21 min remaining

O conteúdo é o rei. Sim, o conteúdo é um compromisso — ou mesmo a razão das buscas na internet terem começado. Não importa como as pessoas se refiram a ele: o fato é que o Marketing de Conteúdo é uma necessidade básica para ir além da sobrevivência e garantir a escalabilidade dos negócios.

Guia Gratuito

Tudo o que você precisa saber para gerar conteúdo de valor e ampliar e relacionamento

Aprenda como fazer marketing de conteúdo com esse guia completo

Para se ter uma ideia, existem mais de 500 milhões de blogs. Uma quantidade absurda de conteúdo, não acha? Mas nem todo Marketing de Conteúdo é construído da melhor forma. Por isso, é importante entender como aderir a essa estratégia e conversar com o público certo e da maneira certa.

Um bom trabalho começa pela percepção de qual conteúdo funciona melhor para cada estratégia. Afinal, não é porque todo mundo está fazendo determinada coisa que você também deve. As decisões precisam ser tomadas pensando, principalmente, no que o seu consumidor gostaria mais de consumir.

Tem interesse pelo assunto? Continue, então, a leitura deste guia para saber como o Marketing de Conteúdo pode impulsionar os resultados da sua empresa!

Nessa estratégia, o grande valor está na atenção. Você publica conteúdo de qualidade na internet — em blogs, no YouTube ou via e-mail, por exemplo — e gera interesse em pessoas que têm potencial para serem consumidores da sua marca. Com a atenção delas, fica mais fácil construir um relacionamento de confiança e fazê-las avançarem no funil de conversão.

No longo prazo, você também fideliza os clientes e melhora os números referentes ao seu faturamento. Não é à toa que 91% dos profissionais de marketing B2B apostam no conteúdo.

Outro fator que você deve considerar é a atração espontânea. O Marketing de Conteúdo ajuda o público-alvo a chegar até você sem a necessidade de utilizar propagandas invasivas, que podem até espantar e fazer com que os clientes desistam de vez de uma marca.

[Baixe agora] O guia definitivo para criar uma estratégia de marketing de  conteúdo

Como é a estratégia de Marketing de Conteúdo?

Algumas etapas precisam ser consideradas no momento da criação de uma estratégia de Marketing de Conteúdo. Falamos mais sobre o assunto a seguir. Veja!

Planejamento

O sucesso da estratégia começa com um bom planejamento. Por isso, é fundamental entender com clareza os objetivos do seu negócio e, ainda, o que você pretende conquistar com a criação e veiculação de conteúdo.

Esse, então, é o momento de descobrir o que postar e quando postar. Defina ações e seus respectivos responsáveis e, claro, estruture um calendário editorial que tenha tudo a ver com a jornada de compra.

Elaboração da persona

A persona é a representação do cliente ideal para o seu negócio. Para elaborá-la, considere:

  • idade, gênero e localização do seu público-alvo;
  • escolaridade e profissão;
  • hábitos de compra;
  • redes sociais mais utilizadas;
  • objetivos, desafios e obstáculos;
  • estilo de vida e personalidade.

Criação de conteúdo

A criação de conteúdo fica mais fácil com a definição do calendário editorial, como mencionamos. Além de escrever as postagens para o blog, você precisa investir nos seguintes formatos:

  • vídeos;
  • lives;
  • infográficos;
  • cases de sucesso;
  • e-books;
  • podcast;
  • quizzes;
  • newsletter;
  • white papers.

Uma dica é considerar os conteúdos que estimulam a participação direta do público-alvo. A live no Instagram, por exemplo, é uma boa pedida para falar com a audiência e aumentar a visibilidade do seu negócio, entre outros benefícios bacanas.

Distribuição

A distribuição faz toda a diferença na estratégia de Marketing de Conteúdo. E, ao criar a persona do seu negócio, você consegue definir esses canais de forma mais acertada.

Considere, então, os canais de distribuição onde o seu cliente realmente está. Se não existe presença dele no Twitter, por exemplo, talvez não valha a pena criar um perfil na rede, não acha? Lembre-se de que é importante concentrar as suas forças nos canais certos.

Mensuração de resultados

Impossível falar de Marketing de Conteúdo e deixar de lado a mensuração de resultados. Afinal, é nessa etapa que você consegue entender o que está ou não funcionando e redirecionar a sua estratégia, caso seja necessário.

Um software especializado em marketing e vendas pode ajudar você a controlar as métricas dos seus conteúdos com eficácia, sabia? Falaremos mais sobre os benefícios dessa solução ainda neste post.

Aprenda a usar conteúdo dinâmico e melhore suas interações com clientes

1 - Blogposts

Os blogposts são, certamente, os mais famosos tipos de conteúdo. Há quem pense, aliás, que eles são o único, de tão relevantes. Nesse formato, a ideia é entregar, por meio de textos atrativos, as percepções sobre os produtos, o mercado e assuntos que interessam ao consumidor.

Cada blogpost tem um objetivo e está posicionado em determinada etapa do funil. Essa distribuição funciona mais ou menos assim:

  • Conteúdos de topo: tratam de assuntos variados dentro do campo de interesse da persona. Contêm palavras-chave desses assuntos e têm a proposta de captar atenção e, em alguns casos, ajudar a persona a identificar problemas que, até então, não sabia que tinha;
  • Conteúdos de meio: abordam as dores que a persona tem. São conteúdos mais aprofundados e que começam a gerar uma maior conexão com o lead, pois falam da dor e mostram que há solução;
  • Conteúdos de fundo: são os mais incisivos, falando de forma direta sobre a solução/produto da empresa, o colocando como capaz de solucionar a dor do lead, gerando a venda.

2 - Vídeos

Não é nenhum segredo que os vídeos são, hoje, o tipo de conteúdo mais consumido na internet. Com as possibilidades de otimizá-los para ranquear no Google (por meio de técnicas de SEO), é ainda mais interessante apostar nesse formato para captar atenção e gerar conversões.

Os vídeos podem seguir a mesma distribuição que os blogposts em termos de etapas do funil. Eles são uma forma diferente de apresentar as soluções e passar pelas dores do usuário.

3 - Materiais ricos

Os materiais ricos são conteúdos mais aprofundados sobre determinado assunto relevante para o consumidor. São sempre abordagens mais técnicas e completas, capazes de responder dúvidas e se conectar diretamente com a dor da persona, gerando grande interesse a captando atenção.

Esses materiais podem ser infográficos, webinars, whitepapers e, os mais famosos, e-books. Se você puder diversificar os formatos da sua entrega, sem dúvida a estratégia ficará ainda mais rica!

4 - E-mail marketing

As estratégias de e-mail garantem a entrega de conteúdo no timing certo e, o melhor: levando o conteúdo certo pro lead certo. A segmentação é essencial pra gerar interesse e conversões. E nesse trabalho, as newsletters e os fluxos de nutrição são importantes.

As newsletters de conteúdo são um ótimo formato para manter um contato regular com leads e, com paciência, transformá-los em clientes. Regularmente, elas são disparadas por e-mail para diferentes bases.

Há sempre boas oportunidades de conectar o conteúdo das newsletters a oportunidades de vendas. O que faz mesmo a diferença, aqui, é abordar temas relevantes para aquela base, garantindo que ela se mantenha engajada com a newsletter.

Os fluxos de conteúdo são sequências de e-mail programadas pra entregar sugestões de leituras de conteúdos de acordo com a progressão do lead no funil. Você consegue monitorar a taxa de abertura e o interesse dessas pessoas. Conforme isso se concretiza, as oferta avançam até chegar aos conteúdos de fundo, mais incisivos e com foco em venda.

Por que inserir o Marketing de Conteúdo na sua estratégia digital?

Conteúdos, sobretudo os digitais, são peças bastante compartilháveis. Vai dizer que você nunca compartilhou um texto de blog que considerava ser útil para outras pessoas ou que tenha impactado a sua vida? Muita gente faz isso, por isso, é mais fácil que a sua marca consiga chegar a novos e potenciais clientes.

Além disso, vivemos em uma era com muito acesso à informação e que transformou a nossa forma de comprar. É comum, por exemplo, fazer pesquisas on-line antes de comprar produtos em uma loja física. Ler, ainda, opiniões de outros compradores ou mesmo posts pela web.

 

Quais são os benefícios do Marketing de Conteúdo?

As vendas são o fim, não os meios. Para chegar até elas é preciso passar por uma série de etapas e conversões menores. Quando isso é conquistado, há bons retornos para o negócio, então, uma estratégia que consegue cumprir essas etapas é naturalmente eficaz.

Você sabia que cerca de 77% de usuários da web leem blogs todos os dias? Essa é uma realidade e um hábito que não serão mudados tão cedo, por isso, é fundamental se adaptar a esse cenário. e conquistar os benefícios que as estratégias de conteúdo proporcionam

Conheça algumas das principais a seguir!

Aumento do tráfego orgânico

Basicamente, há duas formas de ser encontrado on-line: ao pagar anúncios e atrair com rapidez os visitantes para um blog ou ao produzir conteúdos de qualidade, por meio de uma estratégia forte de SEO que faz a marca ser encontrada de maneira orgânica.

Em suma, o tráfego orgânico nada mais é do que um tráfego gratuito, no qual os buscadores ranqueiam os melhores posts a partir de boas práticas de SEO.

Estar nas primeiras posições é superimportante, já que 80% das pessoas ignoram resultados pagos em favor dos orgânicos. No longo prazo, o tráfego orgânico permite que o ROI de marketing cresça e o seu negócio seja encontrado de uma forma mais fácil.

Melhoria do engajamento com a marca

Um conteúdo bem produzido é uma boa maneira de engajar contatos, visitantes ou clientes de inúmeras formas. Além disso, a estratégia viabiliza a nutrição de leads. Isso porque postagens de redes sociais que sejam interativas e compartilháveis, por exemplo, permitem que outras pessoas tenham contato com o seu negócio.

Sem contar que ao criar uma campanha de e-mail marketing segmentada você consegue atingir leads e clientes, permitindo que eles deem um passo importante para uma possível nova conversão. Seja a compra em si ou um lead que se transforme em prospect.

Otimização na geração de leads

É importante ressaltar que a geração de leads é vital para garantir mais escalabilidade aos negócios. Caso contrário, você ficará vendendo sempre para as mesmas pessoas — e isso pode atrapalhar o crescimento da sua marca.

Quando você conhece a fundo os visitantes do seu blog e os seguidores dos seus perfis nas redes sociais, consegue produzir conteúdos que aceleram a geração e a maturação dos leads, como e-books, blog posts, quizzes etc.

Aqui vai uma dica essencial: saiba que é fundamental ter CTAs que permitam a educação do público e o guie para as próximas etapas. É importante, ainda, ter atenção aos formulários, que devem ter campos de acordo com a oferta para melhorar a conversão.

Redução do CAC

custo de aquisição de clientes (CAC) é um dado precioso para a saúde da sua campanha de marketing. Quando são utilizadas ações de Outbound, como propagandas em rádio e televisão, telemarketing e malas diretas, esse custo sobe bastante, se comparado ao das ações de Inbound.

Segundo a Invesp, os leads do Inbound custam até 61% menos. De modo geral, isso acontece porque o Inbound trabalha mais de maneira orgânica, sobretudo quando você age estrategicamente em relação ao SEO e trabalha peças engajadoras nas redes sociais.

Ainda assim, existem os custos de produção, a contratação de uma ferramenta de automação, o retargeting e os possíveis impulsionamentos nas redes sociais. Mas mesmo considerando tudo isso, os valores diminuem e podem ser diluídos ao longo das campanhas.

Construção de credibilidade e autoridade

O Marketing de Conteúdo permite que as organizações vão construindo mais credibilidade com peças originais e transmitindo autoridade no assunto. Nesse sentido, para blogs e redes sociais, os vídeos e textos assinados por especialistas da área são uma forma de mostrar que a sua marca domina um determinado assunto.

Fidelização dos clientes

Repare o exemplo da Netflix. Algumas peças de rede social são tão criativas e a favor do engajamento que o público faz questão de acompanhar a marca, interagindo e se divertindo com as ideias. Essa ação favorece a empresa no sentido da fidelização.

Para quem tem uma base sólida de clientes, por exemplo, o envio de conteúdos por meio de campanhas de e-mail marketing é uma forma de cuidado com os consumidores e de instigá-los a fazer novas aquisições.

Depois das compras, faça um acompanhamento para entender o quão satisfeitos os seus clientes ficaram. Aos poucos, envie novos materiais sobre possíveis usos da solução comprada ou sobre novos produtos. Ao fazer isso, é possível conquistar um ticket médio maior, além de ter um Lifetime Value (LTV) mais interessante.

Geração de leads

Alguém que consome o seu conteúdo pode ter interesse no que você vende. Só de acessar um texto seu, há um bom indicativo de que essa pessoa pode ser um cliente. A princípio, o que você consegue são leads. Esse é um ótimo ponto de partida e que pode ser conquistado com materiais ricos, por exemplo. Depois disso, é só qualificá-los!

Potencialização das vendas

Mais leads gerados, um bom volume de conteúdos para avançar com essas pessoas pelo funil e pronto, está estruturada uma estratégia para gerar vendas. É importante focar também na qualidade dos seus conteúdos, garantindo que eles tragam respostas e sejam relevantes. Essa é a "fórmula" para gerar cada vez mais conversões e o resultado que todos querem: vendas.

Quais são as etapas do Marketing de Conteúdo?

Toda estratégia de conteúdo precisa ser estruturada pensando no funil de conversão. Um conteúdo precisa estar dentro de uma etapa, tendo um objetivo muito claro. Do contrário, você até conseguirá atrair leads, mas não terá um fluxo definido de como ele vai progredir.

Está com dúvida sobre quais são essas etapas e como pensar os seus conteúdos dentro delas? Entenda melhor, a seguir, como elas funcionam!

Descoberta: topo de funil

A primeira etapa é quando o consumidor tem uma dor, mas nem mesmo sabe como solucioná-la. Ele vai chegar lá, mas antes, passa por conteúdos mais genéricos que esclarecem as suas dúvidas iniciais. Em alguns momentos, essa pessoa nem entende de forma exata qual é o seu problema, por isso, está em uma busca pouco específica e mais ampla. Os conteúdos, portanto, devem ser um guia.

Melhores conteúdos para esta etapa:

  • blogposts;
  • webinars;
  • vídeos.

Reconhecimento: meio de funil

Esses guias vão levar ao meio do funil, que vão tratar mais de uma forma mais clara do problema do consumidor. É aqui que ele entende a sua dor e reconhece que ela precisa de uma solução — que, em geral, já é apresentada nessa fase. Por exemplo, a HubSpot mostra que uma solução como o Marketing Hub é essencial para gerenciar e organizar estratégias de marketing.

Melhores conteúdos para esta etapa:

  • blogposts;
  • e-books;
  • podcasts
  • apresentações de slides;
  • infográficos.

Decisão: fundo de funil

No fundo do funil, o lead já sabe da sua dor, entende como resolvê-la, mas está na busca da solução certa para ela. Por isso, os conteúdos dessa etapa são incisivos e claros, citando qual é essa solução e direcionando o consumidor para a oferta do produto/serviço da marca. É aqui que as vendas são fechadas ou, pelo menos, começam a ser melhor direcionadas.

Melhores conteúdos para esta etapa:

  • cases de clientes;
  • ferramentas que solucionem a dor da persona;
  • depoimentos;
  • reviews de produtos (blogposts ou vídeos).

Como o Marketing de Conteúdo e o Inbound Marketing estão relacionados?

Pense no Inbound Marketing como uma estratégia mais ampla dentro do Marketing Digital. Ele permite que as pessoas sejam atraídas para uma marca de maneira ativa porque gostaram de uma postagem ou ouviram algum podcast interessante, por exemplo — e, em função disso, foram consumindo mais conteúdos e se tornando próximas da marca.

Nesse sentido, o Marketing de Conteúdo é um dos pilares do Inbound, que possibilita que o público vá consumindo conteúdos e entendendo mais sobre o produto ou serviço até que ele faça a aquisição em determinado momento.

Graças ao Inbound e à estratégia de conteúdo, a compra não passa a ser o último contato de um cliente com o seu negócio. É possível que ele siga sendo alimentado por mais peças informativas e sinta a necessidade de comprar mais, podendo até se tornar um defensor e promotor da sua marca. Já pensou?

Além do conteúdo, o Inbound tem outros pilares, como:

  • definição das buyer personas (use o Make My Persona, o gerador de buyer persona da HubSpot, pra te ajudar);
  • geração de tráfego;
  • geração e nutrição para converter leads;
  • análise e mensuração de resultados.

Inboundmarketingemarketingdeconteudo1

 

Como construir uma estratégia de Marketing de Conteúdo?

É simples se empolgar com o Marketing de Conteúdo, não é? Tanto que muita gente, ao ver os benefícios, sai postando textos e peças pela internet sem muito critério ou cuidado. Na prática, isso acaba sendo uma perda de tempo e de recursos. Então, antes de começar qualquer campanha, recomendamos que você analise alguns pontos importantes. Veja!

Entenda quais são os objetivos

Os objetivos são essenciais para indicar o caminho a ser trilhado na sua estratégia de Marketing de Conteúdo. Para isso, você pode realizar uma reunião de equipe para apontar quais são as necessidades primordiais, como melhores resultados em determinadas conversões, mais tráfego, mais brand awareness da marca, reposicionamento estratégico etc.

Caso o objetivo seja aumentar o tráfego, por exemplo, vale a pena produzir mais posts, entender os melhores horários e dias para divulgá-los, além de verificar quais redes sociais podem ser usadas na divulgação. Com isso em mente, já é possível traçar as etapas.

Defina as suas buyer personas

Um erro clássico do Marketing Digital é falar de forma genérica para atingir o máximo de gente possível. A verdade é que isso não dá certo. Afinal, quanto mais segmentado for o seu público, melhor será a comunicação. Essa ação é essencial para tornar a sua estratégia de Marketing de Conteúdo eficaz.

Lembra da persona? Como falamos, a construção da buyer persona é indispensável para ajudar você a entender quem são as pessoas que a sua marca busca atingir. Para isso, lembre-se de considerar dados de vendas e de leads, veja as interações nas redes sociais e vá construindo a persona com base em informações e dados concretos, que tenham a ver com o seu negócio.

Faça uma pesquisa de palavras-chave

Quando se trata de Marketing de Conteúdo, a pesquisa de palavras-chave é a melhor forma de entender quais são os temas mais relevantes para o público, além de perceber como a sua concorrência tem trabalhado. O destaque vai para o Google Trends, Google Keyword Planner, Ubersuggest e Semrush, ferramentas que podem ajudar você nessa tarefa.

As palavras-chave do tipo long tail (palavras-chave compostas por três, quatro ou cinco palavras) são mais específicas e podem gerar um tráfego mais qualificado. Para se ter uma ideia, uma pesquisa da Smart Insights mostrou que cliques em long tail são até 5% maior do que nas palavras genéricas. Já as head tails são bem mais concorridas e pedem que você explore muito o conteúdo para que apareça em boas posições.

Defina a sua brand voice

A brand voice define o tipo de linguagem da sua estratégia de Marketing de Conteúdo. Ou seja, são as palavras e o tom de voz que você vai usar na comunicação e, ainda, detalhes referentes a cores e design da sua marca.

Aqui, recomendamos que você tome cuidado com essas definições. Afinal, elas são fundamentais para que o público se sinta atraído e entenda que a comunicação é para ele, de fato. A definição das personas vai guiar essa etapa.

Trabalhe o SEO

Ah, o SEO! Um dos principais combustíveis do Marketing de Conteúdo, que fará com que diversas pessoas encontrem as suas peças e se interessem por elas. Para esta etapa, é importante seguir algumas recomendações, como:

  • fazer bom uso da palavra-chave ao longo do texto;
  • criar conteúdos ricos e originais;
  • trabalhar bem a escaneabilidade, incluindo heading tags e imagens;
  • considerar o carregamento rápido;
  • produzir conteúdo responsivo para o mobile.

Sobre o uso de imagens, saiba que os posts que têm mais de sete delas recebem até 116% mais tráfego orgânico do que aqueles que não tem. Por isso, opte por fotos coerentes e em bom número para o público que lê o seu blog.

Crie materiais para toda a jornada de compra

Pensando no funil de compras, é importante:

  • ter conteúdos mais genéricos e completos, sem mencionar marcas (fase de descobrimento);
  • produzir peças mais específicas, com opções de soluções (fase de consideração);
  • ter conteúdos certeiros, que ajudam na fase de conversão.

Ao mapear a jornada e produzir todos esses conteúdos, não se esqueça das CTAs, responsáveis por guiar o seu leitor e, ainda, permitir a educação dele.

Tenha um planejamento e um calendário de postagens

Quais são as datas mais relevantes para o seu negócio? Crie um calendário com todas elas para começar a produção e a divulgação com bastante antecedência, de forma que o Google indexe as postagens. O calendário também permite que toda a equipe entenda o papel que exerce e aja de forma proativa.

Faça benchmarking

benchmarking é uma ferramenta essencial para entender como a concorrência está agindo com o Marketing de Conteúdo. Perceba os pontos fortes e fracos da sua marca para enriquecer a sua campanha. Também lembre-se de dar mais aos seus leads e não fazer igual às outras marcas, assim, o público vai percebendo sua autoridade e relevância.

Use métricas para entender o sucesso da campanha

Já falamos sobre a importância das métricas e ressaltamos mais uma vez. Afinal, se você não mede, como vai saber que está sendo um sucesso ou se está indo mal? Portanto, conte com KPIs para entender o que é possível aperfeiçoar na campanha.

O interessante do Marketing Digital é que você pode aprimorar a estratégia antes do fim dela para, assim, garantir que as metas sejam alcançadas. Sobre as métricas, é recomendável analisar:

  • tráfego do blog;
  • taxa de cliques e de abertura de e-mails;
  • origem do tráfego (para entender os melhores horários e canais de publicação);
  • geração de leads;
  • conversão de leads em MQLs.

Tome cuidado apenas para ter uma noção do todo da sua campanha de Marketing de Conteúdo. Para que isso aconteça, é essencial que vários KPIs sejam definidos e verificados com frequência.

Quais são os canais em que você deve apoiar a estratégia?

O Marketing de Conteúdo tem tudo a ver com os canais em que as peças vão ser divulgadas. O blog, por exemplo, é praticamente uma unanimidade nas estratégias, mas você ainda precisa considerar em quais meios vai divulgar esses textos e quais redes sociais são compatíveis com o seu público. Confira alguns insights a seguir!

Blog

Como você viu, o blog é essencial para melhorar o tráfego orgânico e gerar um ROI mais alto. Sem contar que ele permite conteúdo para todos os momentos do pipeline de vendas. Varie a linguagem em sua comunicação e, assim, os seus conteúdos vão servir para diversas personas.

YouTube

Vídeos podem ser vistos enquanto você está no trânsito ou na sala de espera para uma consulta. Ou, ainda, apenas ouvidos durante as caminhadas ou enquanto dirige. Não é à toa que 83% dos consumidores do mundo buscam conteúdos no YouTube.

Mas calma! Você não precisa fazer todo o seu conteúdo em vídeo. Acrescentar algumas peças nas redes sociais ou mesmo criar um canal no YouTube, no entanto, faz toda a diferença na estratégia de Marketing de Conteúdo.

Instagram

O Instagram é uma rede que gera possibilidades variadas, como anunciar no feed, colocar links de compras e interagir nos Stories. Falando em Stories, mais de 500 milhões de usuários da rede utilizam esse recurso todos os dias. Para marcas B2C, é um canal essencial.

Facebook

O público mais jovem, sobretudo os adolescentes, tem deixado de usar o Facebook. Mas, mesmo assim, a rede ainda precisa ser considerada, afinal, mais de 1 bilhão de pessoas acessam a plataforma todos os dias. Saiba que o algoritmo dessa rede social não privilegia as empresas, portanto, para ser visto, é importante considerar postagens patrocinadas.

Twitter

Você sabia que 55% das pessoas no Twitter, normalmente, são a primeiras a adquirir novos produtos? As mensagens de até 280 caracteres são poderosas quando falam de forma direta com a sua persona, por isso, vale a pena considerar a rede social em sua estratégia de Marketing de Conteúdo.

Pinterest

Existem mais de 300 milhões de usuários ativos a cada mês no Pinterest. Esse, inclusive, é um bom canal para quem tem personas mulheres, já que quase 70% do público da rede é feminino. Além disso, a rede social funciona bem para postagem de fotos que servem de inspiração e levam tráfego a outros canais, como blogs e YouTube.

LinkedIn

É um dos canais mais indicados para quem tem negócios B2B, visto que 80% dos leads B2B vieram de publicações no LinkedIn. Os tomadores de decisões estão em peso nessa rede social: dos 500 milhões de membros, 40 milhões são responsáveis pelo fechamento de negócios.

E-mail

Uma pesquisa apontou que 69% dos profissionais de marketing usam as estratégias de e-mail para entregar sues conteúdos aos usuários. Uma dica bacana é, mais uma vez, apostar nos vídeos, pois eles tendem a aumentar as chances de cliques.

Vídeos têm muito apelo visual, blogs podem gerar mais tráfego e redes sociais podem pulverizar conteúdos para audiências específicas, por exemplo. Cada conteúdo tem suas características e potenciais. Porém, o que torna um conteúdo bem-sucedido? Veja agora mesmo!

1 - Engaja com facilidade

Seja em respostas ou compartilhamentos, por exemplo, um bom conteúdo vai fazer com que o público queira participar de alguma forma. Nesse sentido, as CTAs são muito importantes, e quanto mais claras forem, melhor.

2 - Fala diretamente com o público

A linguagem cria cumplicidade com as pessoas e mostra que uma marca é mesmo parceira e entende as necessidades do público. A criação acertada de um manual de linguagem é um dos pontos mais básicos antes de qualquer criação de conteúdo.

3 - Interage com as pessoas

Podem ser quizzes, vídeos ou mesmo textos com algum tipo de pesquisa inserida. O fundamental é você dar uma ação ao usuário. Isso pode melhorar até a permanência na página de um blog.

4 - É criativo e relevante

Quando o BuzzFeed começou a fazer quizzes, por exemplo, a febre foi instaurada e muitos copiaram a ideia. O fundamental do Marketing de Conteúdo é ir além e não fazer mais do mesmo. Ser uma cópia da sua concorrência dificilmente vai fazer com que a evolução aconteça, concorda?

5 - Transmite autoridade

A ideia não é fazer Marketing de Conteúdo só por fazer, mas produzir as melhores peças e envolver as pessoas com mais autoridade no assunto. O ideal é que o público vá melhorando a confiança na sua marca, passo a passo.

[Baixe agora] O guia definitivo para criar uma estratégia de marketing de  conteúdo

Como a automação de marketing pode facilitar o trabalho do conteúdo?

Quem trabalha com Marketing Digital sabe que um software de automação traz muito mais inteligência e agilidade às etapas, além de contribuir para o aumento da produtividade das equipes. Pensando no conteúdo em si, há algumas vantagens. Acompanhe a seguir!

Agendamento de publicações

Não é preciso parar tudo o que você está fazendo para publicar em blogs e divulgar nas redes sociais. Com o software, você organiza a semana toda de conteúdos e pode ficar livre para outras etapas.

Compreensão das melhores palavras-chave

Ganhar insights de palavras-chave que devem ser trabalhadas no Marketing de Conteúdo é uma das possibilidades da automação que gera mais conhecimento ao processo.

Layouts prontos

Para landing pages ou e-mails marketing, o fato é que você não precisa fazer o seu design nem o desenvolvedor vai gastar as suas horas nisso. Templates prontos e customizáveis são sempre bem-vindos, já que eles ajudam a manter um relacionamento personalizado com o lead.

Relatórios em tempo real

Entenda como os seus conteúdos podem ser mais bem trabalhados a partir dos relatórios do software. Assim, é possível fazer alterações enquanto a campanha está ativa. Outro benefício é a possibilidade de compartilhar esses dados com facilidade para toda a equipe.

Quais bons livros de Marketing de Conteúdo podem ajudar?

Você curte uma leitura e quer se aprofundar mais na teoria do Marketing de Conteúdo? Há bons livros que podem ajudar. Confira as nossas dicas!

Marketing de Conteúdo – A Moeda do Século XXI | Rafael Rez

Nesta obra, Rafael Rez aborda a estratégia como uma forma de captar a atenção, um dos ativos mais importantes que as empresas podem ter atualmente. Afinal, se você tem a atenção do seu público, consegue o que quiser — e é isso o Marketing de Conteúdo proporciona.

Global Content Marketing | Pam Didner

Quer construir uma estratégia de conteúdo do zero? Pam Didner ensina em Global Content Marketing. Um livro didático que vai garantir a você a percepção de uma experiente profissional do mercado sobre como construir caminhos sólidos por meio da sua estratégia.

Marketing de Conteúdo Épico | Joe Pulizzi

Um verdadeiro best-seller e referência quando o assunto é Marketing de Conteúdo! Neste livro, Joe Pulizzi parte da premissa de permissão para conseguir criar uma conexão com o consumidor. A partir disso, envolver, engajar e gerar as vendas desejadas se torna o caminho natural.

Que tal executar e mensurar seu marketing de conteúdo com a ajuda do Marketing Hub?

O Marketing Hub é a solução da HubSpot para gerenciar o marketing, desde a organização das rotinas do setor até o acompanhamento das estratégias em andamento. E o melhor: tudo em um ambiente integrado a todas as outras ferramentas que o seu time usa.

No Marketing Hub, você consegue acompanhar todos os leads gerados pela sua estratégia de conteúdo. No mesmo ambiente, está a sua plataforma de gestão de conteúdo, ou seja, o local em que você cria e posta os blogposts da sua campanha de Marketing de Conteúdo.

A ferramenta também ajuda em uma etapa importante do trabalho: as oportunidades de melhorias pensando em SEO. Ela trabalha com sugestões e insights que vão garantir um aumento do tráfego orgânico vindo dos mecanismos de busca.

Novas features

O Marketing Hub trabalhou para que o que era bom ficasse ainda melhor. As novas funcionalidades foram desenvolvidas pra facilitar a rotina de trabalho com ajuda da Inteligência Artificial. A proposta é a mesma pra todas elas: executar pequenas tarefas que são importantes, mas que podem ser delegadas à IA.

As principais são:

  • Gerador de conteúdos para Redes Sociais – Uma ferramenta que permite criar posts e títulos de posts de maneira rápida, eficiente e com a linguagem da sua marca;
  • Escritor de Conteúdo Gratuito com IA – Com ele você consegue criar e-mails concisos, claros e super criativos de maneira automática. Ainda dá pra criar templates em cima de modelos que trouxeram ótimos resultados.
  • Calls to Action – As CTAs mais envolventes e chamativas, criadas em botões incríveis, mesmo se você não for design. Faça o layout e teste o desempenho em A/B no mesmo software!

Em resumo, o Marketing Hub é um ambiente que permite criar, executar e mensurar toda a sua estratégia de conteúdo, do início ao fim, inclusive com integração ao CRM da HubSpot. Assim, os leads qualificados são entregues a quem pode concluir as vendas com maestria!

Como conferimos neste guia, o Marketing de Conteúdo é um ótimo caminho de aproximar uma empresa do público, fazendo com que ele passe a enxergá-la com mais confiança. Aos poucos, isso faz com que as pessoas queiram comprar e defender a sua marca.

Curtiu saber mais? Então, aproveite para ler outros conteúdos no nosso blog para seguir aprendendo e baixe o nosso e-book exclusivo sobre Marketing de Conteúdo. Que tal também começar a testar o Marketing Hub?

planejando-marketing-conteudo
 marketing de conteúdo

Originalmente publicado 01/08/2023 05:53:00, atualizado Agosto 01 2023

Temas:

Marketing de Conteúdo