O que é employer branding? 6 estratégias de como aplicar

Modelos de onboarding de cliente
Thais Campbell
Thais Campbell

Publicado:

A busca pelos melhores talentos do mercado e a retenção de funcionários qualificados são desafios constantes para as empresas. O employer branding se destaca como uma poderosa estratégia de marketing para atrair, engajar e reter profissionais de alto nível.

saiba o que é employer branding

 

Guia completo

O futuro do trabalho já chegou! Veja se sua empresa está pronta.

Conte-nos um pouco sobre você para acessar o conteúdo

 

Além de tornar o processo de recrutamento e seleção mais certeiro, fortalecer a imagem do negócio como marca empregadora é fundamental para deixar a sua empresa mais atrativa aos olhos dos stakeholders. Mas não é só isso!

A seguir, vamos explicar melhor o que é employer branding e apresentar suas vantagens. Tem também dicas para aplicar a estratégia e fortalecer a imagem da sua empresa como marca empregadora. Confira!

Apesar do foco na manutenção de uma boa reputação, o employer branding vai além. Nesse contexto, também é importante fortalecer a cultura organizacional e garantir que ela reflita os valores e propósitos da empresa. Oferecer um ambiente de trabalho estimulante e recompensador também faz parte desse pacote.

O objetivo é construir uma marca empregadora que seja autêntica, coerente e atraente para os profissionais que buscam oportunidades de carreira.

Qual a importância do employer branding?

Assim como as empresas precisam cuidar da reputação para atrair consumidores e fidelizar, é necessário preservar a imagem do empregador para chamar a atenção de talentos e retê-los. A seguir, vamos explicar melhor as vantagens de investir na estratégia.

Criação de promotores da marca

É comum que as empresas peçam referências profissionais antes de contratar um colaborador. Por outro lado, os candidatos também buscam informações sobre os negócios antes de aceitar propostas de trabalho.

Uma empresa que investe em employer branding cria funcionários defensores da marca, que recomendam o ambiente para outros profissionais de maneira espontânea. Essa publicidade positiva melhora a reputação geral da empresa.

Retenção de talentos

De acordo com uma pesquisa realizada pelo LinkedIn, intitulada “Por que e como as pessoas mudam de emprego”, os funcionários abandonam seus postos de trabalho por causa da insatisfação com a empresa. Mais especificamente:

  • 45% mudaram de emprego preocupados com o avanço profissional;
  • 41% saíram do trabalho por causa da insatisfação com a liderança direta ou diretoria;
  • 36% estavam insatisfeitos com a cultura e os valores da empresa;
  • 36% buscavam um trabalho mais desafiados;
  • 34% não gostavam da compensação e benefícios oferecidos;
  • 32% não acreditavam que eram reconhecidos e premiados pelo trabalho realizado.

Os dados mostram que melhorar as condições de trabalho é fundamental para reter talentos. Esse é o objetivo do employer branding.

Afinal de contas, para a empresa ser reconhecida como um bom local para trabalhar, é necessário oferecer boas experiências aos colaboradores.

Atração de talentos

O mesmo levantamento do LinkedIn que acabamos de citar revela mais um dado interessante. Conforme o estudo, 75% dos candidatos usam a rede social para buscar informações sobre a empresa antes escolher os rumos da carreira

Durante essa pesquisa, os candidatos visualizam o perfil de funcionários e investigam a marca para avaliar se vaga a pena tentar a vaga.

Empresas com boa imagem enquanto marca empregadora saem em vantagem. É por isso que a estratégia é fundamental para atrair os melhores talentos do mercado. Aliás, a tática também é útil para conquistar trabalhadores mais alinhados ao fit cultural do negócio.

Redução de custos

O processo de contratação de um novo funcionário tem lá seus custos: recrutamento e seleção, treinamentos, onboarding etc. Ainda, por causa da curva de aprendizado, um novo colaborador demora um tempo para alcançar seu potencial máximo no cargo.

Ao trabalhar na retenção de colaboradores, é possível economizar com esses processos. Segundo dados de outro estudo do LinkedIn, empresas que investem em employer branding gastam cerca de 43% menos que seus concorrentes para contratar novos profissionais.

Tem mais: além de reduzir custos com a contratação, é possível diminuir despesas com retrabalho, uma vez que a empresa consegue atrair profissionais mais qualificados e comprometidos.

Maior engajamento profissional

Quando os funcionários têm um forte senso de identificação com os valores e cultura da empresa, eles sentem orgulho de ser parte dela e fazem questão de “vestir a camisa”. O resultado desse pertencimento pode ser visto no aumento da motivação, produtividade e engajamento.

Melhores resultados gerais

Apesar de o employer branding ser mais voltado para o público interno e os candidatos a postos de trabalho, os resultados da empresa melhoraram com um todo com a estratégia.

Pensa bem: colaboradores mais qualificados e engajados fazem o seu trabalho com maestria. O consumidor final sente o resultado na pele com a melhoria da qualidade dos produtos e serviços.

A primeira ideia é: o employer branding não consiste apenas em colocar mesas de ping-pong no escritório, nem deixar uma TV com Netflix para os colaboradores assistirem nas horas de folga.

A estratégia é bem mais complexa, com ações para melhorar a qualidade de vida no trabalho, motivar os colaboradores, reconhecê-los, oferecer oportunidade de desenvolvimento, investir em diversidade e inclusão e por aí vai.

Esclarecimentos feitos, a seguir, vamos dar algumas dicas para aplicar a estratégia na sua empresa. Acompanhe as etapas.

1. Comece pelo planejamento

O primeiro passo é fazer um diagnóstico interno e identificar quais são os pontos fracos da organização. Por exemplo: algumas empresas até conseguem atrair talentos com alto potencial, mas os perdem por não oferecer um ambiente de trabalho agradável.

Nesse caso, o ideal é entender mais a fundo o problema e ter um ou mais objetivos em mente na hora de estruturar a estratégia. Isso inclui compreender as necessidades dos colaboradores, envolver as lideranças no processo, criar um cronograma de ações etc.

Outro ponto importante é a criação de uma equipe dedicada ao projeto de employer branding. Em um primeiro momento, pode ser necessário reestruturar missão, visão, valores e até ajustar a cultura organizacional para representar melhor a nova fase da empresa.

2. Crie sua Employment Value Proposition (EVP)

A Proposta de Valor do Empregador — Employment Value Proposition (EVP), em inglês — é uma estratégia que destaca os benefícios, valores e diferenciais oferecidos pela marca enquanto empregadora. É uma espécie de promessa que a empresa faz aos colaboradores para esclarecer o que podem esperar ao trabalhar nela.

Nesse contexto, é importante listar todas as ações adotadas para melhorar a qualidade de vida do trabalhador. Por exemplo: plano de carreira, programas de capacitação e desenvolvimento, horários flexíveis, remuneração competitiva, ambiente saudável, premiações por desempenho, benefícios corporativos etc.

Guia completo sobre o futuro do trabalho com tudo o que você precisa saber

3. Identifique o perfil profissional ideal para cada cargo

É impossível construir uma boa marca empregadora sem aprimorar o processo de recrutamento e seleção. Dessa forma, é fundamental promover um alinhamento entre as necessidades da empresa e o perfil do candidato.

Sendo assim, crie uma descrição de cargos e funções com todas as informações pertinentes a cada posição. Por exemplo: experiência necessária, cursos obrigatórios, competências, habilidades técnicas e comportamentais, entre outros.

4. Garanta que o local de trabalho seja agradável

Mobília ergonômica, equipamentos em perfeito funcionamento, conforto térmico, iluminação, limpeza, organização, clima harmônico e por aí vai.

Esses são fatores que fazem parte do employer branding porque garantem o bem-estar dos colaboradores e favorecem a produtividade. Sendo assim, faça ajustes estruturais para garantir que o local de trabalho seja agradável.

5. Implemente uma cultura de feedback

Uma cultura de feedback promove a transparência e a confiança entre a liderança e os colaboradores. Isso fortalece o relacionamento e a comunicação interna, de modo a criar um ambiente de trabalho colaborativo e positivo.

Além disso, esse espaço de comunicação multilateral contribui para o desenvolvimento dos colaboradores, gera engajamento e melhora o clima organizacional. Essa postura favorece a imagem da empresa como um excelente lugar para trabalhar.

6. Invista em marketing digital

O marketing desempenha um papel fundamental na comunicação EVP. Uma boa dica é alimentar as redes sociais da marca — em especial aquelas com foco nas relações profissionais, como o LinkedIn — com conteúdos relevantes. Vale compartilhar o dia a dia da empresa, usar depoimentos de colaboradores satisfeitos, participar de eventos e feiras de carreira etc.

Outra estratégia poderosa para fortalecer o branding é o Inbound Marketing. Você pode criar um blog, por exemplo, e incentivar os colaboradores a produzirem conteúdo por lá. Existe uma infinidade de temas para explorar, como processo de onboarding, relacionamento interpessoal no ambiente de trabalho, dicas para desenvolvimento na carreira e como conseguir uma promoção.

Quais são os principais indicadores de employer branding?

Os indicadores de employer branding são métricas utilizadas para medir o desempenho e a eficácia das estratégias de employer branding de uma empresa. Eles fornecem insights sobre como a empresa é percebida pelos candidatos a emprego, os funcionários atuais e o mercado em geral.

Veja só alguns indicadores que vale a pena acompanhar.

Número de inscritos nos processos seletivos

Mede a quantidade de candidaturas recebidas para as vagas disponíveis. Uma alta taxa de candidaturas pode indicar que a empresa tem uma forte marca empregadora, vista como um local atraente para trabalhar.

No entanto, cuidado para não supervalorizar o volume de aplicações. Afinal de contas, o excesso de aplicações de candidatos desalinhados pode indicar falhas na descrição do cargo.

Custo por contratação

Lembra que mencionamos que um trabalho de employer branding bem-feito reduz os custos por contratação? Pois bem, se o seu indicador diminuir após a aplicação das estratégias, isso significa que a estratégia apresenta resultados positivos.

Tempo médio de preenchimento de vagas

Essa métrica mostra o prazo médio que a empresa leva para preencher uma vaga aberta. Quando esse tempo é longo demais, significa que o negócio enfrenta dificuldades para encontrar o candidato ideal ao cargo. Já um tempo curto de preenchimento pode indicar uma boa reputação da empresa e um processo de recrutamento eficiente.

Rotatividade de funcionários

Também conhecida como turnover, a taxa de rotatividade de funcionários representa o fluxo de entrada e saída de colaboradores na empresa. Entram nesse pacote os profissionais que pediram demissão, os demitidos, as transferências, aposentadorias etc.

Quanto mais alta for essa taxa, maiores são os indícios de que o negócio enfrenta problemas de employer branding. Nesse contexto, vale avaliar também o tempo médio de permanência de cada colaborador na empresa.

eNPS

O NPS é uma métrica que mede o nível de lealdade de um consumidor a uma marca. Já o eNPS é voltado para o público interno. Sendo assim, o indicador pode ser usado para avaliar a satisfação interna.

Premiações

Prêmios e títulos relacionados ao employer branding — como Great Place to Work e Best WorkPlaces — comprovam que as empresas são, de fato, bem-vistas no mercado de trabalho.

Marcas conhecidas, como Nestlé, Mercado Livre, Accenture e Adobe, marcaram presença no ranking mundial de 2022.

Retorno sobre investimento (ROI)

Calcular o ROI do employer branding é um desafio porque envolve impactos intangíveis, como a satisfação dos colaboradores, a reputação da empresa e a capacidade de atrair e reter talentos.

No entanto, existe uma forma de mensurar os benefícios a partir das estratégias. A fórmula de cálculo é mesma usada nas campanhas de marketing:

ROI = (Receita − Custos) / Custos × 100

No campo de custos entram as despesas com desenvolvimento de materiais de recrutamento, eventos de engajamento, criação de conteúdo, ferramentas tecnológicas, treinamento e desenvolvimento, entre outras.

Já a receita envolve os lucros obtidos a partir das estratégias de employer branding. Exemplos: melhores resultados financeiros devido ao aumento na produtividade com a atração dos melhores talentos do mercado, economias geradas pela redução do turnover, mais vendas em decorrência da melhor reputação da empresa etc.

O employer branding é uma estratégia para garantir que a empresa tenha fama de ser um bom local para trabalhar. Para conseguir isso, é necessário fortalecer a cultura organizacional e oferecer um ambiente de trabalho agradável. As vantagens são: promotores da marca, retenção de talentos, atração de profissionais qualificados, redução de custos, aumento do engajamento dos funcionários e melhores resultados.

Gostou do nosso artigo e quer saber mais sobre branding? Leia outros conteúdos do blog e baixe grátis nosso e-book para saber como criar uma marca de sucesso.

tudo o que você precisa saber sobre o futuro do trabalho
Tópicos: Branding

Artigos relacionados

Pop up para MODELOS DE ONBOARDING DE CLIENTE GARANTA O SUCESSO DE CLIENTES DA PRIMEIRA INTERAÇÃO AO PÓS-COMPRA

Facilite o onboarding de clientes com os nossos templates gratuitos

    Pop up para MODELOS DE ONBOARDING DE CLIENTE GARANTA O SUCESSO DE CLIENTES DA PRIMEIRA INTERAÇÃO AO PÓS-COMPRA

    Marketing software that helps you drive revenue, save time and resources, and measure and optimize your investments — all on one easy-to-use platform

    START FREE OR GET A DEMO