Segundo a Pesquisa de Marketing de Redes Sociais de 2022 da HubSpot, a maioria dos profissionais de marketing faz pesquisas semanais ou mensais sobre plataformas de redes sociais novas ou em ascensão.

Ao visitar a App Store ou o Google Play e pesquisar “rede social”, há centenas de opções de aplicativos. Com uma quantidade de plataformas sociais que só cresce, será que alguma pode realmente ser um divisor de águas para os profissionais de marketing esse ano?

[Baixe agora] O relatório de tendências das redes sociais para 2022

A verdade é: provavelmente, sim. O ano de 2020 mudou a forma como fazíamos as coisas, inclusive socializar. O distanciamento social se tornou uma parte corriqueira da vida e deixou um vazio na forma como nos comunicamos presencialmente.

Independentemente de qualquer coisa, o ser humano é adaptável, e diversos sites de redes sociais surgiram nos últimos meses para recriar as comunidades que tivemos de abandonar de repente.

As tendências das redes sociais

Até aqui, as tendências mais em voga são de redes sociais de áudio e streaming de vídeo ao vivo.

O streaming de vídeo ao vivo (32%) foi o formato que mais recebeu investimentos dos profissionais de marketing esse ano, ficando atrás apenas dos conteúdos em vídeos curtos. Os dados também revelaram que o streaming teve um desempenho melhor do que o esperado para 52% profissionais de marketing de mídias sociais participantes da pesquisa.

Isso mostra que plataformas como Twitch e Discord estão crescendo para abranger mais do que o mundo dos games.

Quanto às plataformas de áudio, Stephanie Morgan, especialista em redes sociais e fundadora da agência de marketing Social Lock, vê um futuro promissor para esse novo tipo de comunidade.

“As redes sociais de áudio são um conceito relativamente novo, mas que vieram para ficar”, analisa Morgan.

A pesquisa conduzida pelo Blog da HubSpot descobriu que 65% dos profissionais de marketing de redes sociais classificam as salas de bate-papo por voz entre os três principais formatos mais eficazes. Assistir o crescimento desses canais sociais jovens e promissores ajudará você a determinar quais valem a pena usar para a sua marca ou não.

E, caso opte por embarcar em um novo canal social em alta (em inglês) logo no início do burburinho, você pode ter mais tempo para entender quais conteúdos promocionais funcionam por lá. Isso colocará você à frente dos concorrentes que aderirem à tendência depois e que, provavelmente, terão mais dificuldade para bolar posts criativos.

Para ajudar você a se manter no auge das redes sociais, compilamos uma lista de sete novas plataformas que precisam entrar no seu radar esse ano. Todas essas plataformas conquistaram uma vasta base de usuários e o interesse de investidores ou da imprensa nos últimos meses.

Para cada plataforma, mostraremos o esquema de funcionamento, características da base de usuários, por que pode ser promissora para profissionais de marketing no futuro e os benefícios de uso hoje.

1. Twitch

Ano de lançamento: 2011

Quantidade de usuários: 140 milhões de usuários ativos por mês

A Twitch é uma plataforma de streaming ao vivo que possibilita aos criadores interagirem com o público em tempo real. Sua principal fonte de tráfego é de fãs de jogos.

página inicial da nova plataforma de rede social twitch

Fonte da imagem

Os gamers podem se gravar jogando títulos populares como Fortnite e Minecraft, enquanto o público assiste e interage. Alguns criadores também oferecem conteúdo exclusivo para quem tiver um plano pago de assinatura.

Além de jogos, há vídeos e lives sobre culinária, música e praticamente qualquer coisa nessa rede social. A Twitch também oferece eventos interativos ao vivo, de esportes a festivais para a média de 30 milhões de visitantes diários (em inglês).

O público na Twitch é predominantemente jovem, com 70% dos espectadores entre 16 e 34 anos (em inglês). Da perspectiva das marcas, é uma ótima plataforma para construção de comunidade onde os profissionais de marketing podem se conectar em um nível pessoal com o público-alvo.

De sessão de dúvidas a conteúdos de bastidores, as marcas podem interagir com o público de diversas maneiras.

Segundo a pesquisa do Blog da HubSpot de 2021, 75% dos profissionais de marketing de redes sociais B2B planejam aumentar o investimento na Twitch em comparação a 28% dos profissionais de marketing B2C.

Semelhante aos influenciadores de outras redes sociais, os streamers podem viver com o que ganham na Twitch por meio de assinaturas, anúncios e doações.

As marcas têm diversas opções de veiculação de anúncios, como um carrossel na página inicial e integrações para lives. Também é possível patrocinar streamers específicos com quem os espectadores têm um alto engajamento.

nova plataforma de mídia social discord e suas opções de anúncios

Fonte da imagem

Com o público da Twitch indo além dos games (em inglês), fica mais fácil para as marcas encontrarem uma forma de se inserirem. Além disso, as marcas não ficam limitadas a trabalhar apenas com os streamers da plataforma. Elas podem marcar presença com uma conta de marca e recursos como os emotes, que são emoticons que podem ser utilizados na plataforma.

2. Discord

Ano de lançamento: 2015

Quantidade de usuários: 100 milhões de usuários ativos por mês

O que nasceu como uma plataforma de jogos hoje é um aplicativo expandido de bate-papo.

Vejamos como o Discord funciona: a plataforma funciona em servidores, que são comunidades que aceitam bate-papo por vídeo, áudio e texto. Cada usuário pode montar seu próprio servidor ou entrar para um servidor criado por outro membro.

nova plataforma de mídia social: discord

No início, o Discord era muito popular entre gamers que buscavam uma plataforma para transmitir jogos e se conectar com uma comunidade mais ampla. Após captar investimentos de US$ 100 milhões em 2020, o Discord anunciou planos de expansão (em inglês) que iam além dessa comunidade.

Em um post, o cofundador e CEO Jason Citron disse que os usuários queriam essa mudança.

“Foram os jogos que trouxeram muitas pessoas à plataforma, e sempre seremos gratos a eles. Com o passar do tempo, muitos perceberam, e verbalizaram, que apenas queriam um lugar para se divertir e conversar entre amigos e com a sua própria comunidade”, escreveu Citron.

A marca passou por uma reformulação e readequou sua mensagem para se tornar uma plataforma mais inclusiva.

No momento, o Discord não veicula anúncios, exigindo que as marcas se esforcem para que todo o engajamento seja exclusivamente orgânico. A plataforma de investimentos em startups Otis alcançou muito sucesso neste campo.

Em um artigo da revista Digiday (em inglês), o head de marketing da Otis, Cam Lay, compartilhou que a empresa conseguiu formar uma comunidade forte com mais de 600 integrantes compartilhando dicas e interagindo regularmente com os usuários.

A comunidade também ajuda com feedback e gerando insights sobre a percepção do público sobre produtos e serviços.

A Discord oferece oportunidades fantásticas para que as marcas conquistem a lealdade e a confiança de seus públicos. Para ter sucesso em uma plataforma assim, as marcas precisam estar totalmente envolvidas com seu público e com foco no longo prazo.

3. TikTok

Ano de lançamento: 2017 (fundação em 2016)

Quantidade de usuários: 1 bilhão de usuários ativos por mês

Em 2018, o aplicativo de dublagem Musical.ly se fundiu ao TikTok, um concorrente semelhante lançado um ano antes. Hoje o TikTok é mais popular do que qualquer outra plataforma de mídias sociais na lojas de aplicativos, com a expectativa de alcançar 1,5 bilhão de usuários ativos por mês em 2022 (em inglês).

Para quem lembra do Vine ou do Musical.ly, o TikTok é uma mistura dos dois.

A plataforma permite a gravação de vídeos curtos que são reproduzidos ininterruptamente como no Vine. No entanto, como no Musical.ly ou no Snapchat, é possível adicionar efeitos divertidos, filtros de realidade aumentada, texto e áudios para deixar tudo mais legal. Seguindo o padrão de plataformas semelhantes de vídeos, a adesão principal é de usuários abaixo de 30 anos (em inglês).

Os usuários podem adicionar hashtags aos vídeos que gravam, para que eles apareçam nas pesquisas com mais facilidade.

A guia “Descobrir” também faz sucesso no TikTok. Essa área da plataforma mostra as hashtags em alta para que o usuário se divirta com a comunidade. Ao postar um vídeo em resposta a um desafio, o usuário pode incluir a hashtag correspondente para que os seguidores do desafio possam assistir.

Além de ser um assunto amplamente debatido por publicações como New York Times e Digiday, o TikTok também já ganhou a notoriedade de comediantes como Jimmy Fallon. Veja um trecho do programa The Tonight Show (em inglês) em que ele fala sobre o TikTok e propõe aos telespectadores seu desafio #tumbleweed:

Além de divertido, o aplicativo está “se alastrando para o território do branding”, como disse Krystal Wu, ex-gerente de comunidade de mídias sociais da HubSpot. Ela explicou que mais marcas estão na plataforma, acrescendo que “o The Washington Post também está no TikTok e é bem famoso por lá”.

Como ela disse, o The Washington Post já conquistou mais de 1 milhão de seguidores.

Espera-se que o jornal poste conteúdos mais sérios ou investigativos, mas o tom deles é mais leve no TikTok, mostrando mais o que acontece nos bastidores da redação.

Nesse exemplo, um dos jornalistas sobe uma escadaria ao som da música “Electric Feel”, do grupo MGMT:

Marcas como a Guess também começaram a experimentar o TikTok.

Para promover sua nova linha jeans, a Guess lançou o desafio #inMyDenim, convidando os usuários a publicarem vídeos em que vestem peças jeans da Guess ao som da música “I’m a Mess” (em inglês), de Bebe Rexha.

No momento, empresas de moda, publicidade e entretenimento estão começando a brincar com o TikTok. Com o crescimento da plataforma, poderemos vê-la conquistar outros setores, que poderão usar a criatividade e investir em táticas de marketing mais visuais.

Em 2021, 46% dos profissionais de marketing de redes sociais que participaram da pesquisa do Blog da HubSpot revelaram que o TikTok oferece um ROI alto, ficando atrás apenas do Instagram e do YouTube. Por isso, 93% dos profissionais de marketing que já usam o TikTok pretendem investir o mesmo valor ou mais na plataforma em 2022 e no futuro.

Embora talvez ainda não seja interessante dedicar todos os seus recursos de mídias sociais ao TikTok, estamos em um bom momento para conhecer o aplicativo e começar a fazer experimentos com alguns vídeos divertidos.

Também pode valer a pena fazer um brainstorming sobre alguns desafios ou vídeos que podem estar em sintonia com a sua marca e com o público jovem da plataforma. Caso veja alguma marca de um setor ou em um momento semelhante ao seu, siga-a para se inspirar.

guia para o TikTok para profissionais de marketing

4. Clubhouse

Ano de lançamento: 2020

Quantidade de usuários: 10 milhões de usuários ativos por semana

Diferentemente dos sites tradicionais de redes sociais como Facebook ou Twitter, que oferecem uma plataforma assíncrona para comunicação e compartilhamento de conteúdo, o Clubhouse usa conectividade síncrona e exclusivamente por áudio entre os ouvintes e os oradores.

nova plataforma de mídia social: clubhouse

Fonte da imagem

Não se trata exatamente de um podcast, mas de um jeito mais pessoal de compartilhar informações com o seu público, que pode responder em tempo real.

Talvez você esteja se perguntando: “O que acontece de verdade no Clubhouse?” Na verdade, a resposta certa é: um pouco de tudo. Assuntos como administração de empresas por grandes investidores, bate-papo sobre relacionamentos conduzidos por celebridades e até clubes de comédia encontram públicos cativos ao vivo.

Parte do burburinho repentino que essa nova rede social causou se deve à forma como ela destoou de todas as outras redes sociais disponíveis hoje.

Antes o Clubhouse era exclusivo para convidados, contrariando a lógica do que entendemos e usamos como rede social. Segundo os desenvolvedores, eles queriam deixar a plataforma perfeita antes de lançá-la ao grande público, mas os usuários que já faziam parte do grupo privilegiado serviram de protetores para as milhares de conversas que estavam acontecendo diariamente.

Página inicial site do Clubhouse com um emoji amarelo de mão acenando e o botão de download da App Store.

Fonte da imagem

Que utilidade o Clubhouse pode ter para profissionais de marketing e para as marcas? Esse assunto ainda é meio nebuloso, mas há profissionais de marketing fazendo testes. A corrida para decifrar o Clubhouse avança a passos largos, com criadores de conteúdo construindo seus públicos rapidamente na esperança de garantir as oportunidades de monetização (em inglês) quando estiverem disponíveis.

Não sabe como aproveitar a plataforma? Crie um grupo focal informal, puxe assunto sobre um artigo do blog da sua empresa que tenha um tráfego alto ou participe de uma conversa proposta por um formador de opinião do seu setor.

5.Twitter Espaços

Ano de lançamento: 2020

Quantidade de usuários: desconhecida

Semelhante ao Clubhouse, o Twitter Espaços é uma versão beta do mais novo recurso de áudio da rede de microblogs. Este bate-papo por voz é uma alternativa aos tradicionais tweets de 280 caracteres da rede social e está disponível a quem tiver um dispositivo iOS, mas somente um seleto grupo de pessoas escolhidas pelo Twitter pode criar seu próprio espaço para iniciar uma conversa.

nova plataforma de mídia social: twitter espaços

Embora se pareça com o Clubhouse, o Twitter está entrando nesse novo território sonoro para descobrir oportunidades e ameaças nesse tipo de comunidade. O Clubhouse encarou seus desafios (em inglês) fazendo valer as regras da comunidade, algo que pode ser interessante para o Twitter descobrir como deixar a plataforma segura para todos.

Morgan prevê alguns insights promissores sobre a nova rede social de áudio do Twitter.

“O Twitter Espaços será um excelente recurso por já ser uma plataforma pouco visual e voltada para o diálogo”, analisa a especialista.

Morgan prevê que a condução de debates ao vivo, sessões de treinamento e sessões de perguntas de clientes podem ser alguns dos casos de uso para as empresas utilizarem o Twitter Espaços após o seu lançamento ao público.

6. Caffeine

Ano de lançamento: fundada em 2016, mas estourada em 2018

Quantidade de usuários: desconhecida

A Caffeine.tv, uma plataforma desenvolvida por ex-designers da Apple (em inglês), permite fazer lives para amigos e seguidores. As transmissões aparecem em um feed por onde os espectadores podem enviar reações por emoji ou responder com comentários.

interface do aplicativo de streaming e nova plataforma de mídia social caffeine.tv

Fonte da imagem

Junto com as lives em vídeo, também é possível transmitir a tela do computador ou da TV em que se está jogando. Isso torna a Caffeine uma possível concorrente do serviço de streaming de jogos um pouco mais experiente, a Twitch.tv. Semelhante à Twitch, que paga por visualizações altas ou assinaturas, a Caffeine lançou um programa de monetização (em inglês) que recompensa streamers que estimulam o engajamento.

A empresa ainda não divulgou quantidades de usuários, mas seu perfil no Crunchbase revela que a plataforma já angariou US$ 290 milhões em investimentos até aqui (em inglês).

Fora o interesse dos investidores, a plataforma está começando a fazer barulho. Em 2019, a Caffeine foi usada para transmitir o X Games 2019 em Aspen (em inglês). Em 2021, a Ultimate Rap League e o cantor Drake usaram o aplicativo para transmitir o evento de comemoração do aniversário do rapper.

Até aqui, o sucesso da Caffeine demonstra como as plataformas de vídeo e de lives estão conquistando rapidamente públicos mais jovens, especialmente a Geração Z. Se continuar chamando a atenção, o aplicativo poderá entrar para a lista de canais interessantes para os profissionais de marketing exporem suas marcas por meio de diversas estratégias, como bastidores, sessões de perguntas e respostas ou outras lives.

A Caffeine também pode ser útil para profissionais de marketing de diversos setores, como imprensa, entretenimento, jogos e esportes.

Se as lives puderem ajudar a sua empresa na divulgação de um produto, poderá ser um bom momento para se familiarizar tanto com a Caffeine quanto com a Twitch.

Ao conhecer melhor essas plataformas, confira se seu público está mesmo usando uma das duas e qual está sendo mais usada. Também vale a pena conferir o que marcas semelhantes à sua estão fazendo, caso você encontre alguma conta ativa.

Se tiver uma ideia de live que pareça muito diferente para o Facebook ou Instagram, a Caffeine pode ser um campo de teste interessante. Por ser nova, talvez não haja tantas regras sobre quais conteúdos funcionam ou não.

7.Reels do Instagram

Ano de lançamento: 2020

Quantidade de usuários: desconhecida

É inegável que o TikTok foi um divisor de águas nas redes sociais desde o seu lançamento em 2017.  Em 2019, o Facebook captou a tendência do TikTok e reagiu com o Lasso, mas acabou com a iniciativa (em inglês) para dar lugar ao Reels do Instagram.

Reels do Instagram em três celulares diferentes

Fonte da imagem

Agora o Reels é um concorrente direto do TikTok, oferecendo uma funcionalidade de criação de vídeos semelhante. Os usuários do Instagram podem criar vídeos com efeitos especiais, música e transições extravagantes para prender a atenção dos espectadores.

Como o Reels pode atender à sua empresa? Desde a promoção de novos produtos até tutoriais interessantes, o Reels pode ser um modelo envolvente para marcas interessadas em conquistar o público da Geração Z.

Não sabe como aproveitar esse novo recurso do Instagram? Comece pela sua marca. Os Reels são um tipo de divertido de conteúdo que pode expor a personalidade da sua marca. Não é preciso ter uma câmera cara nem uma equipe cinematográfica para publicar conteúdos virais.

Se a sua equipe ainda não tem capacidade de produzir esse tipo de conteúdo, pode ser interessante contratar influenciadores do seu nicho para criar Reels para a sua marca.

Como navegar pelo panorama das novas redes sociais

Os profissionais de marketing que descobrem primeiro um novo canal social promissor podem se especializar em posts com conteúdos envolventes antes mesmo de seus concorrentes criarem suas contas.

No entanto, embora seja importante para os profissionais de marketing manterem plataformas interessantes no radar, a prioridade máxima ainda deve ser concentrar tempo, esforço e recursos nas plataformas que já estão em alta. (em inglês).

Para garantir o seu equilíbrio entre as novidades e os canais já estabelecidos, concentre-se em expandir e refinar suas estratégias nas plataformas de sucesso, depois marque na agenda mais ou menos uma hora por mês para conferir as plataformas mais novas.

Caso você se depare com uma plataforma como o TikTok, que é relativamente nova e com uma base de usuários que cresce em ritmo acelerado, faça um brainstorming e agende alguns posts experimentais.

Use essa fase de experimentação por um tempo determinado e nas plataformas certas. Embora o TikTok seja um ótimo lugar para fazer experiências e pareça ter chegado para ficar, sempre há a possibilidade de que uma plataforma extremamente nichada, como o Clubhouse, seja apagada por um concorrente maior, como o Twitter Espaços.

Ao definir em quais plataformas prestar atenção e conduzir experimentos, faça estas seis perguntas à sua equipe:

  • Quantos usuários ativos a plataforma tem? Números altos podem indicar que a plataforma está ganhando fôlego e que há mais chances de interagir com uma quantidade maior de usuários.
  • A imprensa ou formadores de opinião estão falando sobre essa plataforma? Se a plataforma não divulgar números exatos, preste atenção nas pessoas, nos grandes nomes ou nos canais de comunicação que estão falando sobre ela. Essa análise pode ser promissora.
  • Plataformas mais antigas têm uma ferramenta semelhante e uma base de usuários maior? Se uma plataforma mais antiga faz a mesma coisa, as pessoas podem hesitar em adotar uma plataforma mais nova. Por exemplo, os profissionais de marketing usam mais os Stories do Instagram do que o Snapchat (em inglês). Embora o Snapchat seja pioneiro nesse formato de conteúdo, as pessoas já conhecem, entendem e confiam na interface e na experiência do Instagram.
  • Meus públicos saberão usar a plataforma? Criar uma conta no Snapchat ou no TikTok pode ser complicado para quem não é tão ligado em tecnologia, mas essas pessoas podem adorar plataformas como Facebook ou Twitter pelo fato de as interfaces serem mais intuitivas. Escolha plataformas que sejam divertidas e fáceis de usar para o seu público.
  • Meus públicos terão interesse na plataforma? Embora uma pessoa pouco tecnológica possa não curtir o TikTok, um adolescente pode achar o Facebook chato. Na verdade, os mais jovens preferem aplicativos mais visuais, como o TikTok (em inglês) e o Instagram. Mesmo sendo interessante prestar atenção ao nível de adaptabilidade, também vale observar como o seu público quer consumir conteúdos.
  • Que tipo de conteúdo ou post podemos usar para promover nossa marca na plataforma? É preciso sempre ter um plano ao cogitar a entrada em uma plataforma social ou o uso dela. A falta de ideias interessantes para divulgar um produto específico em uma plataforma de nicho pode ser sinal de que ainda não está na hora de criar uma conta. Por outro lado, experimentar diferentes estratégias de postagem pode passar uma imagem de que a sua marca é criativa e despojada para o público da plataforma.

Será que você deve seguir as tendências de redes sociais de 2022?

O comportamento dos consumidores muda em um piscar de olhos no ambiente digital, e as empresas que se adaptam às tendências das mídias sociais podem alcançar o sucesso.

Quem fica de olho nessas pesquisas de mercado e as adapta ao seu público-alvo consegue montar um plano de mídias sociais espetacular, capaz de fomentar o reconhecimento da marca e de mostrar a marca de um jeito criativo.

Lembre-se: como nem toda tendência funcionará para alcançar seus objetivos, não explore esse panorama de novas mídias sociais sem ter os dados mais atualizados.

Nota do editor: este post foi publicado originalmente em julho de 2019 e foi atualizado para aumentar a abrangência.

New Call-to-action
 GET HERE

Originalmente publicado 06/06/2022 07:00:00, atualizado Junho 06 2022

Temas:

Redes Sociais