Você provavelmente já sabe que os conteúdos em vídeo são cada vez mais utilizados para prender a atenção do usuário. O que o torna imprescindível e, talvez, obrigatório é seu uso dentro de uma estratégia de marketing viral.

Confira nosso guia completo de estratégia de vídeo para vendas e marketing.

Quantas vezes você parou para assistir a um vídeo que algum amigo ou familiar enviou e, em seguida, compartilhou com outros contatos? Quando o objetivo é viralizar na internet, não existe alternativa mais efetiva que um conteúdo audiovisual bem produzido, com uma ótima sacada.

Não é à toa que 94% dos profissionais de marketing planejam adicionar vídeos do YouTube ou Facebook às suas iniciativas de distribuição de conteúdo nos próximos 12 meses. E isso é ótimo, claro, mas temos uma pergunta: o que faz um vídeo se tornar um viral?

<< Utilizando redes sociais para gerar leads? Temos uma ferramenta gratuita para te ajudar >>

Para apresentar uma resposta completa, reunimos alguns vídeos como exemplo de marketing viral e também explicamos os motivos de eles serem tão eficazes. Considerando que os vídeos virais podem fazer sucesso e ter uma popularidade duradoura, você vai perceber que nem todos são tão recentes assim.

Continue a leitura deste artigo e tire todas as suas dúvidas sobre o tema!

Mais que qualquer outra coisa, a principal ideia por trás do marketing viral é fazer com que o conteúdo feito por uma empresa chegue em usuários que nem conheciam a marca. Para as companhias, é uma forma de expandir sua atuação e gerar um buzz positivo em torno do seu trabalho. Tudo isso apesar de, normalmente, o foco dessa estratégia ser mais a mensagem do que a empresa em si.

Outra característica importante do marketing viral é a falta de controle sobre a peça. Se uma das vantagens do marketing digital é justamente o maior domínio sobre a eficiência de uma campanha, esse poder se torna muito menor quando se trata da viralização. Afinal, um conteúdo bem produzido pode ser bem-visto pela sua persona, mas não conseguir romper a barreira e viralizar.

Por que o marketing viral acontece?

De acordo com o Dictionary.com, viralizar significa tornar-se “muito popular devido à circulação rápida entre as pessoas, especialmente pela internet”. Quando bem executada, essa capacidade de viralizar pode durar um bom tempo.

O marketing viral, portanto, segue essa proposta: despertar algum tipo de emoção no público a fim de não ser mais esquecido. Pode ser por meio de um conteúdo divertido e cômico ou até uma mensagem mais séria que sirva de reflexão sobre um tema específico. As possibilidades são variadas, mas o importante é conseguir prender a atenção da audiência.

A partir do momento que um usuário se diverte com um vídeo publicado na página do Facebook da sua marca, por exemplo, ele vai compartilhar o material com seus amigos. E quando a mensagem é feita da forma certa, essa ação se repete mais e mais vezes. É só pensar — quantas vezes você não gostou de um vídeo e seguiu o mesmo ritual descrito logo acima? Muitas, certo?

O marketing viral acontece, então, quando a mensagem transmitida é tão forte que transcende até a marca envolvida no projeto. Dessa forma, fica fácil alcançar aqueles usuários que nem mesmo ouviram falar da sua empresa. O que eles passam a compartilhar não é um anúncio ou campanha, mas o conceito que o material consegue transmitir.

Quais são os 10 exemplos de marketing com vídeos virais?

Agora que você já tem uma ideia do conceito de marketing viral, que tal compreender mais sobre a estratégia com exemplos reais? A seguir temos alguns ótimos!

1. Dallas Zoo & Bob Hagh: Gorila que dança break

Começamos com um exemplo um pouco incomum. Tudo começou quando a supervisora do Dallas Zoo Primate, Ashley Orr, capturou este vídeo de Zola, um gorila feliz dançando, girando e espirrando água para fora de uma piscina infantil. Confira:

Como se já não fosse engraçado o bastante, o produtor de vídeo do Star-Telegram, Bob Hagh, percebeu que a “coreografia” do gorila tinha uma incrível semelhança com uma cena do filme Flashdance, ao som da música “Maniac”.

Ele notou a oportunidade cômica e dublou o vídeo do gorila dançante com a mesma faixa. Em menos de uma semana, o vídeo foi curtido por empresas como CNN, Maxim e ABC. Basta procurar os resultados de pesquisa de “gorila dançando Maniac”.

Por que funciona?

Quantas vezes você assistiu a um vídeo e pensou “isso me lembra outra coisa”? Foi exatamente o que Hag fez aqui — pegou um vídeo que já era legal, adicionou uma coisa simples e transformou em algo ainda mais compartilhável.

Depois que a versão “melhorada” do vídeo do gorila viralizou, observamos que é bem comum ocorrer esses momentos efêmeros. “Não seria engraçado se…?”. Embora não haja garantia de que investir nesse raciocínio dê resultados virais — e não recomendamos investir tempo demais em algo sem chance de compensar —, a experiência de Hagh faz analisar melhor.

Preste atenção no que você normalmente considera uma ideia boba e, se houver uma maneira descomplicada de fazer algo a respeito, faça isso! Mas procure analisar as métricas que consegue gerar a partir do desempenho. Veja quem reage a cada experimento e como. Isso pode informar sua estratégia de marketing viral.

2) Dollar Shave Club: "Nossas lâminas são f***"

O conteúdo abaixo tem mais de 7 anos e, ainda assim, de todos os vídeos da Dollar Shave Club no YouTube, continua sendo o mais popular da marca, com mais de 27 milhões de visualizações:

Por que funciona?

Vale a pena comentar o fato de eles terem dado um rosto à marca, que, nesse caso, é o fundador da Dollar Shave Club, Michael Dubin.

Os funcionários podem ter até 10 vezes mais seguidores em redes sociais do que as empresas onde trabalham — e o conteúdo compartilhado por eles recebe 8 vezes mais envolvimento. Em outras palavras, os espectadores curtem quando as pessoas por trás de uma marca a promovem.

É exatamente o que esse vídeo faz. Devido ao enorme sucesso, Dubin não desapareceu de cena: ele continua a atuar na maioria dos conteúdos da Dollar Shave Club. Só que donos de empresas e executivos são muito ocupados. Então, como eles têm tempo para aparecer em todos esses vídeos de marketing?

Para nós, a resposta é: eles arrumam tempo. Ao investir publicamente no conteúdo de sua marca, um executivo transmite a mensagem de que acredita nela e que não deixou o sucesso afetar seu caráter. É uma forma excelente de demonstrar autoridade no assunto. O crescimento e a popularidade da Dollar Shave Club são indicativos de que isso funciona!

3. IBM: “Um garoto e seu átomo: o menor filme do mundo”

Veja outro vídeo na categoria: “é velho, mas funciona”. Ele está na categoria do setor de B2B para anunciar serviços de armazenamento de dados da IBM. Mas, da mesma maneira que aconteceu com a Dollar Shave Club, marca de B2C, o exemplo abaixo também é o vídeo mais popular da empresa no YouTube, com mais de 14 milhões de exibições:

“Até mesmo nanofísicos precisam se divertir um pouco” é a descrição explicando que, para fazer o vídeo, “os pesquisadores da IBM usaram um microscópio de tunelamento com varredura para mover milhares de moléculas de monóxido de carbono; tudo para conseguir fazer um filme tão pequeno que pudesse ser visto apenas ao ser ampliado 100 milhões de vezes”.

O filme tem o título do Guinness World Records™ de Menor Filme em Stop-Motion do Mundo.

Por que funciona?

Leia outra vez a primeira parte da descrição do vídeo: “até mesmo nanofísicos precisam se divertir um pouco”. Substitua a profissão por qualquer outra e, a depender do seu setor, isso também poderia se aplicar ao seu trabalho. Todos os profissionais de marketing merecem se divertir um pouco. A questão é: “como”?

Isso apresenta outra oportunidade de começar a prestar atenção nesses pensamentos “não seria legal se …?” e pensar em como você pode agir para criar um conteúdo interessante. Isso é especialmente importante em marketing de B2B, em que a comunicação criativa e relevante de seu produto ou serviço é um desafio conhecido.

Então, repetiremos mais uma vez — anote ideias de coisas legais e apresente-as na sua próxima reunião de marketing viral com um plano para implementá-las. E quer ver como este filme foi feito? Confira as cenas bônus!

 

4) TrueMoveH: "Doação"

A TrueMoveH, uma empresa provedora de serviços de comunicação móvel na Tailândia, fez todo mundo chorar quando lançou este vídeo, em 2013. Até o momento, ele tem mais de 20 milhões de visualizações e continua sendo o vídeo mais popular da marca no YouTube.

Não estamos chorando. Você está chorando.

Por que funciona?

Vamos pensar em alguns dos anúncios que nos despertam emoções, por exemplo, o anúncio da Budweiser “Puppy Love” para o Super Bowl de 2014 que, em janeiro de 2016, a Inc. chamou de “o anúncio do Super Bowl mais popular de todos os tempos”.

Eles são populares e as pessoas continuam falando sobre eles muito tempo depois de serem exibidos pela primeira vez. Isso ocorre porque despertam empatia, o que pode influenciar bastante as decisões de compra, especialmente quando há uma história envolvida.

Esse vídeo conta uma história. É o relato de um homem que foi indiscutivelmente generoso ao longo da vida e, no final, recebeu a retribuição em uma situação importante. A melhor parte é que em nenhum momento da narrativa a marca é mencionada. De fato, apenas no final aparece a categoria de negócios da TrueMoveH (comunicação).

A ideia é: comece com seu setor. Em seguida, pense em uma história que você queira contar, qualquer uma, desde que desperte empatia. Depois, descubra a relação dessa história com o que sua marca faz e use-a para criar o conteúdo do vídeo.

5) Tripp and Tyler & Zoom: "Uma chamada de conferência na vida real"

Há o outro lado da empatia, que retrata os maiores aborrecimentos da vida com humor. É exatamente o que fizeram os hosts de podcast Tripp e Tyler para ilustrar como seria uma chamada de conferência se ocorresse na vida real.

Por que funciona?

Esse é um caso interessante de comarketing. Tripp e Tyler fizeram o vídeo em parceria com a Zoom, provedora de videoconferência. Mas ela só é mencionada no fim, bem depois de terminar a história. É como se o vídeo falasse: “hahaha, você não odeia quando isso acontece? Essa empresa tem a solução” e, em seguida, encerra.

Quais são os maiores aborrecimentos com os quais seus clientes ou personas têm que lidar? Eles estão alinhados com os problemas que seus produtos ou serviços foram feitos para resolver? Se a resposta for “não”, você terá um trabalho a fazer.

Mas, se a resposta for “sim”, encontre o humor nesses problemas. Não dizem que “a arte imita a vida”? Então, não tenha medo, use essas frustrações comuns para criar conteúdo interessante.

6. Poo~Pourri: “Imagine para onde você pode IR”

A Poo~Pourri, criadora de um spray de banheiro exclusivo, é conhecida por seus vídeos virais. Embora não tenhamos muita coragem de compartilhar o mais popular aqui, mostramos outro, que teve mais de 13 milhões de visualizações e dará a você uma ideia geral sobre a marca:

Por que funciona?

Encaremos os fatos, no geral, o que acontece no banheiro fica no banheiro. Apesar de ser uma experiência vivida por todas as pessoas, é um tabu (dos grandes!). Mas a Poo~Pourri consegue abordar e comunicar o assunto com muita habilidade.

Os produtos dessa marca foram criados para resolver um problema que as pessoas normalmente não discutem publicamente, mas, ainda assim, precisam lidar. Então, a Poo~Pourri criou um conteúdo de vídeo que diz: “ei, vamos resolver o problema para que você não precise fazer isso”.

Quais são os tópicos incômodos a respeito do problema que seu produto busca resolver? Comece uma conversa sobre eles, de preferência uma que seu cliente tenha vergonha de abordar. Sabe o que mais? Não precisa ter a ver com funções orgânicas.

Pode ser sobre grandes reclamações, como pedir demissão. Essa é a abordagem que a HubSpot adotou com seu Summer Startup Competition, concurso de startups de verão, para o qual criamos o vídeo abaixo. A frase inicial? Uma declaração audaciosa: “peça demissão”:

7. Heineken: The cliché

O que é mais clichê do que homens, cerveja e futebol? E foi com o intuito de quebrar esse lugar-comum que a Heineken inverteu a lógica — colocou as mulheres como destaque da campanha.

Inicialmente, parecia apenas um vídeo sobre alguns homens tentando enganar as suas namoradas para que elas fossem a um spa e eles pudessem acompanhar a final da UEFA Champions League sozinhos.

Chegando ao estádio em São Paulo para acompanhar a partida por um telão e com toda a mordomia oferecida pela Heineken, aí aconteceu a surpresa. Confira:

Por que funciona?

Cerveja e futebol são dois elementos constantemente relacionados. Sendo uma das patrocinadoras de um dos maiores torneios do esporte, a Heineken sempre encontra uma maneira de promover a sua marca nesse período do ano.

Mas por que a ideia funcionou também? Justamente por quebrar o clichê e provocar uma sensação cômica em qualquer espectador. Inicialmente, os namorados parecem conseguir alcançar a tarefa de ficarem sozinhos no dia da final, mas, na verdade, quem acaba perdendo são eles.

Quando o jogo começa e as namoradas aparecem em Milão, a Heineken quebra a lógica desse cenário e leva para acompanhar a final in loco quem parecia sair perdendo dentro daquela dinâmica apresentada.

O motivo da viralização é simples: quantos homens não fariam o mesmo e se viram naquela situação? Além disso, a quebra do clichê no final do vídeo desperta uma sensação cômica na história, um mecanismo fundamental para conseguir viralizar.

E todo esse cenário é coordenado por uma mensagem mais importante: acabar com o clichê de que o futebol não é lugar para mulheres.

8. Itaú: Bebê sem papel

Poucas coisas são mais eficientes para viralizar do que a risada de um bebê. Melhor ainda se a marca consegue transmitir uma mensagem importante sobre seus serviços e que contribui com toda a sociedade.

De forma simples e prática, o Itaú conseguiu reunir todos esses elementos em um vídeo de 30 segundos para informar seus clientes sobre a digitalização de alguns processos:

Por que funciona?

Primeiro, o Itaú acertou com o bebê rindo e se divertindo com algo tão simples. Mas rasgar o papel representa muito mais que isso — é ter um consumo mais consciente e utilizá-lo apenas no que realmente vale a pena.

A fatura do cartão de crédito, por exemplo, pode ser conferida e paga pelo computador. Por que, então, gastar uma folha que não vai ter nenhuma usabilidade depois? De uma forma simpática e divertida, o banco conseguiu passar sua mensagem principal: trocar o papel pelo digital. Ao mesmo tempo, viralizou com a sua mensagem.

9.Metrô da Austrália: Dumb Ways To Die

O cuidado com a segurança dos seus passageiros deve ser uma prioridade de qualquer concessionária ou órgão que administre uma rede metroviária, certo? Mas nem sempre as faixas e sinalizações servem para mostrar ao público que determinadas práticas podem ser perigosas, colocando suas vidas e a de outros em risco.

Para chamar atenção de uma forma diferente, as autoridades em Melbourne, na Austrália, encontraram um jeito divertido de passar uma mensagem tão séria:

Por que funciona?

Um dos motivos para o vídeo viralizar é a trilha sonora, fácil de cantar e engraçada, já que o ritmo não parece falar de um assunto sério “jeitos estúpidos de morrer”. Quando esse ritmo se combina com as situações trágicas retratadas pelo desenho — com personagens coloridos e infantis —, tudo se torna ainda mais engraçado.

Assim, de forma bastante lúdica e cômica, as autoridades australianas conseguiram passar uma informação importante aos seus passageiros.

10. Nissan: Pôneis Malditos

Propagandas de automóveis quase sempre focam nas qualidades e características do veículo, certo? Para exaltar esses fatores, a Nissan decidiu apresentar elementos diferentes do que o mercado está habituado a conferir em uma campanha de montadora.

Para fazer uma oposição ao termo “cavalos” — que representa a potência —, a marca apresentou os “pôneis malditos”:

Por que funciona?

Uma das razões do sucesso da campanha é justamente quebrar o que é comum dentro desse meio. Além do mais, o marketing viral apostou em um jingle fácil de ser decorado e repetitivo. Nada melhor que isso para viralizar, certo?

E não é só o lado cômico que permitiu a viralização — o excêntrico também. Afinal, quem espera uma campanha de automóveis de estrada com desenhos de pôneis cantarolando? A inovação e a quebra de um padrão é outro fator relevante ao sucesso da campanha da Nissan.

Seja para fazer chorar ou rir, esses exemplos de vídeos de marketing viral ilustram as possibilidades infinitas de como a sua marca pode criar conteúdos semelhantes, do tipo que as pessoas falarão por um bom tempo. O mais importante é conseguir gerar alguma emoção na audiência com a sua mensagem. Quando isso acontece, as chances de viralizar aumentam consideravelmente.

Agora que você conferiu alguns exemplos de vídeos que nunca envelhecem e seguem fazendo sucesso, que tal dar o próximo passo e começar a fazer o seu marketing viral? Veja nosso guia completo sobre Vídeo Marketing para começar sua estratégia já!

Saiba como atrair e converter leads usando vídeos.
 Video para Marketing e Vendas

Originalmente publicado 17/04/2018 08:00:00, atualizado Março 24 2022