Ao pensar em uma estratégia de Inbound Marketing, as redes sociais são canais superimportantes para a entrega de conteúdos e também para a manutenção do relacionamento com o público. A interação é instantânea e o alcance é muito interessante — levando sua marca a mais e mais pessoas. Afinal, no mundo todo, são 3,5 bilhões de usuários de redes sociais consumindo conteúdos por cerca de três horas todo dia, segundo o Oberlo.

GET HERE

Por isso, a gestão de redes sociais é uma necessidade de toda marca. É por meio dela que você conhece melhor seu público e consegue, entre outras coisas, aprimorar a produção de conteúdos, entender o quanto as pessoas se conectam a cada uma das peças e estreitar o relacionamento com a audiência.

Qualquer estratégia de marketing e vendas se fortalece demais quando existe uma gestão de redes sociais estruturada. E é com esse foco que desenvolvemos este conteúdo, em que trazemos informações práticas para você começar a aplicar o quanto antes em seu planejamento. Mãos à obra?

Mas não para aí, não. Afinal, o Inbound Marketing também é sobre relacionamentos. Assim, o gerenciamento de redes sociais inclui o envolvimento e a interação com os usuários. Mesmo porque, em qualquer relacionamento, uma pessoa fala e a outra responde, certo?

Acompanhar essas interações, além de aproximar a marca do público, vai trazer conhecimentos e insights que tornam a estratégia mais acertada.

E por que implementá-la?

As redes sociais na metodologia Inbound facilitam que suas peças sejam entregues ao público que corresponde às suas buyer personas.

Isso porque, mesmo que você tenha um blog com publicações constantes, por exemplo, isso não é uma garantia de que as pessoas o acessarão. Ao distribuir esses conteúdos nas mídias sociais, você diversifica seus canais e torna a comunicação mais eficiente! Mas ainda há outros bons motivos para fazer essa implementação, conforme a gente conta a seguir.

Você alcança mais gente

As redes sociais conectam sua marca a usuários de todo o mundo, que talvez nem conheçam sua empresa. Ao escolher a rede social que mais conversa com sua persona, esse alcance se torna ainda mais relevante. É possível trabalhar de maneira orgânica, reduzindo muito seus custos de ads.

Isso não quer dizer que você nunca mais vai fazer anúncios pagos nas mídias. A gestão de redes sociais também pede alguns investimentos nesse sentido, mas, somados ao potencial orgânico, os resultados são animadores.

Seu branding se torna mais relevante

Imagine que você venda softwares para outras empresas e faz apenas o básico na gestão de redes sociais. O mínimo, nesse caso, é postar sobre promoções e features do seu software de maneira aleatória, sem observar os horários mais interessantes nem trabalhar o engajamento.

Essa postura abre espaço para um concorrente trabalhar esse gap que sua marca deixou e, claro, reforçar o branding dele. Não é nada bom perder essa lembrança de marca — isso causa impactos na proximidade com o público e na geração de oportunidades de venda.

Trata-se de uma estratégia de baixo custo

Não importa qual é o seu orçamento de marketing: a mídia social é uma iniciativa econômica. É gratuito participar de redes sociais, publicar conteúdo e responder a comentários de usuários. Claro, você vai precisar de uma equipe ou agência que coordene as tarefas, mas há diversas ferramentas de automação que simplificam o trabalho.

Até a publicidade nas redes sociais é mais econômica, e você pode escolher o quanto investir, segmentando o público de maneira estratégica.

Quais são as redes sociais mais interessantes para sua empresa?

Quando você passa a refletir sobre marcar presença nas redes sociais, o primeiro passo é compreender quais delas conversam melhor com seu negócio e, claro, com o público. Mais do que estar em todas as redes, o interessante é fazer uma ótima gestão de redes sociais, tirando proveito das possibilidades dessa mídia e engajando o público.

Ao pensar no conteúdo, leve em conta a experiência do usuário em dispositivos mobile: no Brasil, 99% das pessoas verificam suas redes sociais em celulares, segundo o relatório Digital 2020, elaborado pela We Are Social em parceria com a Hootsuite.

YouTube

Em 2020, o YouTube se consagrou como a rede social preferida dos brasileiros, desbancando o Facebook — outro dado do Digital 2020.

Isso tem muito a ver com o fato de que o consumo de vídeos cresce 100% todo ano, de acordo com a HubSpot, e pode se aplicar a negócios B2B e B2C. No primeiro caso, o uso de argumentos, dados fortes e informações mais detalhadas é indicado. Para o B2C, a parceria com influenciadores é uma ótima estratégia.

Se você estiver considerando a produção de vídeos para sua empresa, algumas informações, também da HubSpot, vão ajudar a esclarecer sua estratégia:

  • 56% dos vídeos publicados ao longo do último ano duram menos de 2 minutos;
  • como fazer, demonstrações, testemunhos e explicações são os tipos de vídeos mais comuns;
  • a América Latina tem uma preferência clara por vídeos.

Facebook

O Facebook pode até estar em segundo lugar na preferência, mas segue forte, com suas mais de 130 milhões de contas ativas no Brasil. Porém, estamos diante de uma pulverização muito grande de pessoas, que podem tanto estar interessadas em negócios B2B quanto B2C.

Por isso, uma boa prática é apostar no Facebook Ads. Ele permite uma segmentação que fará com que você atinja somente as pessoas relacionadas ao seu negócio.

Instagram

O Brasil é o terceiro país que mais usa o Instagram — perde apenas para os Estados Unidos e a Índia. Essa rede social é interessante para quem trabalha o B2C, já que a plataforma é bastante usada como parte de descoberta por meio do funil de vendas. 

De acordo com o Sprout Social, 83% dos usuários descobrem produtos por essa rede e 81% das pessoas pesquisam ativamente sobre produtos diretamente no Instagram.

LinkedIn

O LinkedIn é muito interessante para quem trabalha exclusivamente o B2B — nessa rede, há mais de 60 milhões de tomadores de decisão e 85% dos leads são convertidos em demos de produtos. Os vídeos postados na plataforma também são eficientes para a conversão.

Algumas boas práticas envolvem postar diariamente, além de colocar artigos no LinkedIn Pulse de algum tomador de decisão do seu negócio, o que pode trabalhar também a presença da sua empresa.

Twitter

A interação é o forte no Twitter. Com as mensagens de 280 caracteres, sua marca precisa ir direto ao ponto. Ele possibilita trazer mais tráfego para o site, gerar leads e trabalhar o branding da marca.

A Netflix é um ótimo exemplo de engajamento com o público por essa rede, o que permite melhorar bastante a consciência de marca.

WhatsApp

O WhatsApp é a terceira rede social mais usada no Brasil, principalmente para troca de mensagens e comunicação. Porém, usá-la na sua estratégia pede muita reflexão.

Primeiro, você precisa ter certeza de que o cliente ou possível cliente quer ser abordado pelo WhatsApp, até para não ter problemas com a Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD). Pode ser um recurso para trazer informações sobre a compra e um canal eficiente para tirar dúvidas sobre o uso da solução adquirida.

Como fazer o planejamento das redes sociais?

Você só fará uma gestão de redes sociais eficiente se tiver bem definidos os objetivos da sua empresa, o seu público e as boas práticas empregadas. Caso contrário, você apenas gastará tempo e dinheiro sem alcançar resultados.

É muito comum marcas saírem publicando nas redes sociais sem foco e sem mensuração de resultados. Por isso, ajudamos você a entender qual é o melhor caminho para uma gestão de redes sociais eficiente.

Conheça seu público

Mais do que básico, não é? Se você não conhece quem são as pessoas que compram de você ou quem são seus leads, a gestão de redes sociais fica vazia e perde o sentido.

É essencial entender como as pessoas chegam ao seu site e blog, quais são as redes mais usadas e os conteúdos mais consumidos para aprimorar a estratégia.

Tenha em mente os principais objetivos

As redes sociais são interessantes para melhorar o tráfego do seu site, aumentar a percepção da marca, além de engajar. Mas você também pode usar as redes sociais para gerar leads mais qualificados — fazendo uma segmentação bem específica no Facebook Ads, por exemplo.

O uso de redes sociais para o pós-venda também é interessante no sentido de manter o contato e encantar o cliente, mostrando que você está disponível para o que precisar.

Por isso, analise os pontos fortes e fracos do negócio e entenda em que sentido a sua concorrência age para fazer um planejamento eficiente das redes.

Escolha a melhor abordagem

Quando você tem um público mais jovem e descolado, uma linguagem leve e eventuais gírias fazem todo o sentido e tornam a abordagem mais eficiente. No entanto, tudo muda de figura quando seu público é sênior.

Analisar a forma de tratamento de marcas concorrentes também pode trazer insights.

Produza conteúdos relevantes

Marcar presença nas redes sociais faz mais sentido quando entregamos um conteúdo que vai agregar e solucionar uma dor ou uma necessidade do seu público.

Nesse sentido, além do conhecimento sobre suas personas, é interessante mapear o funil de vendas para trazer conteúdos que atendam ao topo, meio e fundo de funil. Assim, o conteúdo será empático e agirá em favor de uma boa percepção da sua marca.

Seja consistente

Não adianta muito você seguir todos os passos até aqui e publicar uma vez por mês, quando lembrar ou sobrar tempo. Sem consistência de postagens e de análises de resultado, você não pode dizer que tem uma estratégia de redes sociais. Os resultados surgem a partir da sua constância e da boa gestão de redes sociais.

Explore as possibilidades de cada rede

Há sempre novos recursos que podem ser mais atraentes para o seu público. O Instagram, por exemplo, traz bastante novidade com foco nos stories que chamam atenção. A postagem de vídeos também engaja muito, como vimos.

Dessa maneira, o conhecimento sobre os seus seguidores, somado a um olhar atento para as possibilidades das redes, é o caminho mais certeiro a seguir.

Interaja com sua audiência

Não vale postar e voltar apenas para medir o alcance. As interações com sua audiência são preciosas para mostrar que você se importa em manter esse relacionamento. Procure responder sempre e até pensar em postagens que estimulem os comentários e as reações.

O conteúdo interativo vai ao encontro disso: quizzes, enquetes e vídeos atraem as pessoas principalmente pelo fato de elas poderem mostrar sua voz.

Quais são as melhores métricas para acompanhar a gestão de redes sociais?

As métricas trazem um conhecimento preciso da estratégia e permitem que a gestão de redes sociais seja acertada. Porém, evite analisá-las sozinhas e olhe sempre para o todo. Na sequência, veja o que é preciso observar.

Engajamento

O engajamento mede o envolvimento dos usuários com as publicações, como curtidas, comentários e compartilhamentos. Ele é muito importante porque impacta outras pessoas que ainda não seguem sua marca — e isso traz ganhos de branding.

Alcance

O alcance mostra como está a distribuição do seu conteúdo no feed dos usuários. O Facebook, por exemplo, tem um algoritmo que vem diminuindo o alcance orgânico, o que obriga muitos a apostar nos anúncios pagos.

Impressões

As impressões dizem respeito à contagem de vezes que o seu conteúdo foi exibido para os usuários — pode ser que uma mesma publicação apareça mais de uma vez.

Sentimento

Entender o tipo de engajamento que sua marca causa também é importante para verificar se há rejeição ou outros sentimentos negativos que atrapalham o branding.

Taxa de cliques

A taxa de cliques, não importa se para blog, e-commerce ou materiais ricos, também mostra a eficiência das postagens em relação ao conteúdo ou ao horário da publicação.

Conversão

As taxas de conversão podem indicar leads qualificados e até mesmo os novos negócios que surgiram a partir das postagens de redes sociais. Uma taxa de conversão alta, mas que custa muito, também merece ser otimizada.

Como escolher as melhores ferramentas para a gestão de redes sociais?

Todo esse trabalho de gerenciamento de redes sociais fica mais simples com o uso de ferramentas que permitem um trabalho otimizado. Selecionamos as principais!

  • HowSociable: como o nome já dá a dica, ela permite entender o nível social da sua marca e quais conteúdos trazem mais engajamento.
  • Google Alerts: a partir da sua configuração, a ferramenta detecta termos e palavras que possibilitam monitorar o que andam falando da sua marca ou mesmo dos concorrentes. 
  • Hootsuite: trata-se de um painel que faz a gestão de redes sociais, por meio de agendamentos, publicações e monitoramento dos conteúdos.
  • Keyhole: permite acompanhar e analisar as hashtags, medir a audiência e entender o impacto da marca.
  • mLabs: também faz o gerenciamento de redes, com agendamentos, postagens e relatórios.
  • Postgrain: realiza o agendamento e monitoramento dos posts no Instagram. Ideal para quem trabalha com contas variadas.
  • AdEspresso: plataforma focada em Ads, tanto para o Facebook quanto Instagram, que permite criar anúncios e gerenciá-los, assim como analisar o sucesso das campanhas.

Os resultados de uma gestão eficiente de redes sociais vêm a médio e longo prazos, por isso a constância é tão importante. Também sempre vale testar novos formatos, com relação ao horário da publicação, ao tipo de conteúdo e à abordagem com o público. Assim, você construirá a melhor estratégia para a sua marca.

Para aperfeiçoar sua gestão de redes sociais, baixe gratuitamente nosso template de calendário e organize toda a sua estratégia!

New Call-to-action
 GET HERE

Originalmente publicado 20/01/2022 04:00:00, atualizado Janeiro 20 2022

Temas:

Social Media