Tudo sobre SEO: aprenda a criar sua estratégia

Escrito por: Rakky Curvelo
Mockup_Guia-completo-SEO

GUIA DE SEO

Nosso guia completo com tudo o que você precisa saber sobre SEO

Baixe agora
como criar uma estratégia de SEO

Atualizado:

Publicado:

Muitos profissionais de marketing digital fazem o mesmo comentário quando o assunto é o Search Engine Optimization (SEO): que ele ainda é um desafio para muitos negócios que desejam aumentar a presença na internet.

Isso acontece porque a maior parte das empresas até entende os conceitos básicos de SEO e a importância deles. Contudo, na hora de desenvolver e executar uma estratégia de SEO vitoriosa, elas se restringem em apenas criar conteúdo para as palavras-chave que os clientes estão buscando. Uma tática que, além de difícil, é errada.

 

Guia completo de SEO

Tudo que você precisa saber sobre SEO para melhorar o seu tráfego orgânico

  • Dicas de Palavras chave
  • Estratégia de SEO
  • Melhore seus resultados
  • Traga leads para o site
Saiba mais

    Baixe agora

    Todos os campos são obrigatórios.

    Está tudo pronto!

    Clique neste link para acessar este recurso a qualquer momento.

     

    Neste post, você vai entender de uma vez por todas o que é SEO e como como planejar a sua estratégia, passo a passo. Acompanhe e tome nota de tudo!

    O profissional de SEO, por sua vez, é um estrategista de conteúdo altamente especializado. Ele ajuda empresas a descobrir oportunidades ao responder — por meio dos mecanismos de pesquisa — a perguntas do público sobre o setor em que o negócio atua. Confira, abaixo, quais são os tipos de SEO para concentrar seus esforços.

    SEO na página (on page)

    O SEO on page diz respeito a um conjunto de técnicas de SEO atreladas às páginas de um site, com o objetivo de otimizá-las para os mecanismos de busca. Nesse caso em específico, as técnicas são aplicadas aos diferentes elementos que fazem parte da página — desde o texto, passando pelas imagens e chegando nos links. Para isso, são utilizados recursos como planejamento de palavras-chave, alt text nas imagens, clusters de SEO e outros.

    Esse tipo de ação é essencial para que você consiga conquistar as primeiras posições no Google. Cabe destacar que, mesmo sendo uma parte mais técnica, também é necessário pensar na experiência do usuário. Conteúdos de boa qualidade e bem estruturados se destacam em meio aos outros. O ideal é fazer uma checklist de SEO para conferir se todas as técnicas foram cobertas.

    SEO fora da página (off page)

    O SEO off page se refere às técnicas de SEO que são utilizadas fora do site — costumam estar associadas ao link building, sendo esse seu pilar fundamental. Além disso, é preciso considerar o trabalho feito por meio de citações, redes sociais, entre outros.

    Sem o SEO off page, é bem provável que você tenha problemas para se posicionar quando as palavras-chave forem mais competitivas. Ele é o sedimento para a construção de autoridade do seu site, interferindo diretamente no ranqueamento dentro dos buscadores. Logo, vale a pena associar um bom trabalho no site a estratégias feitas, por exemplo, nas redes sociais.

    SEO técnico

    Concentra-se na parte estrutural da sua página na internet, avaliando o backend do endereço na web, para ver como cada página está configurada tecnicamente. Para o Google, o código de um site é tão importante quanto o seu conteúdo — o que torna essa especialidade bastante importante para o ranking de um site no mecanismo de busca.

    Tenha em mente que as empresas não conseguem otimizar seus sites para os mecanismos de busca todas da mesma forma. Portanto, nem todo SEO terá o mesmo processo de otimização. É responsabilidade do profissional especialista em SEO avaliar os setores, descobrir o que é importante para o seu público e desenvolver uma estratégia que coloque o conteúdo certo na frente dessas pessoas.

    Outros dois aspectos da estruturação do site com a qual o SEO técnico também lida são: a velocidade de carregamento da página e o perfil responsivo dela. Afinal, o primeiro impacta a experiência do usuário durante o acesso. Já o segundo é uma demanda importante da atualidade, visto que há cada vez mais usuários mobile.

    Fora eles ainda há o serviço de hospedagem do site. Isso porque pode haver problemas com instabilidade ou mesmo total indisponibilidade do site. A segurança também conta, pois o Google penaliza sites que não têm os certificados ou apresentam falhas nesse sentido.

    Faça o download do nosso guia para aprender tudo sobre SEO

    Quais são as principais ferramentas de SEO?

    Quando se fala sobre as principais ferramentas de SEO, você encontra uma grande variedade delas. Isso porque existem as que são desenvolvidas por empresas especializadas em marketing digital. Algumas das principais são:

    • Keyword Explorer Seoptimer;
    • SEMrush;
    • Keyword Planner.

    Por outro lado, também há as que são disponibilizadas pelos próprios buscadores, como:

    • Google Search Console;
    • Google Analytics;
    • Bing Webmaster Tools.

    Qual é a história do SEO?

    A história do SEO está interligada ao desenvolvimento e à expansão dos buscadores da internet na década de 1990. Afinal, foram eles que passaram a adotar o processo de indexação de sites a partir do conteúdo que trazem, de acordo com potenciais informações requisitadas pelos usuários. Assim, foi criado um mapeamento de temas na rede.

    Esse mecanismo de ação se consolidou, em especial, com os buscadores mais recentes, como Google, Bingo, Yahoo!, Ask e afins. Isso porque eles tornaram de conhecimento público o método de trabalho adotado, o que permitiu que profissionais do marketing estudassem essas ferramentas e se atualizassem com estratégias para ter um melhor posicionamento nas pesquisas que elas geram.

    Para se ter ideia, segundo o relatório State of Search de 2023 da Semrush, as palavras-chave estão presente em todas as intenções de busca, em particular nas informacionais (56,5% do total), nas transacionais (22,4% do total) e nas comerciais (12,6% do total). Portanto, trabalhá-las de forma eficiente no seu conteúdo é indispensável para um bom SEO.

    Isso não só melhora a experiência do usuário, como ajuda os mecanismos de pesquisa, como o do Google, a entenderem qual é a intenção de busca da pessoa na web e a encontrarem o material que melhor atenda a essa necessidade.

    Qual é a importância das técnicas de SEO?

    A importância do SEO está pautada na potencialização da sua página na internet. Por meio dele, você obtém mais visibilidade para sites, e-commerces e blogs, reduzindo os investimentos em tráfego pago e contribuindo para que seu empreendimento adquira mais autoridade e confiança.

    Isso sem falar na possibilidade de usar essas mesmas plataformas como meio de geração, conversão e fidelização de leads. Portanto, investir nessa estratégia significa conquistar um desempenho diferenciado. Com isso, o seu site passará a gerar bons resultados ao longo do tempo e em escala, permitindo mais lucratividade e retorno.

    O que é SEO local?

    Existe também o SEO local, que se apresenta como um conjunto de estratégias que objetivam melhorar o posicionamento nos buscadores, tendo como foco as buscas que acontecem regionalmente.

    Essa otimização está voltada para o site da empresa e para a página Google Meu Negócio. Se uma pessoa procura uma padaria no Google, por exemplo, o buscador entende que ela quer algo perto e ativa seu algoritmo para encontrar locais a partir do endereço de pesquisa. A ideia é melhorar a experiência de busca dos usuários e aumentar a visibilidade na região, mas também atrair novos públicos.

    Essa atividade é desenvolvida por meio de ferramentas ou plataformas (como Screaming Frog SEO Spider, WebPage Test e Marketing Hub) que fazem um escaneamento da sua página para encontrar falhas de SEO. É o caso de cadeias de redirecionamento, links quebrados, meta descrições inadequadas etc. Como resultado, essa atividade permite corrigir e otimizar o site.

    Vale pontuar que a auditoria pode ser voltada para os sites da sua empresa, mas também ser promovida com foco na concorrência, permitindo, assim, que você possa crescer diante das falhas de SEO de terceiros.

    Neste tópico, você vai entender mais sobre como o principal buscador da internet trabalha com SEO e como isso impacta o que nos é mostrado na internet. Veja!

    1. Rastreamento, indexação e exibição de resultados

    Quando você produz um conteúdo para o seu site e o veicula na internet, o trabalho não está terminado. Isso porque é nesse momento que o Google entra em cena. Por meio de programas internos, ele executa um processo de rastreamento do seu material, identificando em qual página ele se encontra e fazendo o download completo dele.

    Isso ocorre para que, com essa produção armazenada no sistema do Google, seja possível analisar todas as informações contidas no conteúdo — o que inclui as estratégias de SEO. A partir daí, o Google avalia se há duplicidade de informações (copiada parcial ou totalmente de outras páginas) ou se é um conteúdo verdadeiramente novo.

    O buscador também faz uma extração de resultados com as principais informações sobre o seu site e o conteúdo dele para melhor apresentá-lo em pesquisas — que, lembrando, podem ser personalizadas conforme preferências do usuário.

    Depois disso, faz a indexação ao banco de palavras-chave que aparecem em buscas na rede, sempre com a intenção de encontrar a maior compatibilidade possível entre ambos. Assim, é possível que haja um bom mapeamento do que está acessível na web — isso, por sua vez, influencia o ranqueamento das páginas nos resultados do Google.

    2. Algoritmo do Google

    O algoritmo do Google não se atém apenas às palavras-chave. Ele leva em conta a compatibilidade das páginas com o dado pesquisado, o histórico de pesquisas do usuário, o idioma e as variações linguísticas, a autoridade das fontes consultadas, a experiência de página, entre outros pontos.

    3. Atualizações do Google

    O Google está em constante atualização do próprio mecanismo de busca. Isso faz toda a diferença para a manutenção de resultados fiéis à pesquisa feita pelo usuário e o grau de resposta à demanda dele. Abaixo, mostramos as três mais recentes, liberadas em março de 2023 pela companhia:

    • Sistema de Avaliações — busca dar destaque nas pesquisas aos produtos que têm um conteúdo mais detalhado e bem avaliado;
    • Atualização de Spam — agora contará com recursos de Inteligência Artificial para apurar com maior eficiência possíveis conteúdos publicitários indesejados e, inclusive, maliciosos;
    • Sistema de Conteúdo Útil — vai priorizar no ranking de resultados os conteúdos originais e que atendem às necessidades dos usuários.

    Por que o SEO ainda é relevante?

    O SEO é importante para uma estratégia eficiente de marketing digital porque o mercado cada vez mais se volta para o digital. Para se ter uma ideia, um levantamento de 2021 mostrou que o Brasil é o segundo país que mais utiliza o Google como buscador no dia a dia, perdendo apenas para a Índia. Mas não só isso.

    Cerca de 90% de todos os usuários do nosso país recorrem, primeiramente, ao Google antes de pagar por um produto/serviço. É o que revela estudo de 2021 sobre a jornada de consumo nacional. Para completar, uma pesquisa de 2020 aponta que 78% das empresas brasileiras já fazem uso das redes sociais para alcançar o público e 57% para impulsionar as vendas.

    Além disso, cerca de 69,95% da população do país acessa a internet diariamente, segundo levantamento de 2022. O mesmo material, inclusive, mostra que 33% dos brasileiros compraram na rede em 2021.

    Quais são as tendências de SEO?

    Dentro das tendências de SEO, podemos destacar a incorporação da Inteligência Artificial aos buscadores da rede. É o caso da IA do Bing e do Google Bard. A proposta é que, além dos algoritmos de mapeamento de conteúdo, a IA possa atuar como um recurso extra para pesquisas mais detalhadas, personalizadas e com indexações que consideram os mais variados materiais audiovisuais.

    Outra aposta é a produção de conteúdos interativos, que aumentem não apenas o tempo de permanência do usuário em um site, mas também aprimorem a experiência, inclusive, conectando a página às redes sociais e a outros meios de comunicação da marca.

    A seguir, mostramos em detalhes como colocar em prática cada uma dessa etapas, potencializando a sua estratégia de conteúdo e SEO. Fique atento!

    1. Faça uma lista de assuntos

    As palavras-chave são a base do SEO, mas não são mais o primeiro passo para o crescimento orgânico. Faça, portanto, uma lista de assuntos para abordar a cada mês.

    Para começar, compile uma lista de mais ou menos 10 palavras e termos associados ao seu produto ou serviço. Use uma ferramenta de SEO (como as do Google, Keyword Tool, AhrefsSEMRush ou GrowthBar) para identificar o volume de pesquisa relacionado a elas e pensar em variações que façam sentido para a sua empresa. 

    Você associará esses assuntos a palavras-chave de cauda curta populares, mas não dedicará posts individuais a essas palavras-chave. Elas são simplesmente muito competitivas para você fazer seu site subir no ranking se estiver começando o processo de otimização (vamos falar sobre como usar esses assuntos daqui a pouco).

    Usar o volume de pesquisa e a concorrência como medida deixará sua lista com cerca de 10 a 15 palavras-chave de cauda curta importantes e que o seu público pesquisa. Depois, classifique essa lista em ordem de prioridade, com base no volume de pesquisas mensais e sua relevância para a sua empresa.

    Tomemos como exemplo uma empresa de piscinas que quer subir no ranking para “piscina de fibra” — que é um termo que recebe 110.000 pesquisas por mês. Essa palavra-chave de cauda curta pode ser a ideal para representar o assunto sobre o qual a empresa quer criar conteúdo. 

    O próximo passo para essa empresa de piscinas é identificar um conjunto de palavras de cauda longa que se relacionam com essa palavra de cauda curta, que tenham um volume robusto de pesquisas por mês e ajudem a elaborar o assunto de piscinas de fibra.

    Cada palavra-chave é chamada de pilar e serve como suporte principal para um cluster maior de palavras-chave de cauda longa, o que nos leva à próxima etapa.

    2. Faça uma lista de palavras-chave de cauda longa com base nesses assuntos

    Veja onde começar a otimizar suas páginas para palavras-chave específicas. Para cada pilar que você identificar, use a ferramenta de palavras-chave para identificar de 5 a 10 palavras de cauda longa que aprofundem os termos do assunto original.

    Por exemplo: criamos conteúdo com regularidade sobre o assunto SEO, mas ainda é muito difícil subir no ranking do Google para um assunto tão popular só com o acrônimo. Também corremos o risco de competir com nosso próprio conteúdo ao criarmos diversas páginas com a mesma palavra-chave como alvo — e, potencialmente, a mesma página de resultados do mecanismo de pesquisa (SERP). 

    Em função disso, também criamos conteúdo sobre condução de pesquisas de palavras-chave, otimização de imagens para mecanismos de pesquisa, criação de estratégia de SEO (que você está lendo, no momento) e outros assuntos dentro de SEO.

    Isso permite que uma empresa atraia pessoas com interesses variados e crie mais pontos de entrada para quem tem interesse em comprar algo.

    Use subtópicos para bolar ideias de blog posts ou páginas que expliquem um conceito específico dentro de cada assunto maior que você identificou na etapa. A melhor maneira de fazer isso é adicionando esses subtópicos na sua ferramenta de pesquisa de palavras-chave para identificar keywords de cauda longa nas quais você vai basear cada post.

    Esses subtópicos, juntos, formam um cluster. Se você tiver 10 assuntos pilares, cada um deve ser preparado para dar suporte a um cluster de 5 ou 10 subtópicos. Esse modelo de SEO é chamado de cluster de assunto, e os algoritmos dos mecanismos de pesquisa modernos dependem dele para conectar os usuários às informações que eles procuram.

    Veja, abaixo, um vídeo curto sobre esse conceito.

     

    Pense nisso da seguinte forma: quanto mais específico for o seu conteúdo, mais específicas serão as necessidades do seu público — e, provavelmente, esse tráfego se converterá em leads. 

    É assim que o Google encontra valor nos sites que analisa. As páginas que abordam assuntos correlatos de um tópico geral são vistas como a melhor resposta para a consulta de uma pessoa e aparecerão melhor no ranking.

    Faça o download do nosso guia para aprender tudo sobre SEO

    3. Crie páginas para cada assunto

    Tentar fazer com que uma página esteja no topo do ranking para várias palavras-chave em um mecanismo de busca é quase da ordem do impossível, mas existe uma saída interessante.

    Pegue os 10 assuntos pilares que você criou na etapa 1 e crie uma página para cada, de forma a explicar o assunto usando as palavras de cauda longa que você pensou para cada cluster na etapa 2. 

    Uma página pilar sobre SEO, por exemplo, pode descrever o SEO em breves seções que apresentam a pesquisa de palavras-chave, a otimização de imagens, a estratégia de SEO e outros subtópicos, conforme sejam identificados. Pense em cada página pilar como um índice, onde você mostrará ao leitor os subtópicos que abordará no post.

    Use a sua lista de palavras-chave para determinar quantas páginas pilares diferentes você deve criar. O número de assuntos deve coincidir com o número de produtos, ofertas e locais que a sua empresa tem. Com isso, será muito mais fácil para seus prospects e clientes encontrar a sua empresa nos mecanismos de busca — não importa as palavras-chave que eles usem.

    Cada página precisa incluir conteúdo relevante para seus prospects e clientes, além de imagens e links para as páginas do seu site, de forma a melhorar a experiência do usuário. Vamos falar sobre esses links na etapa 4.

    4. Crie um blog para sua estratégia de SEO

    Um blog é um ótimo jeito de classificar palavras-chave e envolver os usuários do seu site. Afinal, cada post de blog é uma nova página, o que dá outra chance da sua empresa subir nos rankings de pesquisa.

    Se o seu negócio ainda não tem um blog, está mais do que na hora de fazer um. É por meio dele que você vai elaborar cada subtópico e começar a aparecer no Google.

    Conforme você escreve cada post e preenche seus clusters, é importante ter 3 coisas em mente. Em primeiro lugar, não inclua a palavra-chave de cauda longa mais de 3 ou 4 vezes ao longo da página. O Google não considera uma correspondência exata de palavra-chave com tanta frequência quanto antes. 

    Na verdade, ter diversas instâncias da sua palavra-chave pode ser um alerta para os mecanismos de que você está tentando forçar o processo. Isso pode penalizar o seu site e fazer você descer no ranking.

    Em segundo lugar, vincule seu conteúdo à página pilar que você criou sobre o assunto. Você pode fazer isso por meio de tags no seu sistema de gestão de conteúdo (CMS) ou como texto de âncora no corpo do artigo.

    Depois de publicar cada post, vincule-o à página pilar que dá suporte a esse subtópico. Encontre o ponto na sua página pilar que apresenta esse subtópico e faça o link.

    Ao conectar tanto a página pilar quanto o cluster dessa forma, você estará dizendo ao Google que existe uma relação entre a palavra-chave de cauda longa e o assunto principal para o qual você quer classificar seu site.

    5. Publique toda semana para desenvolver autoridade de página

    Nem todo post ou página precisa pertencer a um cluster de assunto. Também é muito interessante escrever sobre assuntos tangenciais de interesse do seu público, para que o site tenha autoridade aos olhos do Google. Com isso, o buscador prestará mais atenção ao seu domínio conforme você adiciona conteúdos aos seus assuntos principais.

    Com isso em mente, tente publicar pelo menos uma vez por semana, mantendo a consistência ao longo do tempo. Lembre-se: você está escrevendo para o seu público, não para os mecanismos de busca.

    Por isso, aborde o que é de interesse dos seus prospects, inclua as palavras-chave relevantes e o público começará, aos poucos, a notar e clicar no seu conteúdo.

    Os assuntos não terão a mesma importância e, conforme seus clusters forem evoluindo, você precisará priorizá-los com base nas necessidades da sua empresa. Faça uma lista de todas as páginas que você gostaria de criar e classifique-as em ordem de importância.

    Depois, desenvolva um cronograma e um plano de ataque para criar essas páginas. Mantenha essa lista atualizada e com prioridades definidas, de modo que cada página ajude você a alcançar seus objetivos.

    6. Crie um plano de construção de links

    O modelo de cluster de assunto é o seu guia para o SEO, mas não é a única forma de fazer o conteúdo subir no ranking depois de criado. Nossas primeiras cinco etapas foram dedicadas a táticas de SEO na página.

    A construção de links é o objetivo principal do SEO fora da página, além de ser um fator muito importante na hora dos mecanismos de pesquisa classificarem a sua página. Mas o que é a construção de links? Ótima pergunta!

    A construção de links é o processo de atrair links de entrada (também chamados de backlinks) para o seu site de outro lugar na web. Como regra geral, quanto mais autoridade de página o site de origem tiver, maior será o efeito dele no ranking da página à qual está ligado.

    É interessante passar algum tempo pensando em diferentes formas de atrair links de entrada para o seu site. Comece devagar. Compartilhe seus links com outras empresas da sua cidade em troca de links nos sites deles, por exemplo.

    Escreva alguns blog posts e compartilhe no Twitter, no Facebook, no Instagram e no LinkedIn. Converse com blogueiros, influencers ou personalidades que são autoridades no mercado para escrever posts como convidados no seu blog, gerando, assim, conteúdos que você possa vincular ao seu site.

    Outra ótima forma de atrair links de entrada é usar seu blog para publicar artigos relacionados aos eventos ou às notícias atuais. Assim, seu conteúdo pode ser vinculado por um influenciador do setor ou por outro blog relevante.

    7. Comprima todas as mídias antes de enviá-las para o seu site

    Essa é uma etapa pequena, mas importante no processo de SEO. Conforme seu blog ou site cresce, você terá mais imagens, vídeos e mídias relacionadas para hospedar. Esses recursos visuais podem ajudar a reter a atenção dos visitantes, mas é fácil se esquecer que eles ainda são arquivos de computador e têm tamanho considerável.

    Como regra geral, quanto maior for o arquivo, mais difícil será para um navegador abrir o seu site. A velocidade de carregamento da página é um dos fatores mais importantes para o mecanismo de pesquisa decidir onde colocar o seu conteúdo.

    Sendo assim, quanto menor for o arquivo, mais rápido seu site será carregado e mais no topo do ranking do Google ele estará.

    Como comprimir um arquivo depois que ele já está no seu computador?

    Se você estiver tentando enviar uma imagem para um blogpost, por exemplo, examine o tamanho do arquivo. Se ele tiver mais de 1MB, é uma boa ideia usar uma ferramenta de compressão para reduzir o tamanho antes de enviá-lo para o blog.

    Sites como TinyPNG facilitam a compressão em lotes, mas o Squoosh, do Google, é conhecido por comprimir imagens a níveis microscópicos. Normalmente, manter seus arquivos em nível de kilobytes (KB) já é o suficiente para garantir a velocidade do seu site.

    Tenha cuidado na hora de comprimir as suas imagens e verifique o tamanho real do arquivo depois de exportá-lo para o seu computador. Em algumas ferramentas, é possível que você perca um pouco de qualidade nessa compressão.

    8. Fique de olho nas práticas de SEO mais atuais

    Assim como no marketing em geral, os mecanismos de busca também estão em constante evolução. Ficar de olho nessas tendências e práticas recomendadas não é tarefa fácil, mas existem muitos recursos online que podem ajudar você a acompanhar as mudanças que podem ter impacto no seu site e na sua estratégia de SEO.

    Veja alguns aqui:

    9. Mensure e monitore o sucesso do seu conteúdo

    Fazer um bom SEO demanda tempo e esforços, mas de que adianta investir nesses recursos se você não vê os frutos do trabalho? Existem muitas métricas que você pode monitorar em termos diários, semanais ou mensais para acompanhar seu sucesso.

    Como a métrica mais importante é o tráfego orgânico (o que vem de determinado mecanismo de pesquisa), procure uma ferramenta que permita o monitoramento tanto dele quanto da forma como suas páginas estão no ranking com relação a cada palavra-chave de cauda longa. O SEMRush é uma ferramenta de geração de relatórios muito boa para isso.

    Crie um painel mensal usando Excel, Google Sheets ou um pacote de web analytics para monitorar quanto do seu tráfego vem de pesquisas orgânicas.

    Além disso, acompanhar dados de páginas indexadas, links de entrada, palavras-chave e seu ranking nas SERPs (página de resultados do mecanismo de pesquisa) pode ajudar a reconhecer o seu sucesso e identificar áreas de melhorias.

    Depois que você fizer seu plano de SEO mensal, será importante criar um processo para continuar a otimizá-lo, para inserir novas intenções e palavras-chaves. Veja algumas etapas interessantes. 

    1. Otimize seu conteúdo historicamente

    Sabe aqueles seus blogposts antigos, alguns feitos a meses, outros anos atrás? Pois bem, reúna sua equipe de copywriting e comece a atualizá-lo com informações, mas reaproveitando-os, para que eles continuem com bons resultados nos SERPs. Aproveite esse tempo para adicionar otimizações de SEO que não estavam no post original, como texto alternativo.

    2. Procure palavras-chave que tenham mudado e novas intenções de busca

    Depois de alguns meses, monitore onde seus posts de blog estão no ranking e para quais palavras-chave estão sendo classificados. Isso pode ajudar você a ajustar títulos, subtítulos ou mesmo outros textos para esse novo ranking. Afinal, nem sempre as intenções de busca do seu público permanecem a mesmas.

    3. Adicione mais valor editorial a um conteúdo antigo

    Às vezes, você perceberá que um post está completamente ultrapassado. Nesse caso, é importante ir além da atualização de SEO e fazer uma repaginação completa. Atualize informações ultrapassadas, adicione novas seções para aprofundar o assunto ou acrescente citações/dados originais que possam fazer o post ganhar mais tráfego de referência.

    4. Registre novos conteúdos e atualizações para SEO em um plano de conteúdo mensal

    Para manter sua estratégia de SEO atualizada, pode ser útil criar e refinar uma estratégia de conteúdo mensal. Depois, coloque seu plano em uma planilha ou em um documento que sua equipe consiga monitorar com facilidade.

    Marketing Hub e Ferramentas de Geração de Conteúdo da HubSpot: como elas podem ajudar você com SEO?

    A HubSpot reúne produtos pensados para otimizar todo o planejamento de marketing do seu negócio. Um deles é Marketing Hub no qual você trabalha a sua automação de marketing omnichannel, personaliza os conteúdos para blog e redes sociais e gerencia o SEO das suas páginas — com insights detalhados sobre a performance delas.

    Outro exemplo são os recursos de inteligência artificial da HubSpot, que vão inovar a sua presença digital, entre eles, o Gerador de Conteúdo e o ChatSpot.

    O primeiro usa o potencial da IA para produzir conteúdos que vão alimentar o seu site, redes sociais, CTAs, e-mail marketing e afins, otimizando tempo e investimentos.

    Já o segundo é um bot de CRM que presta atendimento personalizado, ágil e humanizado aos seus consumidores e potenciais clientes. Ele é ideal para alavancar as ações de marketing conversacional. Vale a pena conferir essas novidades e saber mais sobre as possibildaides de uso delas.

    Com um plano mensal de SEO — como o que descrevemos aqui — e um documento de monitoramento — como o relatório de insights de pesquisa —, você consegue criar e executar uma estratégia de SEO vitoriosa. Além disso, fica mais fácil identificar e aproveitar assuntos que estão sendo pouco falados no seu setor.

    Aprofunde-se nos updates do Google e nos novos recursos tecnológicos para aprimorar sua estratégia de SEO. Para completar, siga nossas sugestões, como o uso do Marketing Hub e a ferramenta de geração de conteúdo com IA da HubSpot! Afinal, construir uma estratégia de SEO demanda tempo e cuidado, o que requer que você comece o quanto antes a investir em ações para conquistar os primeiros lugares no Google.

    Gostou deste post? Então, aproveite e leia outros conteúdos no blog da HubSpot, baixe o nosso guia exclusivo sobre SEO e teste o Marketing Hub, com suas novas funcionalidades, para saber como ele pode ajudar na sua estratégia de SEO!

    guia completo de seo

      guia completo de seo
    Tópicos: SEO

    Artigos relacionados

    Pop up para GUIA DO SEO APRENDA A MONTAR A MELHOR ESTRATÉGIA PARA ATRAIR TRÁFEGO ORGÂNICO

    Nosso guia completo com tudo o que você precisa saber sobre SEO

      Pop up para GUIA DO SEO APRENDA A MONTAR A MELHOR ESTRATÉGIA PARA ATRAIR TRÁFEGO ORGÂNICO

      Marketing software that helps you drive revenue, save time and resources, and measure and optimize your investments — all on one easy-to-use platform

      START FREE OR GET A DEMO