Ano após ano, ouvimos falar sobre o mesmo assunto: o profissional do futuro. Mas o que esse modelo de trabalhador tem e o que se espera dessas pessoas? É bem verdade que essa ideia muda com o passar do tempo. Afinal, muito provavelmente, o profissional atual foi um modelo idealizado há 10 anos, ou até há menos tempo. São evoluções naturais.

E-book gratuito

Metaverso: o que é e quais oportunidades traz para a sua empresa

Conte-nos um pouco sobre você para acessar o conteúdo

O mercado muda de acordo com o mundo, o que também gera impactos diretos nas propostas de negócio, nos modelos de gestão de empresas e também nas suas operações. Principalmente por conta dos avanços das tecnologias, há sempre novas formas de encarar o trabalho em diversos segmentos. Mas também existem fatores como a evolução humana e as mudanças da sociedade.

No momento atual, identificar as características esperadas para o profissional do futuro é o melhor ponto de partida para chegar próximo a esse modelo. Neste post, vamos trazer algumas sugestões e caminhos. Saiba o que o mercado espera, quais são suas habilidades e como se preparar adequadamente.

Um profissional moderno é aquele capaz de agregar as habilidades mais exigidas no contexto atual do mundo corporativo. Por exemplo, o perfil analítico e a educação em dados são duas necessidades já urgentes e que dão a quem as domina uma posição privilegiada. Para os próximos anos, junto a essas capacidades, algumas outras passarão também a ter um lugar de destaque.

Mas é importante reforçar que nem sempre será sobre capacidade técnica, conhecimento de metodologias e formação acadêmica. Hoje, é possível afirmar que as habilidades pessoais têm a maior valorização da história. Ou ao menos, nunca se falou tanto sobre as soft skills como se fala agora. Talvez, esse seja o maior momento de reconhecimento dessas qualidades.

Habilidades emocionais e comportamentais são essenciais

Um profissional capacitado é também alguém que sabe lidar, do ponto de vista comportamental, com os desafios e situações que sua atuação cotidiana vai impor. Relacionamento com outras pessoas, capacidade de negociação, liderança e postura colaborativa são algumas características essenciais.

Um trabalhador reconhecido no mercado precisa reunir todos esses fatores. O entendimento é de que uma alta capacidade técnica e uma qualificação acadêmica de renome não são suficientes se essas habilidades comportamentais e emocionais não vierem junto.

Por exemplo, hoje as metodologias ágeis estão muito presentes nas empresas. Nelas, o profissional trabalha em times, ou squads, que atuam com base em grande troca de ideias e colaboração. Se uma pessoa altamente qualificada não é capaz de se adaptar a esse contexto, então, ela não é vista como uma profissional exemplar.

Somente uma ou outra categoria de habilidades não é mais suficiente. O profissional do futuro, acima de tudo, é alguém que consegue mesclar conhecimento com dedicação às relações, à colaboração e às pessoas.

Metodologias e frameworks têm papel de destaque

Novas metodologias de trabalho permitem que equipes consigam desenvolver projetos em tempo reduzido, com muito mais capacidade de trocar percepções e melhorar funcionalidades. O caso mais comum é o dos produtos digitais, em que as metodologias ágeis se baseiam em dois pontos: a colaboração, para que as demandas sejam finalizadas em menor tempo, e a iteração, processo que permite executar, analisar, otimizar, executar novamente e assim continuar de maneira cíclica.

Há muitas metodologias usadas de maneira ampla nos mais diversos mercados, se diferenciando apenas de acordo com a necessidade do segmento e o setor corporativo em questão. O ponto é que, atualmente, há uma grande exigência por parte das empresas em relação à adaptação a esses métodos de trabalho. O profissional do futuro precisa as conhecer e ter vivência nelas.

Já os frameworks são métodos de análise de situações e estudo de variáveis aplicados para tomar decisões e avaliar contextos. Na prática, são ferramentas simples, podendo ser utilizadas de maneira digital ou no bom e velho papel e caneta, que ajudarão gestores e equipes de trabalho a entenderem melhor cenários para, dessa forma, seguirem os caminhos mais acertados.

O profissional do futuro, sem dúvidas, precisa entender, antes de tudo, o papel de um framework e sua capacidade de auxiliar equipes e pessoas. Além disso, o que se espera é que haja uma facilidade em atuar com esses recursos, ainda que não haja uma experiência prévia. O mercado também espera que os profissionais usem desses métodos para direcionar a tomada de decisões.

Adaptação e naturalidade com o digital é fator eliminatório

A era digital é uma realidade e não dá para fugir dela. Na verdade, é muito difícil que alguém queira se esconder da tecnologia que temos à nossa disposição. Todos os recursos, como os gadgets, as ferramentas de automação, as plataformas de gestão e o que mais for possível, estão totalmente disponíveis para facilitar nossas vidas. E isso não é diferente quando falamos de trabalho.

O processo de transformação digital custou tempo, investimentos e esforços de implementação às companhias. Enquanto isso, startups e novos negócios surgiram 100% pensados a partir do mundo digital e de tudo que o envolve. Esses dois cenários transmitem uma clara mensagem ao profissional: o presente e o futuro serão assim, então é fundamental que você esteja pronto.

Profissionais ativos dos dias de hoje, muito provavelmente, já estão adaptados aos principais softwares. Mas é importante entender que isso só vale para o momento atual. O futuro trará evolução para nossos recursos e o surgimento de novas ferramentas e tecnologias. Por isso, é importante se manter atualizado.

Baixe o nosso e-book para aprender mais sobre o Metaverso

1 - Capacidade de tomar decisões

A tomada de decisões é, sem dúvida, uma das habilidades mais buscadas no profissional do futuro. Mas, na realidade, isso já é algo do nosso presente. Quem tem essa qualidade já é observado pelo mercado de maneira diferenciada. Faz sentido, afinal, os objetivos estratégicos de grandes empresas, muitas vezes, dependem do direcionamento que gestores escolhem para diferentes setores.

Essa tomada de decisão, no entanto, não está associada a subjetividade e ao achismo. Por estarem ligadas ao futuro de setores e companhias, as decisões estão sempre baseadas em dados. Ou seja, a capacidade de tomar decisões pressupõe familiaridade com dados e com análises. E um bom profissional, ainda que não em cargos gerenciais, precisa saber como tomar decisões.

2 - Comunicação clara e assertiva

Habilidades de comunicação nunca foram vistas como algo que todo profissional deveria ter, mas sim, como uma característica pessoal de determinadas pessoas. Ou você nascia as tendo ou simplesmente não era a sua. Mas, a verdade é que esse sempre foi um pensamento cheio de paradigmas que, quando desconstruído, se tornou uma inverdade. Por que não se tornar essa pessoa?

Naturalmente, somos seres distintos, com personalidades diferentes, o que nos torna mais ou menos capacitados de nos comunicarmos bem. No entanto, assertividade e clareza vão um pouco além disso. Essas questões estão a ligadas à habilidade de transmitir mensagens de maneira gentil, descomplicada, com foco no que desejamos e com a preocupação sobre como outras pessoas a receberão. Seja para aplicar em um discurso motivacional, seja para dar um feedback.

3 - Visão estratégica

A visão estratégica de negócios é a capacidade de enxergar empresas e suas atividades como um todo, não somente focado no que você e seu setor fazem. Por exemplo, um profissional de marketing deve se preocupar com o impacto de suas ações e estratégias no planejamento todo da empresa. Até porque o marketing tem papel fundamental nos resultados de um negócio.

Quando alguém tem visão estratégica, sua atuação profissional poderá sempre ser direcionada aos objetivos da empresa. Isso resulta em maior capacidade de alcançar metas, proposição de ideias e ações mais alinhadas aos números desejados, além de um entendimento completo do negócio. Essa é uma postura muito valorizada, pois define pessoas que fazem a diferença nas empresas.

4 - Pensamento analítico e inovação

O pensamento analítico é um fator de diferenciação do profissional moderno para aquele que ainda precisa se desenvolver. Hoje, toda e qualquer ação precisa ser feita com base em resultados e, por sua parte, esses números estão sempre à disposição. Ou seja, não há nenhum outro caminho que não seja a postura analítica, com foco em ações certeiras, que demandem esforços e recursos adequados.

É a partir desse ponto de partida que profissionais conseguirão desenvolver a cultura de inovação dentro de uma empresa. Usar criatividade e ter boas ideias é importante, porém encontrar soluções nunca antes pensadas para resolver problemas comuns também são características valorizadas nesse momento. É importante ter uma visão analítica para entender dores, o mercado, entre outros fatores.

5 - Aprendizagem ativa e estratégias de aprendizagem

Faculdades nem sempre ensinam tudo que um profissional precisará no mercado. Por vezes, nem mesmo pós-graduações e MBAs são capazes disso. Mas, não se trata da necessidade de rever os planos de ensino. Isso acontece frequentemente. Na verdade, a questão está ligada aos avanços tecnológicos, as mudanças comuns do mercado e as alterações da sociedade.

É por isso que aprender é mais do que uma necessidade. Hoje, ter facilidade de absorver conhecimentos de maneira contínua e trabalhar em estratégias para isso é uma exigência. O profissional do futuro precisa ser alguém pronto para adquirir novas habilidades de maneira constante, quase que mensalmente. Essa postura vale ouro nos dias atuais e é garantia de sucesso no futuro!

Cursos da HubSpot Academy

6 - Resolução de problemas complexos

Quanto mais difíceis se tornam os desafios de gestão e operação, mais complexos tornam-se os problemas a serem enfrentados no cotidiano. E isso deve escalar, à medida que a capacidade de trabalho e entrega de soluções melhora. O futuro será se muitas facilidades para consumidores, por exemplo. Porém, isso significa problemas complexos para serem resolvidos nas empresas.

A resolução de problemas depende de alguns fatores comportamentais e emocionais, que vão além da capacidade técnica, como persistência, calma, paciência, perseverança, concentração, comunicação, relacionamento interpessoal, entendimento sobre o público e resiliência.

7- Pensamento crítico

Muitas vezes, há uma confusão sobre o que é, de fato, o pensamento crítico. O profissional do futuro não é alguém que questiona tudo que é feito por seus companheiros de trabalho. Essa pessoa, na verdade, é aquela capaz de ter autonomia para pensar em possibilidades, avaliar escolhas e refletir por linhas de pensamento distintas do comum. Porém, sempre com o bom senso guiando tudo.

O pensamento crítico depende não só da vontade de querer fazer diferente ou encontrar as melhores soluções. Essa sensibilidade está associada a experiência, expertise, qualificação profissional, capacidade de entender perspectivas e contextos, além de outros pontos.

8 - Criatividade e originalidade

A criatividade não é uma benção e não depende de apenas de inspiração. O processo criativo pode ser rotineiro, diferentemente do que muitos pensam. E, para isso, é importante criar mecanismos e práticas que resultarão em momentos de criatividade totalmente planejados. Referências, estudos e bagagem são o que você precisa para conseguir ser alguém mais criativo e, melhor, sempre que precisar!

Quando mais bem estabelecido for seu processo, mais seguro você se sentirá para criar com qualidade. Naturalmente, isso permitirá que você possa expressar suas ideias e transformá-las em ação da maneira certa, sempre com sua marca registrada. A originalidade é fundamental e classifica um bom profissional.

9 - Liderança e influência

Aqui, nossa análise segue a mesma linha do tópico anterior: liderança pode ser característica pessoal, mas não aparece só nesses casos. É fundamental trabalhar para desenvolvê-la, o que está ligado a outras habilidades, como comunicação, iniciativa, tomada de decisão, bom relacionamento interpessoal etc. Ou seja, reunir qualidades capacita você a liderar.

Algumas dessas características citadas, combinadas a outras, como o carisma e a capacidade de ouvir as pessoas, também levam profissionais a serem mais influentes. Influência também é algo fundamental a líderes e gestores, uma vez que é um traço que gera admiração e lealdade. Um bom líder precisa ter influência e, ao mesmo tempo, quem é influente é capaz de liderar.

10 - Uso, monitoramento e controle de tecnologia

Tecnologia não precisa ser vista como um bicho de sete cabeças. Desmistificar isso é o primeiro passo para se tornar um profissional que tem recursos avançados como aliados. Afinal, softwares, ferramentas e outras tecnologias só vão ajudar você no dia a dia. E o profissional do futuro deve ser capaz não só de usá-las, mas de dominá-las e fazer delas aliadas para o bom desempenho.

O controle da tecnologia é saber fazer dessas plataformas verdadeiras armas para resolver problemas, analisar resultados, otimizar processos e gerenciar times. Em muitos casos, os softwares também serão valiosos para o monitoramento de métricas de desempenho, algo fundamental em muitos setores. Quem lida bem com esses cenários terá sucesso futuramente!

11 - Resiliência, tolerância ao estresse e flexibilidade

O mundo corporativo jamais será de mil maravilhas. Por mais unida, amigável e dedicada será sua equipe de trabalho, problemas acontecerão. E isso é perfeitamente normal em qualquer contexto, independentemente do mercado. Nesses momentos, é fundamental ter preparo psicológico, manter a resiliência e garantir que os níveis de estresse estarão devidamente controlados.

Realizar concessões faz parte e isso terá que ser uma habilidade sua. Empresas vão procurar pessoas que conseguem dialogar, flexibilizar suas ideias e atuação e, respeitando limites éticos e técnicos, se adaptem a situações. Naturalmente, tudo isso está ligado à inteligência emocional. Por isso, pense também em você enquanto pessoa e não só como profissional. Planeje uma vida saudável e siga isso como uma das mais importantes dicas.

12 - Resolução de problemas na experiência do usuário

User Experience, amplamente conhecida como UX, é uma das áreas de trabalho mais relevantes no mercado atualmente. O motivo é simples: trata dos processos de criação, gestão e otimização de tudo que trata da experiência de um consumidor nas interações com empresas.

Por isso, os profissionais de UX, sejam eles designers, sejam pesquisadores, desenvolvedores e redatores, têm lugar especial no futuro do mercado de trabalho. No momento, o mais interessante a se fazer é estudar sobre o assunto, buscar cursos, ler livros e, de alguma forma, adicionar esse campo de conhecimento às suas habilidades. O mercado já se mostra aquecido no setor!

13 - Mentalidade de customer service

A mentalidade de customer service consiste em pensar como o cliente da marca em questão. Esse exercício é fundamental por dois motivos: primeiramente, você remove suas percepções do campo da subjetividade, evitando vieses. Além disso, com essa mentalidade, é possível ser um profissional capaz de atuar em empresas customer centric, ou seja, que gerenciam o negócio com foco no consumidor.

Essa postura profissional vem por meio de estudos, pesquisas com o público da empresa e um aprofundamento no campo de UX, ao qual nos referimos no tópico anterior. Portanto, em um contexto de mercado em que muitas empresas estão adotando esse modelo de gestão, a tendência é que você seja visto como um profissional qualificado em um futuro breve.

Como se preparar para ser um profissional do futuro?

Seria esta a pergunta de um milhão de dólares? Bem, pode parecer que sim, mas a verdade é que a resposta é bem mais simples do que pode imaginar. Na verdade, são respostas um tanto quanto claras para quem já está há algum tempo buscando informações sobre como se tornar o profissional do futuro.

Invista na sua educação

Você não precisa entrar em uma nova universidade ou mudar de carreira. Claro, isso não é necessariamente um caminho, mas se for sua escolha, sem problemas. O ponto é que, atualmente, há muitas formas de educação continuada à disposição, como:

  • palestras;
  • workshops;
  • cursos (muitos deles digitais, como os da HubSpot Academy por exemplo);
  • bootcamps;
  • mentorias;
  • pós-graduações.

Além desses modelos tradicionais, você também pode se dedicar ao estudo mais particular, no seu tempo e com seus recursos, por meio de livros, artigos e materiais do tipo. Todo conhecimento pode ser valioso quando você entende quais são suas necessidades a serem preenchidas. E isso vai desde aprender até a melhorar habilidades.

Busque o autoconhecimento

Por vezes, tornar-se o profissional do futuro que o mercado tanto deseja é identificar seus pontos de melhoria. O autoconhecimento, seja do ponto de vista técnico, seja do emocional, podem ajudar você a entender onde estão suas falhas, em que pontos precisa melhorar e quais são suas lacunas de habilidades. Quem mais além de você, de maneira sincera, pode compreender isso?

Muitas das habilidades do profissional do futuro são comportamentais e emocionais. Então, cuidar da sua evolução e melhora pessoal é também um ponto de atenção nesse desenvolvimento. Converse com pessoas especializadas e, dessa maneira, identifique em que questões você pode buscar sua melhora.

O profissional do futuro não é um robô ou uma pessoa acima da média em relação ao que se vê atualmente. Na verdade, esse modelo que destrinchamos ao longo deste conteúdo é alguém que teve as experiências ideais e dedicou tempo de aprendizagem aos temas e às habilidades certas. Por isso, você não está tão distante quanto pode pensar de quem deseja se tornar no futuro.

Curtiu este post e os assuntos abordados nele? Então aproveite e confira o nosso guia de carreira e comece a trabalhar no seu futuro profissional

o que é metaverso?

 veja como o metaverso pode ajudar sua empresa a crescer

Originalmente publicado 17/out/2022 6:45:00, atualizado Janeiro 20 2023