blog terão apenas uma URL em vez de duas diferentes, para desktop e celular, respectivamente. Isso ajuda o SEO do seu post, pois qualquer link de inbound que retornar ao seu site não ficará dividido entre as URLs separadas. Qualquer benefício do SEO obtido com esses links será centralizado, ajudando o Google a reconhecer mais facilmente o valor do seu post e classificá-lo corretamente.

Dica profissional: o que os mecanismos de pesquisa valorizam está sempre mudando. Acompanhe essas mudanças assinando o blog oficial do Google.

4) Otimize a metadescrição.

Para relembrar, a metadescrição é o texto adicional que aparece nas SERPs e que permite aos leitores saber do que trata o link. A metadescrição dá aos usuários da pesquisa as informações de que eles precisam para determinar se o seu conteúdo é o que eles estão procurando e, por fim, os ajuda a decidir se vão clicar ou não.

Além de ser de fácil leitura (atraente e relevante), sua metadescrição deverá incluir a palavra-chave de cauda longa com a qual você está tentando obter uma boa classificação, pois, se você estiver fazendo o blog corretamente, essa palavra-chave será representativa do conteúdo do seu post.

otimize-descricao-meta

No exemplo acima, pesquisei "exemplos de informativo". O termo está em negrito na meta descrição, ajudando os leitores a fazer a conexão entre o termo de pesquisa e o resultado, e o texto "inspire-se" chama a atenção e atrai cliques.

Observação: hoje em dia, não é garantido que sua metadescrição seja sempre incluída nas SERPs como era antes. Cada vez mais o Google extrai outras partes do seu post do blog que incluam as palavras-chave pesquisadas, presumivelmente para dar aos usuários um contexto ideal sobre como o resultado corresponde à sua consulta específica.

Deixe-me mostrar o que quero dizer. Veja abaixo um exemplo de duas consultas de pesquisa diferentes que fornecem dois trechos de texto diferentes nas SERPs do Google. O primeiro é um resultado da consulta "no index no follow" e extrai a metadescrição original:

meta-descricao

O segundo é um resultado da consulta "noindex nofollow" e extrai a primeira instância dessas palavras-chave específicas surgindo no corpo do post do blog:

meta-descricao

Embora não haja muito o que fazer para influenciar o texto que é extraído, continue a otimizar seu post para facilitar a leitura (veja acima). Ao criar um conteúdo fácil de ler com a inclusão natural de palavras-chave, será mais fácil para o Google provar a relevância do seu post nas SERPs para você.

5) Otimize suas imagens

Posts de blog não devem conter apenas texto. Você também deve incluir imagens que ajudem a explicar seu conteúdo. Porém, os mecanismos de pesquisa não procuram apenas imagens. Em vez disso, eles procuram imagens com texto alternativo.

Como os mecanismos de pesquisa não podem "ver" as imagens da mesma forma que os humanos, o texto alternativo informa sobre o que é a imagem, o que contribui para que ela seja encontrada na pesquisa. O texto alternativo também ajuda a proporcionar uma melhor experiência do usuário, pois será exibido dentro do contêiner da imagem quando esta não puder ser encontrada ou exibida e também poderá melhorar a acessibilidade para pessoas com deficiência visual que estejam usando leitores de tela.

Tecnicamente, o texto alternativo é um atributo que pode ser adicionado a uma marca de imagem em HTML. Veja como pode ser uma marca de imagem completa (negrito adicionado para ênfase):

alt="descrição-imagem" title="dica de ferramenta da imagem">

Adicionar palavras-chave ao seu texto alternativo pode parecer uma coisa pequena e que não vai afetar suas classificações de pesquisa tanto quanto outras coisas nesta lista. Mas vale o minuto extra que você investe para mudar o nome de "IMG23940" para algo preciso e descritivo como "filhotes-brincando-no-cesto":

filhotes-brincando-no-cesto

Leia este post do blog para ver mais dicas de SEO na página para otimização de palavras-chave nas partes mais importantes do seu site.

Clientes da HubSpot: o Painel de SEO reconhecerá se você otimizou ou não suas imagens. Embora esses elementos não sejam tão importantes quanto outras otimizações, eles ainda são necessários (além de serem fáceis de adicionar).

imagens-painel-seo

6) Não use muitas marcas de tópico similares.

As marcas de tópico podem ajudar a organizar o conteúdo do seu blog, mas se você exagerar, podem ser prejudiciais. Se tiver muitas marcas similares, você poderá ser penalizado pelos mecanismos de pesquisa por ter conteúdo duplicado.

Pense nisso desta maneira: quando você cria uma marca de tópico, cria também uma nova página do site onde o conteúdo dessas marcas de tópico aparecerá. Se usar muitas marcas similares para o mesmo conteúdo, os mecanismos de pesquisa perceberão isso como se você estivesse mostrando várias vezes o conteúdo em seu site. Por exemplo, marcas de tópico como "blogging", "blog" e "posts de blog" são muito similares entre si para serem usadas no mesmo post.

Se estiver preocupado com a possibilidade de seus posts do blog atuais terem muitas marcas similares, elimine o excesso. Escolha cerca de 15 a 25 marcas de tópico que você considera importantes para o seu blog e que não sejam muito parecidas entre si. Então, marque seus posts apenas com essas palavras-chave. Assim, você não terá de se preocupar com conteúdo duplicado.

7) Use estruturas de URL que ajudem seus visitantes.

A estrutura de URL de suas páginas da Web (que são diferentes das URLs específicas dos seus posts) deve facilitar a compreensão da estrutura do seu site e do conteúdo que os visitantes estão prestes a ver. Os mecanismos de pesquisa favorecem as URLs de páginas da Web que facilitam para que eles e os visitantes do site entendam o conteúdo da página.

Essa diferenciação é incorporada nas respectivas estruturas de URL dos blogs da HubSpot. Se eu decidir ir para a seção de Marketing a partir desta página principal, serei levado para a URL http://blog.hubspot.com/marketing. Se quisermos ler a seção de Vendas, basta mudar onde diz "marketing" na URL para "sales": http://blog.hubspot.com/sales. Essa estrutura de URL me ajuda a entender que "/marketing" e "/sales" são seções menores dentro do blog maior.

E se houver um artigo específico que quisermos ler? Talvez "Como pesquisar por palavra-chave: um guia para iniciantes"? Sua estrutura de URL http://blog.hubspot.com/marketing/how-to-do-keyword-research-ht mostra que esse é um artigo da seção de Marketing do blog.

Dessa forma, a estrutura de URL age como um sistema de categorização para os leitores, permitindo que saibam onde estão no site e como acessar novas páginas do site. Os mecanismos de pesquisa apreciam isso, pois os ajuda a identificarem exatamente quais informações as pessoas que pesquisam acessarão em diferentes partes do seu blog ou site.

Obtenha mais práticas recomendadas para estrutura de URL da Moz aqui.

8) Crie links internos quando possível.

Links de inbound para seu conteúdo ajudam a mostrar aos mecanismos de pesquisa a validade ou relevância do seu conteúdo. O mesmo vale para links internos para outras páginas no seu site. Se você escreveu sobre um tópico que é mencionado em seu post do blog em outro post, e-book ou página da Web, é uma prática recomendada criar um link para essa página.

Talvez você tenha notado que fiz isso de vez em quando ao longo deste post quando acho que é útil para nossos leitores. Além de seus links internos ajudarem a manter os visitantes em seu site, eles também expõem suas outras páginas relevantes e com autoridade aos mecanismos de pesquisa.

Clientes da HubSpot: o Painel de SEO sugere automaticamente os links para outros recursos internos no seu site. Pense nisso como uma solução para o seu SEO, ao mesmo tempo em que ajuda seus visitantes a obter mais informações do seu conteúdo.

links-painel-seo-hubspot

Se você está procurando mais links internos para adicionar ao seu post, mas não sabe ao certo quais seriam relevantes, clique em "Explore alguns links internos que você pode usar neste post" para obter uma lista de recomendações.

9) Use o Search Console do Google.

O Search Console gratuito do Google contém uma seção chamada Relatório de Search Analytics. Esse relatório ajuda você a analisar os cliques da Pesquisa Google e é útil para determinar quais palavras-chave as pessoas estão usando para encontrar o conteúdo do seu blog. Saiba como usá-lo lendo este post do blog escrito pelo meu colega Matthew Barby e consultando a página de suporte oficial do Google aqui.

Se estiver interessado em otimizar seus posts do blog mais antigos de melhor desempenho para tráfego e leads como temos feito desde 2015, essa ferramenta ajudará a identificar o que está mais acessível.

console-pesquisa

Muitos profissionais de marketing de conteúdo enfrentam dificuldades para otimizar seus posts de blog para pesquisas. A verdade é que seus posts não vão começar a aparecer nas melhores classificações imediatamente. Leva tempo para criar uma autoridade de pesquisa. No entanto, quando você publica posts de blog com frequência e os otimiza consistentemente para pesquisa, mantendo uma experiência de fácil leitura, é recompensado na forma de tráfego e leads no longo prazo.

10) Use agrupamentos de tópicos.

Da maneira como a maioria dos blogs é estruturada atualmente (incluindo nossos próprios blogs, até bem recentemente), blogueiros e SEOs têm trabalhado para criar posts de blog individuais que apareçam nas classificações para palavras-chave específicas. O resultado é desorganizado e é difícil para o usuário encontrar as informações exatas de que precisa. Tem como consequência também suas próprias URLs competindo umas contra as outras nas classificações dos mecanismos de pesquisa quando você produz vários posts sobre tópicos semelhantes. Veja como era nossa arquitetura de blog usando este antigo manual:

marketing-agencia-vendas

Agora, para obter uma classificação na pesquisa e responder melhor aos novos tipos de consultas que os usuários estão enviando, a solução será usar o modelo de agrupamento de tópicos: escolha os tópicos gerais para os quais deseja ser classificado e crie conteúdo com base em palavras-chave específicas relacionadas a esse tópico, todas vinculadas entre si, para criar uma autoridade mais ampla para o mecanismo de pesquisa. Usando esse modelo, a nossa infraestrutura de blog está assim agora, com tópicos específicos cercados por posts de blog relacionados ao tópico, conectados a outras URLs no agrupamento por meio de hiperlinks:

agrupamento-hiperlinks

Esse modelo usa uma arquitetura de site mais deliberada para organizar e vincular URLs, com o objetivo de ajudar mais páginas do seu site a aparecer na classificação do Google, além de ajudar os usuários a encontrar informações no seu site com mais facilidade. Essa arquitetura consiste em três componentes: conteúdo pilar, conteúdo do cluster e hiperlinks:

clusters-hiperlinks-conteudo

Sabemos que esse é um conceito relativamente novo, portanto, para saber mais detalhes, confira nossa pesquisa sobre o tópico ou o vídeo abaixo.

 

Ferramenta gratuita 

 Conheça 104 mitos sobre o e-mail para download gratuito E
 F

Originalmente publicado 12/09/2018 08:00:00, atualizado Setembro 12 2018