Todo profissional de marketing digital comenta a mesma coisa: a otimização do mecanismo de pesquisa (SEO) não é mais a mesma coisa.

Mas veja uma afirmação verdadeira que não ouvimos muito: sua estratégia de SEO não deveria se concentrar em palavras-chaves.

Hoje em dia, a maior parte das empresas entende os conceitos básicos de SEO e sua importância.

No entanto, na hora de desenvolver e executar uma estratégia de SEO vitoriosa para a sua empresa, somente criar conteúdo para as palavras-chaves que seus clientes estão buscando, além de difícil, é errado.

O que é estratégia de SEO?

Estratégia de SEO é o processo de organizar o conteúdo de um site por tópico, o que ajuda os mecanismos de pesquisa como o Google a entender a intenção do usuário durante a pesquisa. Ao otimizar uma página da web em torno de tópicos e, em seguida, palavras-chave dentro desse tópico, você pode aumentar sua experiência aos olhos de um mecanismo de pesquisa e se classificar bem para palavras-chave de cauda longa relacionadas a esse tópico.

O que é SEO?

Os otimizadores do mecanismo de pesquisa (SEO) são pessoas que otimizam os sites para que apareçam mais alto no ranking dos mecanismos de pesquisa e obtenham mais tráfego orgânico. Em essência, um profissional de SEO é um estrategista de conteúdo altamente especializado que ajuda a empresa a descobrir oportunidades de responder perguntas do público sobre o setor em que atuam através dos mecanismos de pesquisa.

Veja aqui três tipos de SEO para concentrar seus esforços:

  • SEO na página: concentra-se no conteúdo da página e em como otimizá-lo para ajudar a fazer o site subir no ranking de palavras-chaves específicas.
  • SEO fora da página: concentra-se nos links que direcionam para o site de outros lugares da Internet. O número de backlinks e as origens desses links ajudam a criar confiança aos olhos do mecanismo de pesquisa. Com isso, seu site fica em uma posição melhor no ranking.
  • SEO técnico: concentra-se na arquitetura de um site e examina o backend daquele site para ver como cada página está configurada tecnicamente. Para o Google, o código de um site é tão importante quanto o seu conteúdo, tornando essa especialidade bastante importante para o ranking de um site no mecanismo de pesquisa.

Tenha em mente que as empresas não conseguem otimizar seus sites para os mecanismos de pesquisa da mesma forma e, portanto, nem todo SEO terá o mesmo processo de otimização. É responsabilidade do profissional de SEO avaliar seus setores, descobrir o que é importante para seu público e desenvolver uma estratégia de SEO que coloque o conteúdo certo na frente dele.

Tendo isso em mente, veja nove etapas para garantir sua estratégia de SEO para 2021. Ao final deste post, baixe seu modelo de planejamento grátis para fazer seu SEO na página.

Estratégia de conteúdo e SEO

1. Faça uma lista de assuntos.

As palavras-chaves são a base do SEO, mas não são mais o primeiro passo para o crescimento orgânico. Seu primeiro passo é fazer uma lista de assuntos para falar a cada mês.

Para começar, compile uma lista de mais ou menos 10 palavras e termos associados com seu produto ou serviço. Use uma ferramenta de SEO tool (Keyword Tool do Google, Ahrefs, SEMRush ou GrowthBar, por exemplo) para identificar o volume de pesquisa relacionado a elas e pensar em variações que façam sentido para a sua empresa. 

Você associará esses assuntos com palavras-chaves de cauda curta populares, como pode imaginar, mas não dedicará posts individuais a essas palavras-chaves. Essas palavras-chaves são simplesmente muito competitivas para você fazer seu site subir no ranking se estiver começando o processo de otimizar seu site. Vamos falar sobre como usar esses assuntos daqui a pouco.

google adwords keyword tool screenshot resized 600

Usar o volume de pesquisa e a concorrência como medida deixará sua lista com 10 a 15 palavras-chaves de cauda curta que são importantes e que o seu público pesquisa. Depois, classifique essa lista em ordem de prioridade com base no volume de pesquisas mensal e sua relevância para a sua empresa.

Por exemplo, se uma empresa de piscinas quiser subir no ranking para “piscina de fibra”, que é um termo que recebe 110.000 pesquisas por mês, essa palavra-chave de cauda curta pode ser a ideal para representar o assunto sobre o qual ela quer criar conteúdo. Depois, a empresa identificaria um conjunto de palavras de cauda longa que se relacionam com essa palavra de cauda curta, que tenham um volume robusto de pesquisas por mês e ajudem a elaborar o assunto de piscinas de fibra. Vamos falar mais sobre essas palavras de cauda longa na próxima etapa do processo.

Cada palavra-chave é chamada de pilar e serve como suporte principal para um cluster maior de palavras-chaves de cauda longa. O que nos leva para a próxima etapa...

2. Faça uma lista de palavras-chaves de cauda longa com base nesses assuntos.

Veja onde começar a otimizar suas páginas para palavras-chaves específicas. Para cada pilar que você identificar, use a ferramenta de palavras-chaves para identificar de 5 a 10 palavras de cauda longa que aprofundem as palavras do assunto original.

Por exemplo, criamos conteúdo com regularidade sobre o assunto SEO, mas ainda é muito difícil subir no ranking do Google para um assunto tão popular só com o acrônimo. Também corremos o risco de competir com nosso próprio conteúdo ao criar diversas páginas com a mesma palavra-chave como alvo – e potencialmente a mesma página de resultados do mecanismo de pesquisa (SERP). Por isso, também criamos conteúdo sobre condução de pesquisas de palavras-chaves, otimização de imagens para mecanismos de pesquisa, criação de estratégia de SEO (que você está lendo no momento) e outros assuntos dentro de SEO.

Isso permite que uma empresa atraia pessoas com interesses variados e crie mais pontos de entrada para as pessoas que têm interesse em comprar algo.

Use subtópicos para bolar ideias de posts de blog ou páginas que expliquem um conceito específico dentro de cada assunto maior que você identificou na etapa 1. Plugue esses subtópicos na sua ferramenta de pesquisa de palavras-chaves para identificar palavras-chaves de cauda longa nas quais basear cada post.

Esses subtópicos juntos formam um cluster. Então, se você tiver 10 assuntos pilares, cada um deve ser preparado para dar suporte a um cluster de 5 ou 10 subtópicos. Esse modelo de SEO é chamado de cluster de assunto e os algoritmos dos mecanismos de pesquisa modernos dependem deles para conectar os usuários às informações que eles procuram.

Veja abaixo um vídeo curto sobre esse conceito:

Pense nisso da seguinte forma: quanto mais específico seu conteúdo for, mais específicas serão as necessidades do seu público e mais provável será que esse tráfego se converta em leads. É assim que o Google encontra valor nos sites que analisa. As páginas que abordam assuntos correlatos de um tópico geral são vistas como a melhor resposta para a consulta de uma pessoa e aparecerão melhor no ranking.

3. Crie páginas para cada assunto.

Quando falamos de sites e ranking de mecanismos de pesquisa, tentar que uma página esteja no topo do ranking para várias palavras-chaves é quase da ordem do impossível. Mas existe uma saída interessante:

pegue os 10 assuntos pilares que você criou na etapa 1 e crie uma página para cada uma que explique o assunto usando as palavras de cauda longa que você pensou para cada cluster na etapa 2. Uma página pilar sobre SEO, por exemplo, pode descrever o SEO em breves seções que apresentam a pesquisa de palavras-chaves, a otimização de imagens, estratégia de SEO e outros subtópicos conforme sejam identificados. Pense em cada página pilar como um índice onde você mostrará ao leitor os subtópicos que abordará no post.

Use a sua lista de palavras-chaves para determinar quantas páginas pilares diferentes você deve criar. O número de assuntos deve coincidir com o número de produtos, ofertas e locais que sua empresa tem. Com isso, será muito mais fácil para seus prospects e clientes encontrar você nos mecanismos de pesquisa não importa as palavras-chaves que eles usem.

Cada página precisa incluir conteúdo relevante para seus prospects e clientes e imagens e links para as páginas do seu site para melhorar a experiência do usuário. Vamos falar sobre esses links na etapa 4.

4. Crie um blog.

Um blog é um jeito ótimo de classificar palavras-chaves e envolver os usuários do seu site. Afinal, cada post de blog é uma nova página que dá a você outra chance de subir nos rankings de pesquisa. Se a sua empresa ainda não tem um blog, está mais do que na hora de fazer um. É aqui que você vai elaborar cada subtópico e começar a aparecer no Google.

Conforme você escreve cada post e preenche seus clusters, é importante ter 3 coisas em mente:

  1. Primeiro, não inclua a palavra-chave de cauda longa mais de 3 ou 4 vezes ao longo da página. O Google não considera uma correspondência exata de palavra-chave com tanta frequência quanto antes. Na verdade, ter diversas instâncias da sua palavra-chave pode ser um alerta para os mecanismos de que você está tentando forçar o processo. Isso pode penalizar o seu site e fazer você descer no ranking.
  2. Em segundo lugar, vincule seu conteúdo à página pilar que você criou sobre esse assunto. Você pode fazer isso através de tags no seu sistema de gestão de conteúdo (CMS) ou como texto de âncora no corpo do artigo.
  3. Depois de publicar cada post, vincule-o à página pilar que dá suporte a esse subtópico. Encontre o ponto na sua página pilar que apresenta esse subtópico e faça o link.

Ao conectar tanto a página pilar quanto o cluster dessa forma, você está dizendo ao Google que existe uma relação entre a palavra-chave de cauda longa e o assunto principal para o qual você quer classificar seu site.

5. Publique toda semana para desenvolver autoridade de página.

Nem todo post ou página precisa pertencer a um cluster de assunto. Também é muito interessante escrever sobre assuntos tangenciais de interesse do seu público para dar ao seu site autoridade aos olhos do Google. Com isso, o Google prestará mais atenção ao seu domínio conforme você adicione conteúdo aos seus assuntos principais.

Com isso em mente, tente publicar pelo menos uma vez por semana. E lembre-se: você está escrevendo para o seu público, não para os mecanismos de pesquisa. Escreva sobre o que é de interesse de seus prospects, inclua as palavras-chaves relevantes e o público começará aos poucos a notar e clicar no seu conteúdo.

Lembre-se: os assuntos não terão a mesma importância e, conforme seus clusters forem evoluindo, você precisará priorizar com base nas necessidades da sua empresa. Por isso faça uma lista de todas as páginas que você gostaria de criar e classifique em ordem de importância. Depois, desenvolva um cronograma e um plano de ataque para criar essas páginas.

Mantenha essa lista atualizada e com prioridades definidas de modo que cada página ajude você a alcançar seus objetivos.

6. Crie um plano de construção de links.

O modelo de cluster de assunto é o seu guia para o SEO este ano, mas não é a única forma de fazer seu conteúdo subir no ranking depois de criado.

Nossas primeiras 5 etapas foram dedicadas a táticas de SEO na página. A construção de links é o objetivo principal do SEO fora da página e também é um fator muito importante na hora dos mecanismos de pesquisa classificarem a sua página. O que é a construção de links? Ótima pergunta!

A construção de links é o processo de atrair links de entrada, também chamados de backlinks, para o seu site de outro lugar na Web. Como regra geral, quanto mais autoridade de página o site de origem tiver, maior será o efeito dela no ranking da página à qual ela está ligada.

É interessante passar algum tempo pensando em diferentes formas de atrair links de entrada para o seu site. Comece devagar. Compartilhe seus links com outras empresas da sua cidade em troca de links nos sites deles, por exemplo. Escreva alguns posts de blog e compartilhe no Twitter, no Facebook, no Google+ e no LinkedIn. Converse com outros blogueiros para escrever posts como convidado que você possa vincular com seu site.

Uma outra forma ótima de atrair links de entrada é usar seu blog para publicar artigos relacionados aos eventos ou notícias atuais. Dessa forma, seu conteúdo pode ser vinculado por um influenciador do setor ou outro blog relevante.

7. Comprima todas as mídias antes de enviá-las para o seu site.

Esta é uma etapa pequena, mas importante no processo de SEO. Conforme seu blog ou site cresce, você terá mais imagens, vídeos e mídias relacionadas para hospedar. Esses recursos visuais podem ajudar a reter a atenção dos visitantes, mas é fácil esquecer que eles ainda são arquivos de computador e têm tamanho.

Como regra geral, quanto maior o arquivo, mais difícil será para um navegador abrir o seu site. E a velocidade de carregamento da página é um dos fatores mais importantes para o mecanismo de pesquisa decidir onde colocar seu conteúdo.

Sendo assim, quanto menor o arquivo, mais rápido seu site será carregado e melhor ele aparecerá no ranking do Google. Mas como comprimir um arquivo depois que ele já está no seu computador?

Se você estiver tentando enviar uma imagem para um post de blog, por exemplo, primeiro examine o tamanho do arquivo. Se ele tiver mais de 1MB, é uma boa ideia usar uma ferramenta de compressão para reduzir o tamanho antes de enviá-lo para o blog. Sites como TinyPNG facilitam a compressão em lotes, mas o Squoosh do Google é conhecido por comprimir imagens a níveis microscópicos.

Normalmente, manter seus arquivos em nível de kilobytes (KB) já é suficiente para garantir a velocidade do seu site.

Tenha cuidado na hora de comprimir as suas imagens e verifique o tamanho real do arquivo depois de exportá-lo para o seu computador. Em algumas ferramentas, é possível que você perca um pouco de qualidade nessa compressão.

8. Fique de olho nas práticas de SEO mais atuais.

Assim como no marketing como um todo, a área de mecanismo de pesquisa também está em constante evolução. Ficar de olho nessas tendências e práticas recomendadas não é tarefa fácil, mas existem muitos recursos online que podem ajudar você a ficar por dentro das mudanças que podem impactar seu site e sua estratégia de SEO.

Veja alguns aqui:

  1. SEOmoz
  2. SEOBook
  3. Search Engine Roundtable
  4. Search Engine Land
  5. Diggity Marketing
  6. Este blog!

9. Mensure e monitore o sucesso do seu conteúdo.

Fazer um bom SEO demanda tempo e esforço. Mas de que adianta investir tempo e recursos se você não vê os frutos do seu trabalho? Existem muitas métricas que você pode monitorar em termos diários, semanais ou mensais para acompanhar seu sucesso.

Como a métrica mais importante é o tráfego orgânico (o que vem de um determinado mecanismo de pesquisa), procure uma ferramenta que permite monitorar tanto o tráfego orgânico quanto a forma como suas páginas estão no ranking com relação a cada palavra-chave de cauda longa. O SEMRush é uma ferramenta de geração de relatórios muito boa para isso.

Crie um painel mensal usando Excel, Google Sheets ou um pacote de web analytics para monitorar quanto do seu tráfego vem de pesquisas orgânicas.

Além disso, monitorar páginas indexadas, links de entrada, palavras-chave e seu ranking nas SERPs (página de resultados do mecanismo de pesquisa) pode ajudar a reconhecer o seu sucesso e identificar áreas de melhorias.

Processo do SEO

Depois que você fizer seu plano de SEO mensal, deverá criar um processo para continuar a otimizá-lo para inserir novas intenções e palavras-chaves. Veja algumas etapas interessantes. 

1. Otimize seu conteúdo historicamente. 

Passe um tempo todo mês atualizando posts de blog antigos com informações novas e atualizadas para eles continuarem bem nos SERPs. Aproveite esse tempo também para adicionar otimizações de SEO que não estavam no post original, como texto alternativo.

2. Procure palavras-chaves que tenham mudado e novas intenções de busca.

Depois de alguns meses, monitore onde seus posts de blog estão no ranking e para quais palavras-chaves estão sendo classificados. Isso pode ajudar você a ajustar subtítulos ou textos para esse novo ranking.

3. Adicione mais valor editorial ao seu antigo conteúdo.

Às vezes, você perceberá que um post está completamente ultrapassado. Nesse caso, é importante ir além da atualização de SEO e fazer uma repaginação completa. Atualize informações ultrapassadas, adicione novas seções para aprofundar o assunto ou acrescente citações ou dados originais que possam fazer o post ganhar mais tráfego de referência.

4. Registre novos conteúdos e atualizações para SEO em um plano de conteúdo mensal.

Para manter sua estratégia de SEO atualizada, pode ser útil criar e refinar uma estratégia de conteúdo mensal. Depois, coloque seu plano em uma planilha ou um documento que sua equipe consiga monitorar com facilidade.

Veja abaixo um exemplo de um plano de conteúdo mensal que leva as etapas acima em consideração. 

Com um plano mensal de SEO como o que descrevemos e um documento de monitoramento como o relatório de insights de pesquisa, você consegue criar e executar uma estratégia de SEO vitoriosa. Também consegue identificar e aproveitar assuntos que estão sendo pouco falados no seu setor.

Nota do editor: este post foi publicado originalmente em abril de 2019 e foi atualizado em novembro de 2020.

Website Grader

Originalmente publicado 17/11/2020 17:44:48, atualizado Novembro 17 2020

Temas:

SEO