ThinkstockPhotos-490943966.jpgNão sei você, mas eu raramente me sinto como se tivesse 22 anos. No entanto, trabalho com várias pessoas de 22 anos que são inteligentes, interessantes, dinâmicas e muito ativas. Embora seja deprimente quando eles não entendem meus ditados como “salvo pelo gongo”, as ideias e as conquistas deles são realmente impressionantes. E mais ou menos uma vez por semana, um deles me pede para conversar sobre carreira, um assunto que eles sabem que é importante, mas não sabem exatamente por quê.

A seguir, você vai encontrar uma compilação das orientações de carreira que dou a eles. (Elas são válidas mesmo para quem tem menos de 22 anos.)

Ajude a sua carreira, obtendo a Certificação Inbound, 100% gratuito!

As dicas de carreira que ninguém te dá quando você tem 22 anos

1) Opte pelo crescimento

No início de sua vida profissional, você é definido pela empresa que escolhe; portanto, faça uma escolha inteligente. É muito fácil ficar com a empresa de mais prestígio ou a que paga melhor, mas recomendo seguir o conselho do nosso cofundador, Dharmesh Shah: Opte pelo crescimento.

Como a empresa em que você trabalha (ou está pensando em trabalhar) prioriza o crescimento pessoal e profissional? Como a equipe em que você trabalhará planeja crescer no próximo ano e quais são as perspectivas de crescimento na empresa como um todo?

Muitas pessoas escolhem as empresas com base na reputação atual delas e não no quanto elas ainda podem crescer. Mas sua carreira vai ter muito mais crédito se você for o quinto funcionário do LinkedIn após o crescimento explosivo deles que o 5.000º funcionário da Radio Shack antes de a empresa parar totalmente de crescer.

2) Não reaja aos feedbacks

Quando você se dedica ao trabalho de corpo e alma (como muitos jovens fazem), tem a tendência de levar os feedbacks para o lado pessoal, sejam eles bons ou ruins.

Por exemplo, quando você recebe um feedback positivo, tende a pensar que é o melhor profissional de marketing ou vendedor do mundo. E quando seu trabalho é criticado de alguma forma, você também sofre com isso.

Para combater essa reação passional, sempre sugiro deixar o feedback “de molho” por 24 horas. Dessa forma, você consegue avaliar o que é verdadeiro e o que não é e pode usar isso para crescer.

Esse tempo de reflexão também é importante para você ter conversas produtivas com seu gerente. Quando você está pessoalmente magoado, ofendido ou chateado, deixa de ouvir. Você se desliga. Se você der um tempo para absorver o feedback, sua conversa com o gerente realmente o ajudará a evoluir. 

3) Esteja sempre disposto a aprender

Na minha opinião, as pessoas supervalorizam a função do mentor formal na construção de sua carreira. Em vez de identificar uma pessoa com quem aprender e para quem fazer perguntas, faça disso uma prática diária. Anote o que vê, aprenda e observe o que funciona e o que não funciona. Você acha que não vai esquecer isso à medida que avançar na sua carreira, mas vai. O fato de escrever ajuda a manter a perspectiva. Identifique as pessoas que você admira e aprenda com elas, mas não espere uma relação formal de mentoria para isso.

Encontre um tempo na sua semana para priorizar seu próprio aprendizado. Mesmo se você apenas assistir a uma palestra ou ler algumas páginas de um livro novo, é importante ter um tempo na sua agenda para ampliar os horizontes. Provavelmente, você vai fazer isso pelo resto da sua carreira. 

4) Encare seus pontos fracos

Em qualquer fase da sua carreira, você precisa aprender coisas novas. E para que isso seja relativamente indolor mais tarde, você precisará construir esse hábito agora. Então, se você não for bom em alguma coisa, encare-a, ao invés de fugir dela.

Você escreve muito bem, mas não é muito bom na área técnica? Aprender um pouco sobre codificação ou como usar o Photoshop pode ajudar bastante.

É excelente com detalhes, mas tem dificuldades de ter a visão geral? Pergunte a um de seus colegas que seja ótimo em gerenciamento de projetos como ele lida com os desafios.

É muito fácil acomodar-se nos seus talentos naturais ou no treinamento, mas você terá mais munição se investir tempo e esforço para melhorar seus pontos fracos. Quanto mais cedo na carreira, melhor.

5) A melhor forma de fazer networking é trabalhar muito bem

Muitas pessoas consideram o networking uma atividade extracurricular, como correr ou tocar violão. Na realidade, a melhor forma de networking é conseguir os melhores resultados na sua carreira, o que também gera lucros até o fim de sua carreira.

Não estou afirmando que networking não seja importante, claro que é. Mas não se entusiasme tanto em galgar os degraus rumo ao topo na sua empresa se você não está produzindo o que é preciso para chegar lá.

6) Aprenda a vender

Estou dizendo que você precisa se tornar um representante de vendas para ter sucesso? Não. (Mas, se você for, isso é fantástico.)

O que quero dizer é que você precisa aprender a vender suas ideias, seus conhecimentos ou ponto de vista. Ao apresentar suas ideias, tente se destacar do restante das pessoas.

Vender suas ideias não significa necessariamente palestrar em frente do 200 pessoas. Isso também pode ser feito com criatividade, criando materiais bonitos e interessantes para vender seu produto ou colaborando com os colegas para conquistá-los em uma iniciativa que você quer que a empresa priorize.

É fundamental aprender a vender suas ideias e suas contribuições o quanto antes na carreira. Assim, você auxilia sua marca pessoal e profissional e cria um nível de conforto ao expandir sua influência e suas ideias.

7) Acumule resultados, não reconhecimento

A queixa que mais escuto de quem está começando a trabalhar é que outra pessoa recebeu crédito pelo trabalho dessa pessoa e “isso não é justo”. É muito frustrante quando outra pessoa recebe o mérito pelo seu sangue, suor e lágrimas, mas adivinhe: nem sempre a vida é justa e isso se aplica ao trabalho.

Mas posso dizer que, com o tempo, a sorte recompensa aqueles que acumulam resultados, e não os que se concentram em receber crédito. Em vez de ficar obcecado por reconhecimento e crédito, concentre-se nos resultados. Sua carreira vai agradecer por isso mais tarde.

8) Não é trabalho do seu gerente gerenciar sua carreira

Seu chefe é seu gerente no trabalho, e não um leitor de pensamento, adivinho ou psicólogo. Ele pode e deve apoiar você nas suas metas profissionais, mas a única pessoa responsável por conduzir sua carreira é você.

Gerencie-a proativamente, fazendo perguntas pertinentes, deixando seus interesses claros e devorando feedbacks. Desse jeito, você vai ser um funcionário melhor e um líder melhor, ficando na empresa por 10 meses ou 10 anos.

Isso me leva ao meu próximo ponto...

9) Anote objetivos específicos

Eu fiz isso no começo da minha carreira, mas depois passei um tempo sem fazer. Então, ano passado eu decidi tentar de novo. Literalmente, criei um quadro com a visão do que eu queria alcançar profissionalmente em 2015.

No fim das contas, anotar os objetivos específicos funciona bem aos 30 anos e aos 20. 

A pesquisa é clara (em inglês): se você anotar seus objetivos, terá muito mais probabilidade de alcançá-los. Afirmar o que você quer ser “quando crescer”, mesmo se não estiver dividindo suas aspirações com mais ninguém, traz mais probabilidade de ser diligente para conquistar seus objetivos.

Muitos jovens não têm certeza sobre o que querem ser e isso não é um problema. Em vez disso, anote o que você quer fazer, o que acha que pode conseguir ou alguém com quem você quer ser parecido. Tudo isso vai aproximá-lo cada vez mais de suas aspirações. 

10) Enfrente os desafios

Desenvolva logo cedo um faro para o que é importante na sua empresa. Descubra qual é a prioridade principal e por que motivos, e veja quais projetos podem apoiar ativamente essa prioridade. Candidate-se a participar desses projetos. Eles são de alto risco, mas recompensam bem. Além disso, seu trabalho poderá afetar sua carreira pelas próximas décadas. Seja atento, diligente e obstinado. Os gerentes notam os funcionários que não temem grandes desafios e seus colegas sempre vão preferir entrar em campo com alguém disposto a superar esses desafios.

11) Use as mídias sociais a seu favor

A maioria das pessoas com 22 anos considera as mídias sociais uma forma de se conectar com amigos, mas elas são uma ferramenta poderosa para outros empregadores notarem você.

Em primeiro lugar, apague ou classifique como privadas todas aquelas suas fotos de festa da época da faculdade. Em segundo lugar, configure um lembrete trimestral para atualizar seu perfil do LinkedIn (artigo em inglês) com resultados recentes. Dessa forma, seu currículo online sempre estará atualizado. Por fim, compartilhe conteúdo de empresas e pessoas que você admira: se a imitação é o elogio na sua forma mais sincera, o compartilhamento vai pelo mesmo caminho. Sem eles, você pode ficar muito tempo despercebido.

12) Aprenda a reagir

Jack Welch, que tive a sorte de ter como professor no MIT Sloan, é famoso por ter falhado no início de sua carreira na GE. Eu costumo repetir sempre o que ele diz: "Sua carreira nem sempre é linear. Mas o que importa é a forma como você recupera o cavalo". Se um projeto não ficou como você queria ou um estágio não foi tão legal quanto você planejou, não desanime. Seu sucesso depende muito da sua capacidade de reagir diante dos desafios; portanto, quanto mais cedo você aprender a mudar sua atitude depois de uma decepção, melhor.

13) Admita sua vulnerabilidade

Quando você é jovem, está tão concentrado em se sair bem no trabalho que quer parecer invencível. Admitir falhas ou pedir ajuda pode parecer uma fraqueza imensa, então você evita isso a todo custo.

Mas a capacidade de reconhecer e admitir suas partes não tão perfeitas ajuda a refletir mais e ter mais autoconsciência, que são qualidades fundamentais para progredir. 

Brené Brown, um pesquisador de vulnerabilidade e autor de uma das palestras mais populares dos últimos tempos (em inglês), fala algo sobre esse assunto que sempre me impressiona: "As imperfeições não são inadequações. Elas são lembretes de que estamos nisso juntos". Ao notar que até as pessoas bem-sucedidas têm imperfeições, você fica livre para admitir seus próprios defeitos e trabalhar para superá-los.

A humildade e a vulnerabilidade soam como ameaças para sua carreira quando você tem 22 anos, mas, na realidade, são armas poderosas para você crescer como profissional (e ser humano). 

14) Agradeça desde cedo

Sei que isso parece conversa de velho (e não me importo), mas as pessoas se lembram da gratidão de uma forma que supera outras emoções ou fatores motivadores. Não deixe de agradecer as pessoas que o entrevistaram, que quiseram dividir algum conhecimento com você e cuja influência o ajudaram a ter sucesso. Seja cortês no seu elogio às outras pessoas. Sua gentileza com as pessoas vai ajudá-lo, pois as pessoas percebem e se lembram disso por anos.

Antes, entrar para uma nova empresa significava um compromisso de anos (se não décadas) da sua vida. Mas, agora que as pessoas trocam de emprego com mais frequência, gerenciar a carreira tornou-se mais importante e difícil. As opções parecem infinitas, a faculdade parece necessária e, quando você menos espera, está comparando sua trajetória com a de outras pessoas, preocupado de ter ficado para trás. Em vez de ficar pensando excessivamente sobre seu próximo trabalho, sua próxima decisão ou seu próximo evento de networking, concentre-se em ser muito bom no que faz, enfrentar seus pontos fracos de cabeça erguida e ser uma pessoa sem medo de assumir tarefas que outras considerem terríveis. O resto vai acontecer, eu prometo.

Que outro conselho você daria a quem está começando a carreira? Conte para a gente nos comentários. 

Nota do editor: Este post foi publicado originalmente em em outubro de 2015 no blog em inglês.

certificado-inbound-marketing-hubspot

Originalmente publicado 01/03/2016 09:32:08, atualizado Fevereiro 01 2017

Temas:

Desenvolvimento Profissional