Dentre todas as mudanças ocorridas em 2020 e 2021, a principal delas é a antecipação de transformações que aconteceriam nos próximos anos. Elas afetaram os canais e os formatos de conteúdos utilizados pelas empresas — incluindo o vídeo, que já representa 82% do tráfego da internet, de acordo com a Cisco.

Trata-se de uma ferramenta poderosa por criar uma conexão ainda maior com o público, tanto que tem sido cada vez mais utilizada por empresas. Mas como aproveitar o marketing de vídeo em vendas ou outros processos do seu negócio?

Tenha acesso ao mais completo material gratuito de estratégia de vídeo para  vendas e marketing.

Como existem muitas possibilidades de uso desse recurso na sua estratégia, preparamos um guia com as 8 principais tendências de vídeo marketing para 2022. Confira a seguir.

1. SEO para vídeos

Todo tipo de conteúdo precisa ser encontrado pelo público, não é mesmo? Por isso, o SEO para vídeos continua sendo imprescindível para qualquer estratégia de vídeo marketing. Segundo estudo da SEMRush, o formato tem 53 vezes mais chance de aparecer na primeira página de um mecanismo de busca.

Claro, o Google é a principal ferramenta de pesquisa disponível hoje. Antes de ele apresentar vídeos nos resultados de pesquisa, o YouTube já fazia isso. Não à toa, a plataforma é o segundo maior motor de busca do mundo e ganha atenção quando o assunto é tendências de vídeo marketing.

Com uma vasta gama de conteúdos educacionais, para entretenimento e outras finalidades, os usuários consomem o equivalente a 1 bilhão de horas de vídeo por dia no YouTube. Por isso, as boas práticas de SEO são essenciais para se destacar na multidão.

Os algoritmos dos mecanismos de busca estão cada vez mais inteligentes e detectam a intenção do usuário com uma grande precisão. No entanto, trata-se de um recurso dinâmico, por isso, é essencial ficar de olho nas suas atualizações e nas mudanças que impactam as tendências de vídeo marketing.

Hoje, as principais práticas recomendadas são:

  • incluir a palavra-chave no nome do arquivo de vídeo, no título e na descrição;
  • adicionar tags relevantes, que estejam relacionadas ao tópico do vídeo, principalmente em termos de palavras-chave com boa procura;
  • colocar imagens em miniatura nos vídeos, e é importante que elas sejam originais;
  • adicionar legendas e closed captions para melhorar a experiência do usuário;
  • transcrever o conteúdo na descrição — o script de vídeo ajuda bastante na estruturação do texto;
  • estimular a interação ao abrir espaço para comentários e pedir que a audiência curta e compartilhe.

2. Vídeos curtos

A ascensão do TikTok como um canal de mídia social transformou o mercado e popularizou o formato de vídeos curtos. Seguindo essa tendência, o Instagram lançou o Reels, e o recurso está tendo um engajamento muito maior dos usuários da rede.

Costumam dizer que uma imagem vale mais do que mil palavras. Mas, agora, até essa frase mudou: “Se sua mensagem pode ser entregue em 6 segundos, por que não?”, segundo Nomit Joshi, diretor de marketing da Gionee.

Nesse sentido, também é interessante analisar o aspecto cultural. Os indianos, por exemplo, são bastante inclinados a assistir a vídeos mais curtos porque o fazem quando estão no trânsito. Mas essas tendências de vídeo marketing não se limitam ao continente asiático.

Os consumidores, em geral, costumam utilizar seus smartphones quando estão entediados, no caminho para o trabalho, durante os exercícios na academia e nas mais diversas situações cotidianas. São momentos propícios, inclusive, para conferir os vídeos virais e o que está em alta no universo digital.

Para muitas pessoas, poder visualizar anúncios e demais conteúdos de forma rápida traz a percepção de ganho de tempo. O resultado está na possibilidade de conferir mais coisas sem perder valiosos minutos da rotina. Isso estimula a permanência nos canais de comunicação das empresas.

3. Storytelling para vídeos

Outra aposta fortíssima entre as tendências de vídeo marketing está no storytelling com elementos visuais. Maior autoridade de roteiros de Hollywood, Robert McKee dizia que é necessário entreter o público antes de educar — linha cada vez mais seguida para maximizar a experiência do usuário com o conteúdo.

Quem compra deseja consumir mais vídeos da marca do que outros formatos de conteúdo. Assim, o entretenimento torna-se a ponte de conexão entre empresas e consumidores — e a narrativa da sua história é o efeito potencializador do engajamento da sua audiência.

Vale ressaltar que existem diversos tipos de conteúdos que podem ser transformados em vídeos. Com adaptações e um bom storytelling, recursos como as apresentações em slides, podcasts, GIFs, vídeos educativos, depoimentos e webinars passam a ter um valor estratégico atrativo.

Um exemplo de marca que explora o storytelling é a Airbnb, que usa as informações de seus consumidores de maneira criativa. Para o Ano Novo de 2015, por exemplo, a empresa criou uma animação para falar sobre o aumento de viajantes na data festiva — foram 550 mil, um aumento gritante em relação aos 2 mil hóspedes de 5 anos antes.

A proposta com esse tipo de material é evidenciar o propósito, os valores e outros aspectos relevantes do negócio. Menções ao produto ou serviço, bem como às condições de venda, ficam em segundo plano. Dessa forma, o cliente tem tempo para se conectar com a marca e consegue encontrar boas razões para negociar.

4. Vídeos sem som

Como tornar o vídeo acessível aos deficientes auditivos? Os vídeos sem som são imprescindíveis para atingir esse objetivo, com o uso de recursos como legendas e Closed Caption. Além de serem uma boa prática de vídeo SEO, podem aumentar ainda mais as visualizações do conteúdo nas redes sociais.

Um estudo recente mostrou que 75% dos usuários assistem a vídeos com som desligado nos dispositivos móveis — além disso, muitas plataformas padronizaram a visualização sem áudio do conteúdo na timeline. A preferência pelo modo mudo é maior entre a geração millennial.

Trata-se de uma das melhores tendências de vídeo marketing porque, além de promover a acessibilidade digital, permite o consumo de materiais em espaços onde o barulho dos dispositivos se torna inadequado. Com a ausência de som, o consumidor pode ver seus conteúdos quando quiser, sem incomodar terceiros.

Pensando nos tipos de conteúdos que mais fazem sucesso nesse formato, podemos destacar os tutoriais, as receitas e as notícias. E ainda que as legendas sejam imprescindíveis em muitos dos casos, é totalmente possível transmitir a mensagem desejada apenas com figuras ou encenações específicas.

Para ter sucesso sem áudio, é imprescindível apostar na originalidade de imagens, infográficos e outros recursos. Assim, seu vídeo terá melhor compreensão sem os recursos sonoros. Cabe destacar que cada vez mais plataformas vêm lançando soluções de inclusão, a exemplo das transcrições automáticas.

5. Vídeo 360º

Conforme mencionamos, clientes querem muito mais ver o produto do que ler sobre ele. Segundo estudo da SEMrush, 43% dos usuários preferem vídeos interativos em que podem escolher quais informações e quando desejam assistir.

Como oferecer isso? O Vídeo 360º é uma alternativa interessante, visto que possibilita ao usuário decidir qual ângulo da imagem quer olhar. Também conhecidos como vídeos imersivos ou vídeos esféricos, esses formatos são considerados mais interessantes por 98% dos consumidores.

Pense que as filmagens produzidas em diferentes câmeras já apresentam imagens com muito mais detalhes que as fotos. Por conta da continuidade, também mostram como determinado objeto se comporta ao ser movido, ao receber alguma fonte de luz e até ao interagir com uma pessoa.

É por isso que o recurso de 360º merece lugar de destaque entre as tendências de vídeo marketing. Para produzir nesse formato, é necessário usar uma câmera omnidirecional ou mais de um equipamento. Outros pré-requisitos incluem um software de edição específico e um player com suporte para material imersivo.

Apesar de ter semelhanças com a Realidade Virtual (VR), não se trata da mesma coisa. Afinal, o Vídeo 360º permite somente a visualização de pontos diferentes da cena, enquanto a VR proporciona interação com o entorno.

6. Live Commerce

No ano em que a pandemia do novo coronavírus obrigou medidas de distanciamento social, o comércio se viu forçado a procurar alternativas para se manter viável. Assim, diversos empreendedores abraçaram algo que já era forte na China e que faria parte das tendências de vídeo marketing: o Live Commerce.

Também conhecido como Live Shopping, o nicho movimentou mais de US$ 123 bilhões somente no país asiático — o dobro dos US$ 60 bilhões de 2019. No Brasil, grandes empresas do varejo, como Americanas e Riachuelo, já aderiram à tendência.

Como funciona? A dinâmica consiste em uma venda que une o live streaming ao comércio eletrônico. Ao usar uma transmissão ao vivo para demonstrar um produto e interagir com o público, deve-se direcionar o cliente para um canal onde ele poderá realizar a compra — seja por links ou até QR Codes expostos na tela.

Por que é efetivo? Ao mostrar como o produto funciona na prática, é possível ter um engajamento bem maior do público. Os clientes aproveitem a dinâmica em tempo real para tirar dúvidas com as empresas e interagir com os influenciadores envolvidos na campanha. Assim, a conversão em compra aumenta.

7. Retransmissão de videoconferências

Outro recurso fundamental para lidar com 2020 e 2021 foi a videoconferência. Afinal, o trabalho remoto tornou-se uma exigência para que diferentes negócios continuassem operando.

Nesse cenário, plataformas como Zoom, Microsoft Teams e Google Meet mostraram às empresas que é possível utilizar o trabalho a distância de maneira eficiente. Tudo isso com painéis e debates promovidos em alta escala, com a participação de vários profissionais.

E por que não reaproveitar esses materiais produzidos com tanto cuidado? É possível utilizá-lo para educar o público com conteúdos de valor — e até em ações ou comunicação interna. Dessa forma, a retransmissão de videoconferências passa a compor a lista das principais tendências de vídeo marketing.

Nesse tipo de conteúdo, a experiência Picture-in-Picture será o padrão. Ela ocorre quando dois ou mais vídeos compartilham a mesma tela, criando janelas múltiplas sobre a principal área de exibição. O objetivo é aprimorar as interações entre os envolvidos na dinâmica.

Outro recurso visual que vem ganhando espaço é a presença de uma audiência virtual no background das transmissões. Assim, além das figuras responsáveis pela programação, as videoconferências vão contar com a exposição dos ouvintes no plano de fundo.

8. Eventos online

Outro mercado que aderiu à transformação digital devido ao combate à Covid-19 foi o de eventos. A não possibilidade de utilizar o formato presencial fez com que os produtores recorressem à internet. Como resultado, os eventos online se consolidaram de vez e prometem ficar entre as tendências de vídeo marketing por um bom tempo.

Por que eles são tão vantajosos? O primeiro ponto atrativo está na redução de custos operacionais, relacionados ao deslocamento, alimentação e estadia de participantes. Também não há necessidade de locar um espaço físico, o que elimina mais uma fonte de gastos.

Outro aspecto a considerar é que os eventos digitais potencializam o alcance para qualquer região do mundo. Basta que os anfitriões dos encontros disponibilizem os dados de acesso a quem tiver interesse na iniciativa. Assim, as barreiras da distância física são quebradas e ninguém fica impedido de participar.

Além disso, o conteúdo gerado pode ser disponibilizado para o público após o evento, sendo peça da sua estratégia de vídeo marketing. E o melhor é que tudo ocorre sem custos adicionais, visto que o investimento em equipes de produção audiovisual já está previsto no orçamento.

Com todos esses benefícios, o uso da tecnologia no nicho se manterá forte até quando as pessoas puderem se reunir presencialmente. Enquanto isso, a adoção de ferramentas virtuais continuará crescendo, graças ao que chamamos de evento híbrido — reunindo o melhor dos formatos presencial e online.

Está mais do que claro que o vídeo é imprescindível para qualquer estratégia de marketing. Com o fortalecimento dos conteúdos de nicho e das plataformas OTT, aderir às mudanças aplicadas a esse formato de material passa a ser um caminho seguro na busca por visibilidade.

Nada impede, inclusive, que você tire proveito de várias tendências de vídeo marketing para descobrir quais soluções mais trazem retorno. Esse interesse em experimentar vai indicar caminhos para se destacar dos concorrentes e atingir a sua persona de maneira efetiva.

Este artigo foi escrito pela Netshow.me. Fundada em 2013, a empresa oferece soluções para gerenciar, distribuir e monetizar vídeos — e, é claro, outros tipos de conteúdos digitais.

Veja nosso kit sobre como equipes de marketing e vendas podem utilizar vídeos na sua estratégia:

Gostou do conteúdo? Curta nossa página no Facebook para acompanhar diversas informações sobre marketing e vendas!

Saiba como atrair e converter leads usando vídeos.

Originalmente publicado 30/11/2021 07:00:00, atualizado Dezembro 01 2021